Sob pressão externa, Brasil derrota Paraguai nas Eliminatórias

Logo: Sambafoot

Sambafoot

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwww.sambafoot.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F06%2Fbrazil-paraguay-conmebol-qualifier-world-cup-2022-08-06-2021.jpg&q=25&w=1080

Em meio incertezas sobre a Copa América, o Brasil venceu o Paraguai por 2 a 0, em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2022 no Catar. A amarelinha abriu o placar no início do jogo, com Neymar vencedor do prêmio Samba de Ouro, e fez o segundo nos acréscimos, com gol de Lucas Paquetá.

Neymar bateu recorde, com o tento marcado chega no 11º marcado ao lado de Zico e Romário e deu assistência para Paquetá.

Para melhorar a situação, o time de Tite quebra um tabu de 35 anos sem vencer os paraguaios em Assunção. O estádio é o mesmo do Defensores Del Chaco.

Atletas divulgam um manifesto

As incertezas sobre a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) respingam o caos para todo o canto! Se o presidente Rogério Caboclo foi afastado por assédio sexual, a mesma entidade tem sido duramente criticada por sediar o evento em solo tupiniquim, sofrendo boicote por parte dos jogadores.

Depois do ocorrido, o clima seria de festa? Não! Apesar de revelarem que irão atuar, todos os jogadores emitiram um manifesto se mostrando contrários a decisão de ocorrer a Copa América no país do futebol.

“Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil”, diz trecho da publicação divulgada nas redes sociais.

Desde que foi anunciado o torneio, todas as entrevistas foram canceladas e o notíciário se mostra contrário. Ainda nesta quinta-feira (10), o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará se existirá a realização do evento. Existe também um movimento do Planalto Federal de que a CBF demita Tite. no entanto, todas as patrocinadoras mostraram contrárias.

Patrocinador corta vínculos

A Mastercard informou nesta quarta-feira (9) que decidiu retirar temporariamente suas marcas da Copa América no Brasil, embora a empresa de pagamentos continue sendo patrocinadora do torneio de futebol.

O Brasil vem recebendo críticas, com o país enfrentando o terceiro pior surto de coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia, e sendo o segundo mais letal.

Saiba mais sobre o veículo