↕️ Veja o saldo de cada estado brasileiro na temporada 2021 | OneFootball

↕️ Veja o saldo de cada estado brasileiro na temporada 2021

Logo: OneFootball

OneFootball

OneFootball

A temporada 2021 do futebol brasileiro chegou ao fim (ufa!).

E o OneFootball mostra o desempenho dos principais estados do Brasil no “quesito” futebol.

Alguns tiveram uma temporada para ESQUECER. Caso de Pernambuco e Bahia.


Alagoas

Os rivais CRB e CSA não tiveram o que celebrar na Série B, o grande foco da temporada.

CRB

O time regatiano nas quartas de final da Copa do Nordeste, mas fez boa campanha na Copa do Brasil – chegou às oitavas de final eliminando o Palmeiras.

O sonho de alcançar a elite do Brasileirão foi real. Mas não foi conquistado após uma reta final emocionante.

CSA

O Azulão do Mutange encerrou 2021 com apenas o título alagoano para celebrar.

Também caiu nas quartas da Lampions e viu o acesso à Série A ficar no quase – foi o quinto colocado.


Bahia

Um único motivo de celebração e três rebaixamentos. Esse foi o saldo do futebol local em 2021.

Bahia

A temporada começou com o título da Copa do Nordeste.

A campanha na Copa Sul-Americana foi abaixo do esperado. Mas a expectativa no Brasileirão não se concretizou. E pior: o Tricolor foi rebaixado à Série B.

Vitória

Além de sequer ter avançado ao mata-mata do Baiano – pelo terceiro ano seguido -, o Leão fez uma Série B ruim desde o início.

E não evitou a queda à Terceirona. A única alegria ao torcedor foi ter atingido as oitava de final da Copa do Brasil eliminando o Inter.

Jacuipense

A equipe de Riachão do Jacuípe sofreu desde o início na Série C. Chegou à rodada final dependendo de si e de um tropeço do Floresta.

Até fez a sua parte, mas não evitou o retorno à Quarta Divisão.

E os outros?

O Juazeirense caiu na segunda fase da Série D. Bahia de Feira e Atlético de Alagoinhas (campeão estadual) ficaram ainda na fase inicial.


Ceará

Os dois grandes rivais encerraram a temporada celebrando. Principalmente o Tricolor.

Fortaleza

O Leão ficou entre os primeiros colocados do Brasileirão desde o início da competição.

Chegou a perder fôlego, mas fez história com a quarta colocação e vaga na fase de grupos da Libertadores – algo inédito.

Ainda alcançou outro feito especial: a primeira semifinal de Copa do Brasil.

Ceará

O Vozão reagiu sob o comando de Tiago Nunes e chegou à rodada final do BR com chance de Libertadores.

Não teve êxito, mas disputará a Copa Sul-Americana.

E os outros?

Ferroviário e Floresta não conquistaram o acesso à Série B, mas seguiram na Terceirona.

Já o Atlético Cearense foi semifinalista da Série D e, com isso, o futebol cearense terá três representantes na Série C-2022.

Icasa, Pacajus e Crato serão os times do estado na Série D-2022.


Goiás

Um raro caso em que a maioria dos clubes teve êxito em pelo menos um objetivo.

Atlético

O Dragão se garantiu em mais uma Série A e chegou à rodada final do Brasileirão com real chance de vaga na fase preliminar da Libertadores.

Se garantiu em outra edição de Copa Sul-Americana graças ao nono lugar.

Aparecidense

O time de Aparecida de Goiânia fez história ao conquistar a Série D do Campeonato Brasileiro.

Goiás

O Esmeraldino trocou duas vezes de técnico, mas continuou no G-4 e garantiu seu retorno à Série A do Brasileirão.

Vila Nova

O Vila fez uma boa reta final de Série B, sacramentando a permanência na competição.

E esteve muito próximo de um feito inédito: o título da Copa Verde. Mas ficou com o vice após derrota nos pênaltis para o Remo.


Mato Grosso

Cuiabá

O Dourado correu risco de rebaixamento nas rodadas finais do Brasileirão, mas evitou a queda após boa parte do Brasileirão realizando uma campanha segura.


Minas Gerais

Dois gigantes viveram momentos completamente distintos. E o Coelho fez história em 2021.

Atlético

Uma temporada mais do especial. Foi simplesmente a mais vitoriosa da história atleticana.

Encerro o jejum de 50 anos sem levar o Brasileirão, conquistou a segunda Copa do Brasil e já tinha faturado o Mineiro.

Igualou o rival ao garantir a sua Tríplice Coroa. Ou Triplete.

América

O Coelho não só fez um ótimo segundo turno do Brasileirão – só não fez mais pontos do que o campeão – como disputará a Libertadores pela primeira vez em sua história após o oitavo lugar.

Um 2021 para ficar guardado na memória.

Cruzeiro

A Raposa amargou mais uma frustração na Série B. Esteve longe de chegar ao G-4 durante toda a competição e ainda correu risco de rebaixamento nas rodadas finais. Ainda lidou com queda precoce na Copa do Brasil.

Tombense

Já o Tombense teve um 2021 especial ao celebrar um acesso inédito à Série B.

A classificação à fase decisiva foi com emoção, mas o time de Tombos sobrou na hora da decisão.


Pará

O saldo foi negativo apesar de uma conquista inédita para o Remo.

Remo

O Leão tinha situação bem encaminhada para continuar na Série B. Tinha 41 pontos ao término da 32ª rodada.

Mas não se encontrou até o fim da competição e acabou rebaixado com 43 pontos e na 17ª colocação.

O alento veio depois. Seguiu vivo na Copa Verde, com direito a classificação sobre o Paysandu.

E conquistou um título inédito ao bater o Vila Nova nos pênaltis.

Paysandu

O Papão fez uma boa primeira fase de Série C – liderou o Grupo A.

Mas deixou muito a desejar na “hora verdade”. Somou apenas dois pontos nos 18 possíveis. E ficou longe de buscar o acesso.


Paraná

Athletico

O Furacão conquistou mais uma vez a Copa Sul-Americana – repetindo o feito de 2018.

Foi à decisão da Copa do Brasil, mas não suportou o Atlético-MG.

Passou certo sufoco na reta final do Brasileirão, mas evitou o rebaixamento.


Coritiba

O Coxa fez uma Série B quase perfeita. A queda de rendimento na reta final fez o título ficar com o Botafogo. Mas o grande objetivo do ano foi conquistado.


Paraná

O Tricolor disputou a Série A em 2018. E chegou ao fundo do poço nesta temporada.

Fez campanha ruim desde o início na Série C e, em 2022, disputará a Quarta Divisão.


Londrina

O Tubarão que conquistou o Paranaense – cuja reta final foi já na parte final da temporada – lutou arduamente para seguir na Série B.

E teve êxito na rodada final da competição.


Operário

O Fantasma fez uma Série B de altos e baixos. E precisou se contentar em não passar sufoco na reta final do torneio.


Pernambuco

Sport

Foto: Alexandre Stevens/Sport

O 2021 do Leão começou turbulento e terminou com o retorno à Série B.

Destaque negativo (também) para o desempenho na Lampions: último lugar da sua chave.

Náutico

Campeão pernambucano, o Timbu começou a Série B de forma irresistível.

Mas não manteve o ritmo e ficou fora da luta pelo G-4 na reta final.

Santa  Cruz

Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

O Santinha teve um 2021 para riscar da memória. Ficou na zona de rebaixamento do seu grupo na Série C desde o início.

E não evitou a queda à Quarta Divisão.


Rio de Janeiro

Flamengo

Foram três títulos logo no começo da temporada. Mas, depois, o Rubro-Negro não atingiu o nível que se esperava.

O início do trabalho de Renato Gaúcho deixou o torcedor esperançoso, mas vieram as eliminações para o Athletico na semi da Copa BR, atuações frustrantes no Brasileiro e o vice da Libertadores.

Fluminense

O Tricolor chegou às quartas de final da Libertadores após uma fase de grupos emocionante.

Caiu na mesma fase da Copa do Brasil e se garantiu nas fases preliminares da próxima Liberta graças ao sétimo lugar do Brasileirão.

Colecionou atuações ruins com desempenhos sólidos.

Botafogo

O Glorioso teve um início preocupante de temporada, mas se encontrou na Série B com a chegada de Enderson Moreira.

Embalou, chegou ao G-4 e ainda faturou o título da competição.

Vasco

Ao contrário do seu rival na Série B, o Cruz-Maltino decepcionou desde o início.

A troca de técnicos não deu resultado e o G-4 da Série B nunca foi algo, de fato, real.

Agora lida com uma profunda reformulação.


Rio Grande do Norte

ABC

O Mais Querido foi surpreendido pelo Globo na decisão do Potiguar, algo que ficou em segundo plano.

A campanha na Série D foi positiva desde a fase de grupos – em que foi líder.

Só foi superado nas semifinais pela Aparecidense e quando o retorno à Série C já estava sacramentado.

América

O Dragão avançou ao mata-mata na mesma chave do rival.

Mas viu o sonho de retornar à Terceirona cair nos pênaltis para o Campinense após dois empates sem gols.


Rio Grande do Sul

Internacional

O Colorado caiu nas oitavas de final da Libertadores, foi eliminado em pleno Beira-Rio na Copa do Brasil e fez uma reta final de Brasileirão ruim. Precisou se contentar com vaga na Sul-Americana.

Grêmio

A temporada que começou com mais um título gaúcho e uma campanha tranquila na fase de grupos da Sul-Americana terminou de forma melancólica.

O improvável rebaixamento à Série B veio após quatro técnicos, invasão de torcida, muitas mudanças, lesões de jogadores importantes e muito mais.

Juventude

A missão era se manter na elite do Campeonato Brasileiro. O que foi possível graças aos bons números sob o comando de Jair Ventura.

O feito foi celebrado na última rodada, com emoção e significou o rebaixamento gremista.


Santa Catarina

Chapecoense

O Verdão do Oeste fez a pior campanha da história do Brasileirão na era dos pontos corridos, com uma única vitória em 38 rodadas.

Encerrou a competição sem triunfar na Arena Condá.

Avaí

A temporada começou com o título catarinense sobre a Chapecoense e, após uma reta final de Série B com certa emoção, garantiu seu retorno à elite.

Brusque

Houve drama nas rodadas finais, mas o Quadricolor confirmou a permanência na Segundona.

Criciúma

O Tigre ficou com a última vaga no Grupo B da Série C. Repetiu o drama na chave decisiva, em que dependia de si e de um tropeço do Botafogo da Paraíba.

E, no fim, celebrou, já que o retorno à Série B veio.

Feito que amenizou o péssimo início de ano com o rebaixamento à Segundona do Catarinense.

Figueirense

Brigou pela classificação na Série C, mas ficou sem a vaga para a fase decisiva e, com isso, permaneceu na Terceirona.


São Paulo

Palmeiras

A temporada que começou com três vices e ainda teve uma vexatória eliminação na Copa do Brasil terminou com mais uma Libertadores no bolso.

Corinthians

O Timão caminhava para um Brasileirão difícil até as contratações que empolgaram o torcedor.

A reação veio e, no fim, foi conquistada uma vaga na fase de grupos da Libertadores-2022.

Red Bull Bragantino

O Massa Bruta bateu na trave na Copa Sul-Americana após grande campanha.

Atravessou fase instável no Brasileirão, mas se garantiu na fase de grupos da Libertadores.

E fechou 2021 celebrando ter subido mais um degrau.

São Paulo

Um 2021 de mais baixos do que altos. E que terminou com a sensação de alívio.

O fim do incômodo jejum no Paulistão veio. Mas, depois, o Tricolor não foi longe. E passou sufoco no Brasileirão.

Santos

Foi uma temporada difícil após o vice continental e a saída de muitos jogadores importantes.

O 2021 foi de frustrações na Libertadores e, depois, na Sul-Americana.

A chegada de Carille foi fundamental para uma reação no Brasileirão, já que o risco de rebaixamento era real.

Guarani

O sonhado acesso à Série A foi uma possibilidade. Mas o Bugre foi derrotado na “final” contra o Goiás e chegou à rodada final sem depender das próprias forças.

Ponte Preta

A Ponte lutou (e muito) contra o rebaixamento à Série C. E conseguiu se manter na competição em uma reta final “animada” para quem estava na disputa.

Grêmio Novorizontino

O Tigre teve a melhor campanha na fase de classificação da Terceirona.

Mas o acesso à Série B foi confirmado com certa “emoção” graças as três vitórias e três derrotas na segunda fase.

Ituano

O Galo de Itu teve um 2021 mais do que especial graças ao título da Série C do Campeonato Brasileiro.

Após uma campanha de regularidade na primeira fase, foi dominante na “hora da verdade”. Foi à decisão e superou o Tombense.

Foi a segunda conquista da Terceira Divisão – primeira veio em 2003.


Foto de destaque: Pedro Vilela/Getty Images