Vitor Pereira desabafa sobre desfalques e critica calendário “desumano” do Brasil | OneFootball

Vitor Pereira desabafa sobre desfalques e critica calendário “desumano” do Brasil

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

O Corinthians vive uma sequência decisiva na temporada. Em meio a clássicos e jogos de mata-mata, o treinador Vitor Pereira precisa rodar o elenco para dar conta do calendário apertado. No entanto, com lesões e desgastes, o português não se mostrou nada contente com a situação.

No último sábado, diante do Santos, pela 14ª rodada do Brasileirão, o técnico optou por um time misto. Assim, ele poupou alguns jogadores para a partida contra o Boca Juniors, da Argentina, pela Libertadores.

“O pacote não contempla empates nem derrotas. No pacote vai sempre a vitória. Vamos sempre com a expectativa da vitória. Agora, naturalmente, não há dúvidas nenhuma que estamos com elenco curto na medida que temos lesões importantes, um jogo com o Boca, e tivemos que fazer uma gestão. Mesmo fazendo a gestão, voltamos a ter um problema com o Du Queiroz”, disse na coletiva após o clássico.

O Corinthians já se reapresentou neste domingo para começar a preparação para o duelo diante do Boca. Vitor Pereira falou sobre o cronograma do time e fez duras críticas ao calendário do futebol brasileiro.

“Nós acabamos de jogar hoje, vamos ter o treino de recuperação amanhã, no dia seguinte os que jogaram hoje ainda vão se recuperar, e depois já voltamos aqui para jogar de novo. Isso quando não temos que viajar. Portanto, tem surgido lesões, e isso é em todas as equipes. Isso é desumano. Já disputei a Liga dos Campeões, mas não era com essa regularidade e densidade de jogos. Eu já ando confundindo as equipes. Eu também preciso descansar um pouco, mas não temos possibilidade disso. É uma realidade, e eu tenho que me adaptar. Esse ano ainda compactamos mais esse calendário. Temos muitas viagens, a cultura é diferente, o clássico é muito importante, são sempre jogos especiais”, comentou o treinador.

“Nós ganhamos um bom clássico há três dias, hoje tivemos outro clássico mais difícil. Lutamos, trabalhamos muito, queríamos ganhar o jogo, mas não foi uma arbitragem para promover o jogo. Infelizmente não foi um dia bom para a arbitragem, e para nós também não porque deixamos dois pontos para trás”, concluiu avaliando o jogo contra o Santos.

Alternativas no elenco

Em meio aos desfalques do elenco, VP abordou outro ponto: as alternativas no elenco. Diante do rival, o português testou algumas de suas opções, mas se mostrou incomodado com as críticas.

“Hoje colocamos o Piton por dentro como mais um teste para ver se ele conseguia ajudar por ali. Vamos imaginar que o Renato não volta e o Du Queiroz fica fora, sem Cantillo, sem Maycon, sem Paulinho. Vamos tentar, mas com tantas perdas temos que inventar. Nunca imaginei que iriam me chamar de professor pardal no futebol. Tive que vir para o Brasil para me chamarem de professor pardal”, finalizou.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo