Taison o melhor, Heitor e Wesley não se ajudam e empate acabou sendo positivo na tabela | OneFootball

Taison o melhor, Heitor e Wesley não se ajudam e empate acabou sendo positivo na tabela

Logo: JB Filho Repórter

JB Filho Repórter

  • Mano usou reservas. Pensou na Sul-Americana. E eu penso que não há como culpá-lo por isso. Diante da missão gigantesca de virar um 2 x 0, penso que era o mais correto a fazer. Nessa hora, cada detalhe faz diferença e o físico tem tudo para ser fundamental.
  • E, olhando pelo ponto positivo, foi até melhor que a encomenda. O Inter caiu para a quinta colocação, mas com pontuação de G4. Tá a cinco pontos do líder e a dois do vice. No geral, foi uma boa rodada sim. Até positiva, eu diria.
  • Em campo, Mano apostou em um novo goleiro, três zagueiros, Heitor de novo na lateral e Wesley Moraes de novo como centroavante.
  • O Ceará foi melhor no começo da partida, até marcar seu gol. Depois, o Inter acordou e poderia ter virado ainda na primeira etapa. Já o segundo tempo foi quase todo deles na tentativa de jogar. Por competência do Inter ou até um pouquinho de incompetência do time cearense, não tiveram assim grandes jogadas. Então, o 1 x 1 ficou do tamanho da partida.
  • No primeiro tempo, o melhor em campo foi o Taison. Sem nenhuma dúvida. Mesmo quando caia pelo lado, ele criava jogadas. Aos 18 segundos, isso mesmo, segundos, deu uma chance para o Wesley Moraes e o cara perdeu. Depois, deu a assistência para o gol do Moisés e também uma segunda, que o zagueiro e o goleiro tiram em cima da linha. Foi bem sim o Taison.
  • Mas o Wesley não ficou somente nesse lance perdido não. Aos 15, quando ainda estava 0 x 0, o Heitor fez sua única grande jogada na partida e cruzou daquele jeito, o jeito que os centroavantes adoram, para tomar a frente do zagueiro e furar a rede. Resultado? Wesley Moraes finalizou fraquinho. A má fase continua. Uma pena, eu apostava muito nele.
  • Problema é que o Cadorini entrou no segundo tempo, não fez muito mais coisas e ainda foi expulso, pegando um carinha pelo pescoço. Ai não dá pra falar nada, né? Erro bobo.

Ricardo Duarte/Inter

  • Sobre Heitor, tá difícil justificar sua escalação. Teve uma outra boa ida para o ataque, dando toque de calcanhar, mas novamente comprometeu. Aliás, o lance foi quase idêntico ao do jogo no Chile. Só que, dessa vez, deixou o Keiller sozinho com o carinha do Ceará. Obrigou o goleiro a fazer um pênalti. Eu entendo o Mano dizer que o coloca porque não gosta de improvisar, mas é uma função que tem titular, mas o reserva cai muito de rendimento quando entra.
  • O Keiller fez o pênalti, mas não teve culpa nenhuma, tá? Não tem como culpá-lo de nada nesse jogo. Ele saiu bem, inclusive em bolas altas, fez intervenções, boas defesas. Seguro a ponto do PVC sugerir que, quem sabe, seja ele o novo titular, na vaga do Daniel. Eu ainda acho cedo, mas de goleiro o Inter tá bem.
  • Kaique Rocha teve bons lances no ataque, quase marcou um baita gol de fora da área, só que errou no gol deles. Por sorte, muita sorte, o atacante deles estava milímetros impedido e isso salvou o resultado. porém, o Kaique deixou o Moledo vendido na área. A bola foi cruzada e o rodrigo teve que cuidar de dois, enquanto o Kaique só olhava. Destaco esse lance porque foi emblemático, mesmo assim reconheço que ele teve contribuições boas, principalmente no ataque.
  • Queria ter visto mais do Thauan Lara. Achei bem boa a oportunidade de dar minutos pro guri. E é isso mesmo. Não importa se tem 18 anos, se tem bola, mete em campo. Vai, no mínimo, fazer igual aos de 30 que são fracos e ainda vai ganhar experiência. Mesmo que não tenha se destacado, o caminho para se soltar é esse.
  • No fim, o empatezinho acabou sendo positivo. Agora, o negócio é pensar no Colo-Colo, terça, com o Beira-Rio lotado.

Ricardo Duarte/Inter

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo