“Se todos se sacrificarem pelo time, seremos melhores”, diz Cristiano Ronaldo | OneFootball

“Se todos se sacrificarem pelo time, seremos melhores”, diz Cristiano Ronaldo

Logo: Trivela

Trivela

O Manchester United está em um momento meio turbulento. A vitória heroica sobre a Atalanta não apagou problemas coletivos que se arrastam há algumas semanas, mas Cristiano Ronaldo não vê motivo para o nível do time não melhorar, se todo mundo fizer um sacrifício.

Desde a derrota para o Young Boys, em meados de setembro, o United ganhou do West Ham, graças a uma defesa de pênalti de De Gea nos minutos finais, foi eliminado pelos Hammers na Copa da Liga Inglesa, perdeu do Aston Villa, arrancou uma vitória sofrida contra o Villarreal, empatou com o Everton, foi derrotado pelo Leicester e ganhou da Atalanta, também com muito sofrimento.

Os triunfos na Champions League seguiram um roteiro parecido: um péssimo primeiro tempo, reação após o intervalo e gol de Ronaldo nos minutos finais. O mercado de transferências do United, com Ronaldo, Jadon Sancho e Raphael Varane, foi muito comemorado, mas também gerou questões táticas que Ole Gunnar Solskjaer precisa resolver.

Especialmente como equilibrar defensivamente a equipe com tantas peças ofensivas de qualidade, como Pogba, Bruno Fernandes, Marcus Rashford, Mason Greenwood, Sancho e Ronaldo. Solskjaer terminou a temporada passada em alta, com o vice-campeonato inglês e a final da Liga Europa, mas os novos reforços elevaram o padrão de exigência.

Um momento de mudanças, na opinião de Ronaldo, e será necessário um certo tempo para tudo se encaixar. “Mesmo o sistema de jogo em que jogamos, mas acho que passo a passo, temos que colocar em mente que tudo é possível. Não falo apenas sobre minha questão individual. Coloco o coletivo em primeiro lugar. Ganhar as coisas como um coletivo. É mais fácil ganhar as coisas individuais. Eu ainda acho que é possível”, disse, em entrevista à Sky Sports.

As próximas semanas serão importantes para o projeto do United e principalmente para Solskjaer. Desde última Data Fifa, o United perdeu do Leicester e sofreu contra a Atalanta. Ainda terá pela frente o Liverpool no próximo domingo, o Tottenham, outro jogo contra os italianos, fora de casa, e o Manchester City antes de mais uma pausa para partidas de seleções.

“Todos precisam saber seu papel. Eu sei meu papel no time, no clube. Meu papel é fazer gols, ajudar o time com minha experiência e conhecimento para compreender o jogo. Se todos pensarem assim, se sacrificarem pelo time, acho que seremos um time melhor. Temos torcedores fantásticos, um estádio fantástico, um time fantástico, temos que seguir em frente assim”, acrescentou.

Aos 36 anos, Ronaldo segue batendo recordes. Recentemente, transformou-se no maior artilheiro da história do futebol masculino de seleções. Questionado se estava pensando em se aposentar de Portugal, respondeu efusivamente que não – e deu indícios de que ainda terá um longo tempo de carreira pela frente. “Por quê (eu faria isso)? Não é minha hora ainda. Não depende do que as pessoas querem, mas do que eu quero. Quando eu sentir que não sou capaz de correr, driblar, chutar, se a potência desaparecer… mas eu ainda tenho tudo isso e quero continuar porque ainda estou motivado”, disse.

“(Motivação) é a palavra principal para fazer minhas coisas, fazer as pessoas felizes, minha família fez, os torcedores e eu mesmo. Eu quero colocar o sarrafo ainda mais alto. Você fala sobre Portugal, mas na Champions League eu tenho mais gols, mais vitórias, assistências, tudo. Eu quero continuar. Gosto de jogar futebol. Eu me sinto bem em deixar as pessoas felizes”, encerrou.

Saiba mais sobre o veículo