Para relembrar: 5 fatos que marcaram a Copa do Mundo de 2002 | OneFootball

Para relembrar: 5 fatos que marcaram a Copa do Mundo de 2002

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

Estamos prestes a completar 20 anos do pentacampeonato do Brasil. Que tal relembrar esse momento com 5 fatos que marcaram a Copa de 2002? Confira!

No ano que vem, vamos atingir o marco de 20 anos desde que o Brasil foi campeão do mundo pela última vez.

Sediada por dois países, o Japão e a Coréia do Sul, nossa seleção fez uma campanha marcante, enfrentou times de peso e proporcionou várias emoções aos torcedores brasileiros.

Mas será que você lembra de todos os momentos marcantes da Copa de 2002?

Para relembrar e matar a saudade dessa sensação única de conquistar mais um título, conheça 5 fatos que marcaram a Copa do Mundo de 2002!

1. 100% de aproveitamento

Para ganhar uma Copa do Mundo, um time não precisa ter 100% de aproveitamento, ou seja, não precisa ser vitorioso em todos os jogos que disputar – especialmente nas fases de grupos.

Porém, na Copa de 2002, o Brasil alcançou o feito de ter 100% de aproveitamento. Nos 7 jogos disputados, a seleção foi vencedora. Na ocasião, foi a quarta vez que um país conquistou o título totalmente invicto.

Dos gols marcados durante a trajetória brasileira, oito deles foram feitos por Ronaldo, que bateu o recorde do polonês Lato, que fez sete gols na Copa de 1974.

Toda essa campanha do Brasil foi bem positiva para a seleção, que levou um prêmio de 12 milhões de dólares.

2. Tecnologia limitada

Em 2002, a ideia de levar um celular para tirar fotos com a família e os amigos acompanhando os jogos da seleção era inexistente.

Afinal, no começo dos anos 2000, os celulares eram bem limitados. O Nokia 3310, que era o modelo mais vendido da época, não tinha sequer tela colorida ou câmera.

No espaço de 20 anos, a tecnologia teve um grande salto, que permitiu que os smartphones chegassem ao mercado, com seus aplicativos que permitem uma série de funções.

Hoje, ao ir em uma reunião familiar, você consegue tirar fotos e gravar vídeos, com um bom espaço na memória para manter por muitos meses esses registros.

Mais do que isso: caso você troque de dispositivo, não precisa se preocupar com backup. Softwares como o MobileTrans permitem que o usuário consiga transferir dados de um smartphone para outro.

Fonte: MobileTrans

Na prática, significa que suas fotos e vídeos de jogos de futebol históricos, como a final da Copa do Mundo, ou de momentos importantes do dia a dia, têm tecnologia necessária para manterem-se a salvo, mesmo que você opte por trocar de smartphone.

Além disso, o MobileTrans permite que você faça o backup dos arquivos para um computador, ideal para quem não quer perder nenhum registro especial!

Quem diria que, em 20 anos, sairíamos de um celular que só tinha o jogo da cobrinha como recurso extra, para modelos que permitem a transferência de todos os dados?

3. O resultado da Coreia do Sul

2002 foi o ano em que um país asiático ficou, pela primeira vez na história, entre os quatro melhores do mundo. O país em questão era a Coréia do Sul, uma das nações que sediaram a competição.

E é justamente por ter sido um dos locais sede que muitos torcedores desconfiam dessa boa colocação da Coreia do Sul. Há quem defenda que muitos lances foram roubados para favorecer o time.

Basta observar o exemplo da Itália, que era um time forte naquele ano, e teve cinco gols anulados na competição. Um dos gols, contra a própria Coreia do Sul, eliminou a Itália nas oitavas de final. Se teve mesmo algum favorecimento, nunca vamos saber.

4. Goleiro campeão

Toda Copa do Mundo tem uma premiação para reconhecer os melhores atletas da competição. Um dos prêmios é a Bola de Ouro, que é dada para jogadores que tiveram um grande destaque.

No Mundial de 2002, o vencedor da Bola de Ouro foi o goleiro alemão Oliver Kahn, o primeiro e único goleiro a receber a premiação na história.

Porém, é preciso reconhecer o goleiro da seleção brasileira, Marcos – que ficou mais conhecido pelo apelido “São Marcos”. Afinal, ele teve um papel crucial em todos os jogos, especialmente na final, onde defendeu duas tentativas arriscadas de reação da Alemanha.

Curiosamente, em 2017 Marcos deu uma entrevista onde afirmava que não merecia ser titular em 2002, uma vez que considerava Dida e Rogério em melhores condições. Para a torcida, o mérito veio ao longo da competição.

5. O uniforme da seleção

Um dos fatos que marcaram a Copa do Mundo de 2002 foi o uniforme criado pela Nike para a seleção brasileira, que tinha um design um tanto quanto confuso.

A camisa foi desenvolvida com duas camadas, sendo que a primeira era rente ao corpo e servia para evaporar o suor. A segunda camada servia para manter a temperatura corporal adequada dos atletas.

Entretanto, entre todas as camisas da seleção, esse modelo ficou mais conhecido pela dificuldade em vestir do que pelo design em si.

Relembrar é viver

Para muita gente, é difícil acreditar que já faz 20 anos que o Brasil foi campeão do mundo pela última vez.

De lá para cá, muita coisa mudou: da tecnologia que temos em mão, ao desempenho das seleções ao redor do mundo.

Enquanto relembramos a Copa do Mundo de 2002, nos preparamos para a competição do ano que vem, que vai acontecer no Catar, a partir de novembro de 2022.

Será que, vinte anos depois, teremos a sorte de vivenciar novamente um título tão especial? Vamos ter que esperar (e torcer) para ver!

Saiba mais sobre o veículo