Vítor Pereira explica escalação do Corinthians e justifica medalhões no banco de reservas em decisão | OneFootball

Vítor Pereira explica escalação do Corinthians e justifica medalhões no banco de reservas em decisão

Logo: Meu Timão

Meu Timão

O Corinthians deu adeus à Libertadores 2022 nesta terça-feira após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo. Muito questionada por alguns torcedores, a escolha dos 11 jogadores titulares desta noite foi explicada por Vítor Pereira após a partida.

Em entrevista coletiva, o treinador do Corinthians destacou que definição da equipe não se deu apenas por uma questão física. Vítor Pereira também levou em consideração aspectos táticos, técnicos e estratégicos.

"Eu penso em apresentar uma equipe equilibrada que consiga competir. Eu acho que temos que apresentar uma equipe equilibrada porque chegar aqui contra o Flamengo e levar um gol cedo, acabaria completamente com a eliminatória. Nós competimos pela classificação até o gol. Competimos de forma equilibrada, de forma coletiva, organizada. Portanto, todas as decisões que tomei hoje não foram só de gestão física. Foi de gestão técnica, tática e estratégica também, além de física", afirmou o técnico.

Assim como Fábio Santos, Vítor Pereira também afirmou que, até sofrer o gol e ter Bruno Méndez expulso, o Corinthians fez uma boa partida no Maracanã. Outro ponto destacado pelo técnico foi a postura da equipe dentro de campo.

"A escalação e as substituições tiveram um critério por trás, não só físico, mas no tático, estratégico e no técnico. Daqui a quatro dias, vocês vão querer que ganhemos do Palmeiras e, depois, na Copa do Brasil, certo? Mas o futebol não é assim. Do outro lado tem um time, qualidade, tem uma equipe que também quer ganhar. E às vezes se ganha, mas a atitude é que tem que estar lá sempre. E hoje tivemos. Sem dúvida nenhuma, hoje tivemos caráter, atitude. Nós quisemos reverter a situação. Isso é de se enaltecer hoje aqui. Não se jogou mal ou bem, se devia ter jogado A ou B. Porque se tivesse jogado A ou B e tivesse perdido, estaríamos discutindo porque não gerimos de outra forma. Depois do jogo, é tudo muito fácil", completou.

Os questionamentos na escalação de Vítor Pereira passaram por nomes importantes e experientes terem iniciado a partida no banco de reservas. Atletas como Renato Augusto, Balbuena, Giuliano e Róger Guedes entraram somente na segunda etapa de partida.

“Os medalhões jogam porque nós não podemos jogar com uma equipe e depois tirarmos uma e por outra. Não temos essas funções todas. Tivemos que jogar há três dias, debaixo de chuva, treino pesado e eu senti alguns deles no limite. Só quem não sabe nada de futebol, só quem nunca esteve dentro do futebol a treinar, mas não é treinar há 30 anos, é treinar agora, com intensidade que se joga agora, é que não entende porque que eu tenho que fazer gestão. Seriam incapazes de pressionar como eu quero", iniciou Vítor Pereira.

"O Renato precisa tomar cuidado, vem de lesão, uma parada longa, jogou 30 minutos no último jogo há três dias, hoje jogou por 45 minutos. Balbuena está cansado. No último hoje, para mim, foi mais do que humilhante, estava debaixo de fadiga, por isso que alguns erros, que não são normais dele, aconteceram. O Gil jogou há três dias, jogou 90 minutos, não acredito que hoje pudesse estar fresco para jogar. O Róger foi ao limite, não acredito que teria condições de jogar. Os laterais foram à exaustão, os dois que jogaram no último jogo. Giuliano tem jogado todos os jogos, quando joga é criticado, quando não joga é criticado por não estar dentro. Não entendo as pessoas, respeito, mas não entendo", explicou o treinador.

O Corinthians não terá muito tempo para lamentar a eliminação na Libertadores. A equipe do Parque São Jorge já terá um clássico contra o Palmeiras neste sábado, às 19h, na Neo Química Arena, pelo Brasileirão. Depois disso, na quarta-feira seguinte, o elenco busca reverter um placar de 2 a 0 para seguir na Copa do Brasil contra o Atlético-GO.

Notícias relacionadas

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo