ūüé• Um ano de Pia na Sele√ß√£o: Calan e Milene avaliam o que mudou

Logo: OneFootball

OneFootball

Vitor Geron

Imagem do artigo: ūüé• Um ano de Pia na Sele√ß√£o: Calan e Milene avaliam o que mudou

Pia Sundhage completou, recentemente, um ano no comando da Seleção Brasileira feminina. Fora apenas 11 jogos, muito em função da pandemia, que atrapalhou o calendário e adiou os Jogos Olímpicos para 2021.

Mesmo assim, o que a sueca apresentou até aqui? O OneFootball convidou as ex-jogadoras Alline Calandrini, a Calan, e Milene Domingues que, com exclusividade, fizeram um balanço do que mudou, do que ainda pode mudar e das perspectivas para o futuro, pensando já em Tóquio 2021.

‚ÄúEu vi uma pequena evolu√ß√£o t√°tica em rela√ß√£o √† Sele√ß√£o antiga. Ela manteve as mesmas jogadores, deu oportunidade pra uma ou outra, mas, no geral, manteve a base de 20 ou 18 atletas que o Vad√£o convocava. Deu uma continuidade ao trabalho, at√© porque n√£o tinha tempo para mudar muito. Acho natural, mas espero que mude logo, que mude ap√≥s os Jogos Ol√≠mpicos de 2021‚ÄĚ, disse Alline, que tamb√©m √© jornalista e comentarista da Band.

Na opini√£o de Alline, a evolu√ß√£o ainda est√° ‚Äúlonge do ideal‚ÄĚ, mas j√° √© poss√≠vel perceber mudan√ßas significativas, principalmente na defesa e no aspecto f√≠sico das atletas.  Milene tamb√©m avalia que, apesar do pouco tempo, o Brasil melhorou com Pia.

‚ÄúAcho que o saldo √© muito positivo e Pia nos far√° ser campe√£s mundiais. Ela tem um material humano muito bom. Ela sabe disso e vai ajustando no que a gente peca, que √© no psicol√≥gico e na parte f√≠sica, que ela tem melhorado bastante‚ÄĚ, avaliou Milene, atual embaixadora do futebol feminino do Corinthians e comentarista esportiva.

Mas se concordam que o trabalho de Pia √© bom e que houve evolu√ß√£o, as duas ex-jogadoras da Sele√ß√£o t√™m opini√Ķes bem diferentes com rela√ß√£o √† participa√ß√£o do Brasil nos Jogos Ol√≠mpicos de T√≥quio. Para Alline, n√£o d√° pra ter grandes expectativas mesmo com o adiamento. Por outro lado, Milene confia na conquista de medalha.

‚ÄúT√≠nhamos uma Sele√ß√£o nota 4, e agora √© nota 6, 6,5‚ÄĚ

Alline Calandrini

‚ÄúA Pia ainda n√£o sabe o que vai fazer, est√° conhecendo as meninas, o que √© natural. Eu vejo uma Sele√ß√£o ainda sem padr√£o. Se as Olimp√≠adas fossem em 2020, n√£o ter√≠amos um resultado positivo, o que j√° era esperado. O resultado da Pia vai ser a m√©dio e longo prazo. N√£o espero pra uma pr√≥xima Olimp√≠ada. T√≠nhamos uma Sele√ß√£o nota 4, e agora √© nota 6, 6,5‚ÄĚ, definiu Alline.

‚ÄúA metodologia dela √© vencedora, ela sabe como fazer. As meninas gostam muito dela. √Č pouco tempo, mas tenho certeza que nos Jogos Ol√≠mpicos o Brasil ganharia alguma medalha, mesmo que n√£o fosse a grande medalha [de ouro]‚ÄĚ, declarou Milene, mais otimista.

Apesar de ser menos otimista, Alline faz uma aposta de que a insistência de Pia em aprimorar a questão física da Seleção feminina poderá trazer bons resultados, como ela obteve na Suécia.

‚ÄúEla quer muito e faz quest√£o que a parte f√≠sica seja diferente. Como foi na sele√ß√£o da Su√©cia, que era limitada tecnicamente, mas fisicamente conseguiu sobrar e conquistou a medalha de prata no Rio de Janeiro‚ÄĚ, destacou Alline.