“Uma hora a invencibilidade iria acabar”: Maurício Souza enxerga méritos do Novorizontino e disse que o Vasco teve um péssimo jogo | OneFootball

“Uma hora a invencibilidade iria acabar”: Maurício Souza enxerga méritos do Novorizontino e disse que o Vasco teve um péssimo jogo

Logo: Papo na Colina

Papo na Colina

Time do noroeste paulista “tirou o selo” do Vasco nesta Série B depois de 14 jogos

Luiz Nascimento

Depois de 14 rodadas, o Vasco finalmente foi derrotado pela primeira vez nesta Série B, ontem, pelo Novorizontino por 2×0. Para o treinador Maurício Souza, aquela foi uma “noite infeliz” de seus comandados como visitantes:

“A gente queria ter um pouco mais de criatividade dentro de campo, especialmente no meio, sempre que o Palácios vinha para o miolo. No entanto, não podemos tirar nenhum mérito do Novorizontino, que conseguiu neutralizar nosso time a partir de uma marcação bem efetiva. E com essa marcação, passamos a fazer um jogo mais direto, que não deu para nós a primeira e a segunda bolas. O GN começou a gostar do jogo. E a partir daí, nós perdemos o controle. O primeiro gol sai de uma bola parada. Apesar de estarmos no controle do jogo na segunda etapa, eles passaram a controlar novamente”, disse o comandante, que ainda concluiu:

“Tivemos uma noite infeliz, sem conseguir colocar em campo o que traçamos no papel. Não tem o que dizer muita coisa, sabemos que encontraremos times que jogam muito mais que nós, como foi o nosso adversário de ontem. Todos os méritos são do Guanaes, que fizeram um jogo bem mais qualificado e eles colheram os frutos.”

Para o jogo de ontem, Maurício mexeu muito no time. Pôs o time que alguns usuários da rede social Twitter “escalaram” ao longo das últimas semanas: Figueiredo como centroavante e Palácios na ponta esquerda. Segundo o técnico, as coisas não funcionaram na prática.

“Acho que não perdemos nosso centroavante de referência. É claro que o Raniel é um jogador mais paradão, fixo. Figueiredo é um atleta mais móvel, que entendíamos que seria muito útil para nós. O que pensamos pro Lucas aconteceu, porém, não tivemos calma de fazer rodar a bola e entrar no terreno adversário. Sabemos que o Figueiredo é centroavante, como ele gosta de atuar e foi formado para isso”, disse Souza, que ainda completou:

“Qualquer desculpa fica em segundo plano. O que não tivemos foi uma péssima noite. Apesar de sentirmos a derrota, mas nada muda. Conversamos no balneário, com a consciência de que no final de semana teremos uma nova peleja. Esta é uma das edições mais complicadas da Série B desde que ela foi criada. Sabíamos que aqui (em Novo Horizonte) teríamos dificuldades. Não estamos felizes com esse resultado, mas cientes que nossa campanha é boa no torneio. Domingo, esperamos recompensar os adeptos do CRVG com a vitória.”

O Vasco segue em segundo lugar na Série B com 30 pontos, a nove do próximo adversário, o Sport, com quem joga neste domingo, às 16h, no Maracanã.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo