‘Se nada fizermos, em 2024 estaremos todos mortos’, diz Florentino Pérez

Logo: Mercado do Futebol

Mercado do Futebol

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fmercadodofutebol.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F04%2Fflorentino6.jpg&q=25&w=1080

Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, falou em entrevista ao L’Équipe, depois de Barcelona e Real Madrid serem os únicos clubes que não desistiram oficialmente da Superliga Europeia.

Assim sendo, o presidente do Real Madrid afirma que só há duas opções – mudar ou morrer – e que a UEFA escolheu morrer. “Não somos contra o futebol, queremos salvá-lo. Se nada fizermos, em 2024 estaremos todos mortos. A equação hoje é reformar ou morrer, e o presidente da UEFA prefere morrer”, disse Florentino Pérez.

Além disso, o também presidente da Superliga disse que se os maiores clubes forem mais ricos, também poderão ser mais solidários. “A pandemia está destruindo os clubes. Com essa proposta, o objetivo é salvar o futebol. Alguns dizem que os ricos querem ser ainda mais ricos e deixar os pobres mais pobres, mas é exatamente o oposto. Gerando mais receita, podemos ser mais solidários“, argumentou, dizendo que seria capaz de distribuir mais dinheiro do que o mecanismo de solidariedade.” Atualmente, a UEFA distribui 100 milhões de euros através do mecanismo de solidariedade. Nós, desde o início, teríamos mais de 400 milhões de euros. Quando há mais dinheiro, você pode ser mais solidário“, acrescentou.

Ademais, falou sobre a crítica ao “modelo fechado”, dizendo que isso não corresponde à realidade. “Isso é falso. Há equipes que vão aceder à Superliga pelo mérito esportivo. Também disseram que as ligas nacionais iam desaparecer, o que é falso. Como podem pensar que queremos ir contra a Champions? O Real Madrid tem uma responsabilidade histórica: mudar no tempo oportuno a realidade do futebol, que está morrendo aos poucos“, concluiu.

Foto: Getty Images