Torcedor do Corinthians relata descaso em jogo contra o Boca Juniors | OneFootball

Torcedor do Corinthians relata descaso em jogo contra o Boca Juniors

Logo: Central do Timão

Central do Timão

  1. Por Tatiana Carvalho / Redação da Central do Timão

Na última terça-feira (17), Corinthians e Boca Juniors se enfrentaram na La Bombonera em jogo que terminou empatado por 1 x 1, pela quinta rodada da fase de grupos da Conmebol Libertadores. A partida, no entanto, rendeu uma experiência negativa para os torcedores alvinegros que viajaram até a Argentina.

O torcedor @viniciusma85, como se identifica no Twiter, utilizou a rede social para relatar o descaso sofrido pela Fiel antes e depois de conseguir entrar no estádio. Segundo ele, a saída dos ônibus com destino a La Bombonera estava prevista para às 18h30, no entanto, a polícia liberou as caravanas corinthianas apenas às 20h.

Depois disso, quando a caravana chegou perto do estádio, os policiais começaram a revistar todos os passageiros que estavam nos ônibus. Com a pequena quantidade de policiais em relação aos torcedores, houve uma grande demora e as pessoas foram liberadas apenas às 22h, ou seja, 30 minutos após o início do jogo e o Corinthians já tinha aberto o placar.

Torcedores do Corinthians na La Bombonera | Foto: ALEJANDRO PAGNI/AFP via Getty Images

Entre o estacionamento e o estádio, tiveram mais três barreiras de revista e dois pontos de checagem dos ingressos, o que atrasou ainda mais a entrada da Fiel e, nesse meio tempo, os argentinos já haviam empatado o jogo.

Após a entrada na La Bombonera, o torcedor relatou que não havia nenhum funcionário ou segurança para ajudar a torcida alvinegra. Inclusive, uma torcedora passou mal e não havia ninguém para socorrê-la. Além disso, houve diversos casos de racismo ao longo da partida.

Confira o relato do torcedor corinthiano sobre a experiência como visitante na La Bombonera:

Sempre fui e serei entusiasta de ir a jogos fora, como torcida visitante. É indescritível estar em minoria. Não seria diferente no jogo da última terça-feira do @Corinthians, na icônica La Bombonera, estádio do Boca Juniors, 10 anos depois do histórico empate em 2012. Mas…

O caos começou na escolta. Eram mais de 25 ônibus que sairiam da região de Puerto Madero. A distância era de 3km e o trajeto duraria pouco mais de 20 minutos, considerando o trânsito do jogo. Estava marcado para sair entre 18:30 e 19:00, mas a polícia só liberou às 20:00!

Por volta das 20:20 já estávamos muito perto do estádio… coisa de 1km… Aí o negócio foi piorando… Eu estava acompanhando pelo Waze e percebi que começamos a nos distanciar do destino. Chegamos quase a mesma distância do ponto de partida!

Margeamos o Rio Matanza até o momento em que paramos e não saímos mais do lugar, mais ou menos nessa altura do mapa. Eram muitos policiais. Passaram avisando para fechar as janelas e para ninguém colocar nada pra fora. Eu estava no último (ou um dos últimos ônibus). Quase uma hora parados…

Um oficial filmava a operação. Ouvi relatos que um policial pediu para ele virar a câmera e então deu com o cassetete na cabeça de um torcedor! Amigos que estavam em outro ônibus avisaram que estavam revistando um por um, ainda que o efetivo gigante pudesse fazer isso simultaneamente…

O jogo já havia começado. Saiu nosso gol, que não vi até agora. Descemos por volta das 22h, há 700m da entrada. Mais 3 barreiras para revista (um policial disse a um amigo: corinthiano a gente revista 3x) e 2 pontos para apresentação do ingresso. No caminho, saiu o gol de empate deles…

Entramos no estádio! Nenhum funcionário após as catracas.Uma mulher passando mal, deitada no banheiro masculino (não achamos o feminino), era acudida por torcedores. Os acessos à arquibancada estavam tomados de gente e o empurra-empurra denunciava uma possível tragédia…

Ninguém à disposição para qualquer tipo de orientação. De crianças a adultos, uma quantidade considerável de torcedores imitando macaco, reforçando o comportamento racista que observamos em praticamente todos os jogos contra times brasileiros na Libertadores!

Que não se tolere de forma alguma o racismo!Que os torcedores visitantes sejam mais respeitados! Que não se perpetue esse poder de interferência do policiamento!Que o nível de serviço da Neo Química Arena para os visitantes seja um parâmetro para os demais estádios e clubes!

Veja mais:

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo