Prestativo, Rigoni empolga em seus quatro primeiros jogos pelo São Paulo

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwww.gazetaesportiva.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fimagem%2F2021%2F06%2F16%2F3471_crop_galeria.jpg&q=25&w=1080

Emiliano Rigoni vem tendo um início bastante positivo como jogador do São Paulo. Recém-contratado pelo clube, o atacante já balançou as redes uma vez e deu outras duas assistências em seus quatro primeiros jogos com a camisa tricolor.

Contratado até junho de 2024, o atleta de 28 anos estreou contra o Atlético-GO, fora de casa. Depois, contra o 4 de Julho, marcou um gol e deu uma assistência na goleada por 9 a 1. No último fim de semana, atuou os 90 minutos contra o Atlético-MG, e, nesta quarta-feira, novamente teve uma atuação de destaque, sendo autor do cruzamento para o gol de Eder.

Na partida contra o 4 de Julho, pela Copa do Brasil, e contra o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro, Rigoni foi improvisado como ala pela direita. Embora não seja um lateral de ofício, o atleta, pela estratégia ofensiva montada pela comissão técnica, passou a ser uma opção para o setor.

“São minhas características. Cheguei ao clube conhecendo parte do corpo técnico. Essa era a forma de jogar que o São Paulo já tinha, e passei a treinar para poder estar na equipe. Eu simplesmente trato de dar o meu máximo, para, sempre que posso, aportar à equipe. São minhas características, trato de aproveitar o máximo possível”, comentou Rigoni.

O grande responsável pelo argentino desembarcar no Morumbi se chama Alejandro Kohan. O preparador físico da comissão de Hernán Crespo foi quem teve o primeiro contato com Rigoni e o fez aceitar a proposta do São Paulo. Eles trabalharam juntos no Independiente, clube que também tinha Martín Benítez no elenco.

“Alejandro Kohan foi fundamental para eu chegar no clube, foi com quem tive o primeiro contato. Trabalhamos juntos, confio plenamente em seu trabalho e no trabalho de todo corpo técnico. O São Paulo é um clube muito grande. Martín [Benítez] também conheço há muitos anos, formamos uma linda amizade, fora do clube também compartilhamos momentos, muitas conversas, porque me ajudam psicologicamente e tecnicamente. Sempre é importante estar perto deles, porque te mantêm vivo, com gana, com essa motivação. São pessoas muito importantes, que me ajudaram a chegar no clube”, completou.

Saiba mais sobre o veículo