Sócios do Bayern de Munique querem o fim do patrocínio com a Qatar Airways | OneFootball

Sócios do Bayern de Munique querem o fim do patrocínio com a Qatar Airways

Logo: MKT Esportivo

MKT Esportivo

Não terminou bem a primeira Assembleia Geral Anual do Bayern de Munique desde o início da pandemia. Michael Ott, sócio do clube, exigiu que o acordo de patrocínio com a Qatar Airways não fosse renovado. Ott é advogado e representa uma parte da torcida que luta pelo fim da parceria com a companhia aérea.

Os executivos do Bayern não fizeram menção de aceitar a ideia, que eles argumentaram ser inadmissível. Ott solicitou a um tribunal de Munique que ordenasse que o clube levasse sua proposta à votação na assembleia, mas o tribunal também apoiou o conselho.

“Estamos dando um corte em nossa própria carne se optamos por parceiros como o Catar, que contornam as regras com o PSG de formas dúbias, em vez de tentarmos impor um fair play financeiro”, disse Ott.

“Como um clube, estamos abertos a todos os discursos. No entanto, a crítica deve sempre ser feita de forma factual e baseada em uma base sólida”, comentou o presidente do gigante bávaro, Herbert Hainer, sendo vaiado logo em seguida.

O encontro seguiu com o Bayern ouvindo propostas espontâneas dos presentes. Uma delas era que o clube se identificasse com “direitos humanos reconhecidos internacionalmente”, o que poderia, hipoteticamente, também excluir o patrocínio com a Qatar. Resultado? A moção foi aprovada com 77.8% dos sócios favoráveis. Toda a diretoria votou contra.

Neste momento, Ott tentou apresentar sua própria proposta, mas foi derrubado por motivos legais: o vice-presidente, Dieter Meyer, declarou que não iria permitir que ocorressem votações em propostas ilegais e que o tribunal estadual de Munique havia decidido que a assembleia de membros não é competente.

Vale lembrar que no último dia 6 de novembro, na partida diante do Freiburg, torcedores do Bayern protestaram na Allianz Arena com uma faixa que trazia os dizeres “Lavamos tudo por dinheiro”. Nela, estava o presidente-executivo da empresa que comanda a estrutura profissional (FC Bayern München AG), Oliver Kahn, e o presidente do clube, Herbert Hainer. Ambos lavavam roupas sujas de sangue ao lado de uma máquina de lavar com a inscrição “FCB AG”. Em sua mão esquerda, Kahn segurava uma mala cheia de dinheiro com a seguinte frase estampada: “Você pode confiar em nós”.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo