“Realmente o ano não acabou. Se tivesse acabado, estaríamos fora da Libertadores”, afirma Rodrigo Caetano | OneFootball

“Realmente o ano não acabou. Se tivesse acabado, estaríamos fora da Libertadores”, afirma Rodrigo Caetano

Logo: Deus me Dibre

Deus me Dibre

FOTO: BRUNO SOUSA / ATLÉTICO

A manhã desta sexta-feira (12) foi marcada pela entrevista coletiva do Diretor de Futebol Rodrigo Caetano, na Cidade do Galo. Eliminado na Copa Libertadores da América, na Copa do Brasil e ocupando a 7ª colocação do Campeonato Brasileiro, o time alvinegro tem sido constantemente cobrado pelo torcedor.

Além da cobrança, Caetano falou sobre a expulsão de Eduardo Vargas no confronto contra o Palmeiras, sobre a possibilidade da chegada de reforços para este ano, do planejamento para a temporada de 2022 e 2023 entre outros assuntos.

O dirigente começou falando sobre um possível fracasso do clube, desportivamente, este ano:

Não usaria essa palavra fracasso. Não é fracasso total. Não vejo dessa forma. Lamentavelmente, ficamos fora das duas Copas (Brasil e Libertadores), não estamos bem colocados no Brasileiro, precisamos melhorar. Temos esses dois títulos conquistados (Supercopa e Mineiro), não vamos passar o ano em branco. Nosso primeiro objetivo é recuperar no Campeonato Brasileiro. Depois, vemos em frente. Tem que ficar clara a nossa tristeza, indignação.

Rodrigo Caetano também foi questionado sobre o planejamento do elenco para a atual temporada e respondeu:

Foto: Pedro Souza / Atlético

Optamos pela manutenção do elenco de 95% daqueles que mais atuaram no ano passado. A eliminação nas Copas não fomos competentes, principalmente na Copa do Brasil.

Sobre a possibilidade de contratar reforços ainda para 2022, o diretor atleticano falou:

Quanto a reforços, não podemos fazer muito. Estamos por oportunidades que podem surgir. Adaptação dos que chegaram e melhoria. E trocas, acho que isso é saudável. (…) São esses jogadores que aqui estão que irão fazer as 17 rodadas restantes para o Galo.

Na eliminação da Copa Libertadores, ocorrida na última quarta-feira (10), Eduardo Vargas acabou expulso no último lance do jogo, por conta de reclamação. O cartão vermelho para o chileno, que seria um dos batedores de pênalti, foi alvo de muita cobrança externa. Internamente, Rodrigo Caetano garantiu que não foi diferente:

Ontem mesmo, eu e o Cuca falamos com o Vargas sobre o episódio. Ele se desculpou. Manifestou que estava de cabeça quente, sabe do prejuízo que causou. Ele sabe da importância, seria um dos batedores. Não podemos jogar a eliminação toda nas costas dele, nem do Rubens. Mas temos aqui um regulamento que funciona. Nesses casos específicos, tem a punição. Ela já ocorreu, foi aceita pelo atleta, e ela é uma punição administrativa. Ele faz parte do elenco.

Caetano ainda respondeu se acredita em erros em 2022:

Quando não ganha, está errado. Muitas das vezes você ganha e não está correto. Não é por conta das derrotas que está tudo errado, que tem que reformular. Eu não acredito nesse modelo. Senão, estaremos sempre recomeçamos. É um problema dos clubes brasileiros em geral. Temos que fazer ajustes e correções. Se tivéssemos passado, talvez não estaríamos falando em erros. Não vou ficar apontando motivos. Não seria ético. Vamos tentar correções para o próximo ano.

O diretor finalizou dizendo se espera uma melhora em 2023, principalmente na parte financeira:

Espero que sim. O que o Galo hoje busca? Busca reduzir o passivo, com a venda do shopping, com a inauguração da Arena MRV é aumentar as receitas, rentabilizar a marca do Galo, elevar o nível de excelência em todos os sentidos. Investir na base, no CT e melhorar o elenco. É uma busca incessante. Não estou justificando falta de recursos para aquisição de atletas, como se não atuássemos nisso. Muitos de vocês definiram a nossa janela como uma boa janela pelo nível dos jogadores que chegaram. E muitos com condição favorável para o Galo. Isso vamos seguir fazendo, em novembro e dezembro.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo