Presidente da UEFA dispara críticas contra Barça, Real Madrid e Juve pela Superliga

Logo: Mercado do Futebol

Mercado do Futebol

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fmercadodofutebol.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F06%2Fgettyimages-1210074981-612x612-1.jpg&q=25&w=1080

Em entrevista ao Telegraph Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, criticou a postura dos três “rebeldes” da Superliga e frisa que “eles perseguem todos, eles ameaçam todos.”

A novela da Superliga segue em conflito e as partes de Barcelona, Real Madrid e Juventus não parecem cessar. A ideia do plano ousado para revolucionar o futebol criado no final de abril foi encabeçado por 12 clubes fundadores (Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Juve, AC Milan, Inter de Milão, Barça, Real e Atlético de Madrid), mas que teve revolta geral dos torcedores e contribuiu para o fracasso da competição.

Após a investida frustrada, a abertura dos processos disciplinares começaram a ser iniciados pela UEFA e ainda nesta semana o presidente da entidade máxima europeia, Aleksander Ceferin, foi entrevistado pelo Daily Telegraph e não poupou críticas aos “rebeldes”.

Ceferin contra Barça, Real e Juve:

“Até as pessoas mais ignorantes do mundo entendem que (a Superliga) acabou. Olha, esses são os tópicos mais estranhos que já vi na minha vida. Saíram com um comunicado de imprensa ‘a Superliga ainda existe, ainda temos uma Superliga’. Dois dias depois, eles enviaram um pedido para jogar na Liga dos Campeões. Então eles estão na Super League e fora da Champions League, mas querem estar na Champions League? Disseram que a Champions League acabou, mas ainda querem jogá-la? Agora estão ameaçando, enviando cartas dizendo que vão nos processar. Eles obviamente têm muito dinheiro. Devem investir no futebol feminino e no futebol juvenil”, afirmou.

O chefe da UEFA também repreendeu o fato dos três clubes restantes estarem atacando as 9 equipes que se retiraram da organização.Acredito que eles estejam ameaçando os outros nove clubes também. É uma forma de voltar para a família, por meio de ameaças? Teve um comunicado há poucos dias: ‘Se não houver Superliga, acabou o futebol’, ou algo parecido. Que delírio!”

Por fim, Aleksander Ceferin lamentou as ameaças do qual vem sofrendo sobre o assunto. “Tudo o que recebemos são cartas. Não os li, mas nosso departamento jurídico diz que há cartas ameaçadoras por toda parte. Quando converso com 244 clubes da ECA (Associação Europeia de Clubes), eles não são os mais populares do mundo. Eles perseguem todos, eles ameaçam todos. O ponto de vista deles é: ‘Estamos jogando nossa competição de elite e estamos fazendo caridade para todos’. Ninguém quer caridade“, frisou.

As declarações fortes do presidente não deve soar bem nos bastidores de Barcelona, Real Madrid e Juventus e indica ganhar ainda mais episódios em breve.

Saiba mais sobre o veículo