🎥 Sancho, pagode, língua alemã: a vida de Reinier no B. Dortmund

Logo: OneFootball

OneFootball

Vitor Geron

Imagem do artigo: 🎥 Sancho, pagode, língua alemã: a vida de Reinier no B. Dortmund

Até a metade de 2019 Reinier era uma promessa da base do Flamengo. De lá pra cá foi campeão brasileiro e da Libertadores pelo Rubro-Negro, negociado com o poderoso Real Madrid e agora, aos 18 anos, passará duas temporadas emprestado ao Borussia Dortmund de Sancho e Haaland.

O jovem meia não chegou a ter oportunidade na equipe principal do Real de Zidane e agora não vê a hora de estrear na Bundesliga e tentar ajudar o Dortmund a por fim ao domínio do Bayern de Munique na Alemanha, que já dura oito temporadas. Em papo exclusivo com o OneFootball, Reinier falou sobre o início em Dortmund, os novos companheiros e a passagem por Madri. Assista:

“Foram meses de muita alegria. Sai do Flamengo pro Real Madrid e aprendi muita coisa lá, fora e dentro de campo. [Os brasileiros do Real] me ajudaram bastante com coisas dentro de campo”, disse Reinier, que sabe que não terá tanta facilidade no Dortmund, onde não há outros brasileiros.

“A comunicação é difícil, normal isso. Guerreiro (português) e Witsel (belga que jogou no Benfica) estão sempre me ajudando com a língua, me ensinando coisas que o treinador fala. Aos poucos vou pegando o inglês e o alemão”.

Para se adaptar a Dortmund, Reinier conversou e ouviu conselhos de dois ex-jogadores que fizeram muito sucesso na equipe amarelo e preta: Amoroso e Dedê. Com o ex-lateral, o jovem meia já até jogou futvôlei comendo churrasco e ouvindo pagode.

“O Amoroso me mandou uma mensagem muito boa, para ficar tranquilo, que é um grande clube, e o que precisar poderia falar com ele ou com alguns familiares dele que moram aqui. O Dedê é uma grande pessoa. Estivemos juntos e jogamos futvôlei, pagodinho, muita resenha. Esse cara está me ajudando muito, me dando conselhos. É uma grande pessoa. Dortmund tem de virar [um pouco de Rio de Janeiro]. Pouco a pouco vamos colocando um pouco de Brasil aqui”.

Mas se ainda busca adaptação dentro e fora de campo, Reinier chegou ao clube alemão consciente de que pode evoluir tática, física e tecnicamente. Para isso, ele continua tentando seguir os passos do ídolo Kaká, mas também se espelhando em outro craque com o qual poderá aprender no dia a dia: Marco Reus.

“O Marco Reus eu sempre gostei desde pequeno. É um grande jogador. Me espelho no que ele faz, fico observando nos treinamentos. É uma pessoa em quem me espelho bastante, um grande ídolo do clube”.

Além de Reus, Reinier vê no Dortmund um potencial de crescimento justamente pelos jovens valores que o clube revelou ultimamente e até que integram o elenco atual. Ainda tímido, o meia prefere não se colocar entre os titulares ao lado de Haaland e Sancho, mas já viu o potencial do jovem inglês.

“São grandes jogadores, que mesmo jovens já têm muito tempo de jogo na primeira equipe. É um fator que pesa. Vou estar com eles, jogando com eles. O Sancho já deu pra ver que ele é diferente. É habilidoso, rápido, tem a finalização muito boa. Ele é muito diferente. Com certeza ele vai ser um dos grandes do mundo”.

Será suficiente para vencer o Bayern campeão europeu e que recentemente derrotou o Barcelona por 8 x 2? Essa resposta Reinier vai começar a descobrir a partir do fim de semana, quando começa a Bundesliga.

Nova Puma Ultra 1.1

Reinier também foi um dos escolhidos para a divulgação da nova chuteira da Puma, a Ultra 1.1, extremamente leve e com uma tecnologia que proporciona mais velocidade e controle na finalização.

“Pra mim a chuteira influencia bastante, é nosso instrumento de trabalho. Eu já treinei alguns dias com ela [Puma Ultra]. É uma chuteira muito boa, confortável, bonita. É um novo modelo que está vindo pra ficar e espero fazer muitos gols e jogar muito com ela”, disse Reinier.


Foto destaque: Reprodução/Twitter Borussia Dortmund