📖 Um guia de tudo que mudou na Libertadores desde a pandemia

Logo: OneFootball

OneFootball

Leo Urnauer

Imagem do artigo: 📖 Um guia de tudo que mudou na Libertadores desde a pandemia

Nem parece, mas já faz seis meses que a bola não rola pela Libertadores.

O polêmico Gre-Nal na Arena do Grêmio foi o último suspiro da competição continental antes do início ds pandemia. Desde então, muita coisa mudou. Teve treinador saindo, jogador sendo negociado e alterações radicais de protocolo.

Video Content

O OneFootball preparou um guia para você relembrar de tudo.

Confira abaixo!


🔁 O adeus do Mister e a volta de Cuca

Para o alívio dos adversários do Flamengo, Jorge Jesus rescindiu em julho com o clube carioca para acertar sua volta ao Benfica.

O Fla trouxe para o lugar do português outro treinador europeu: Domènec Torrent, ex-auxiliar técnico de Pep Guardiola.

No comando do Mengão, Dome demorou para engrenar, mas parece aos poucos estar deixando o Flamengo com a sua cara.

Do Rio de Janeiro para o São Paulo, outro dos clubes brasileiros que mudou o treinador foi o Santos. No caso do Peixe, porém, a saída de Jesualdo Ferreira foi pelos maus resultados.

Cuca assumiu a equipe e, por enquanto, vem agradando a direção e torcida alvinegra.

Por fim, o Athletico Paranaense demitiu Dorival Júnior e está com o interino Eduardo Barros no comando.

A estreia do Furacão é hoje contra o Jorge Wilstermann.


👋 Saídas de craques

Grêmio e Palmeiras voltaram “desfalcados” neste reinício. Ambos perderam seus principais jogadores na janela do meio de ano.

No caso tricolor, Everton foi vendido ao Benfica por 20 milhões de euros. O Grêmio trouxe Robinho, ex-Cruzeiro e Everton, ex-São Paulo, para suprir a ausência de Cebolinha.

Já o Palmeiras não conseguiu segurar Dudu, que recebeu uma proposta salarial irrecusável do Al-Duhail, do Qatar.

O Verdão recebeu 7 milhões de euros na negociação. A aposta de Luxa é que o jovem Gabriel Veron possa ser sucessor do ex-camisa 7.

Além do Mister, o Flamengo perdeu outra peça importante do time titular.

Video Content

Rafinha aceitou uma proposta do Olympiacos, da Grécia, e retornou a Europa. Para o seu lugar, o Rubro-Negro contratou o chileno Isla.

O São Paulo não conta mais com Anthony no elenco.

O atacante foi negociado com o Ajax ainda em fevereiro, mas ficaria no Tricolor até a metade deste ano, podendo assim disputar ao menos os jogos da fase de grupos da Libertadores.

A pandemia frustrou os planos do clube paulista.


⚽ Bola parada em três países

O calendário do futebol no Brasil retornou em julho com as disputas dos estaduais. Em agosto, a Série A começou.

Já com ritmo, os clubes brasileiros poderão levar uma leve vantagem nessa Libertadores se comparados com os principais rivais sul-americanos.

Na Argentina, por exemplo, o futebol segue parado. É o caso também de Bolívia e Venezuela. Na Colômbia, o campeonato nacional reiniciou apenas em setembro.


👎 Boca e River enfraquecidos

A falta de ritmo é o menor dos problemas dos dois gigantes da Argentina.

O Boca Juniors teve desde o início do mês 22 casos de coronavírus no elenco profissional. Na quinta (17), o clube enfrenta o Libertad pelo Grupo H.

As autoridades sanitárias do Paraguai liberaram o Boca para viajar a Assunção, o que revoltou dirigentes do Libertad. O clube emitiu um comunicado cobrando a Conmebol e acusando a entidade de “ignorar o seu próprio protocolo”.

A alegação do Boca é de que os jogadores que ainda testam positivo não podem mais transmitir a doença.

Já o River Plate voltou a treinar apenas no dia 7 de setembro e perdeu várias peças importantes durante a pandemia. O time de Marcelo Gallardo é o adversário do São Paulo no Morumbi também na quinta (17).

Juan Quintero se transferiu para o Shenzhen, da China, enquanto o atacante Ignacio Scocco assinou com o Newell’s Old Boys

Os argentinos ainda têm as baixas de Lucas Pratto, lesionado, e Casco, lateral-esquerdo titular, que testou positivo para a Covid-19,


😷 Procolocos

O futebol pós-pandemia trouxe uma série de protocolos rígidos para garantir a segurança sanitária de atletas e comissões técnicas.

A torcida nos estádios está vetada até segunda ordem.

Além disso, a Conmebol ampliou o número máximo permitidos de jogadores inscritos de 30 para 50. Estão previstos também testes rápidos com as delegações de cada clube a 24h do início de cada partida.

Por fim, a entidade passou algumas outras orientações como a obrigatoriedade de garrafas individualizadas de água e isotônicos; proibição de beijos na bola e trocar de camisas; uso de máscara ou proteção facial nas entrevistas pré e pós-jogo; entre outros.


Foto de destaque: Manuel Velasquez/Getty Images