Pacotão #09 | PSG perde a primeira em rodada de derby quente entre Saint-Étienne e Lyon | OneFootball

Pacotão #09 | PSG perde a primeira em rodada de derby quente entre Saint-Étienne e Lyon

Logo: Terra de Zizou

Terra de Zizou

A invencibilidade do Paris Saint-Germain na Ligue 1 foi embora. Fora de casa, o time de Mauricio Pochettino foi derrotado pelo Rennes, por 2 a 0, e mesmo continuando como líder, não tem mais o status de único time 100% da competição. A derrota do PSG foi um dos fatos da 9ª rodada, que ainda teve um alucinante derby entre Saint-Étienne e Lyon. Foi uma série de gols anulados, dois validados, expulsão, chances para os dois lados e um jogo que valeu a pena assistir.

Confira abaixo os destaques da rodada:

Lens 2×0 Stade de Reims

Lens: Leca; Gradit, Danso e Medina (Haïdara); Clauss, Doucouré (Cahuzac), Fofana, Frankowski (Machado); Kakuta (Saïd); Sotoca e Kalimuendo (Ganago)

Stade de Reims: Rajkovic; Foket, Faes, Abdelhamid e Konan; Munetsi, Matusiwa (Touré) e Flips (Cassama); Kebbal (Mbuku), Ekitike e van Bergen (Doucouré)

Arbitragem: Benoît Bastien

Gols: 1×0 Kalimuendo, aos 45’+1/1º; 2×0 Kalimuendo, aos 7’/2º;

Confiante após uma importante vitória fora de casa sobre o Olympique de Marseille, o Lens fez mais uma vítima na Ligue 1. Jogando no Bollaert-Delelis ainda sem torcida (fruto da punição recebida após a confusão no Derby du Nord), os Sangue e Ouro bateram o Stade de Reims por 2 a 0 e garantiram mais uma semana na vice-liderança, com 18 pontos.

Jornada inspirada de Kalimuendo valeu três pontos | Foto: RC Lens / Divulgação

Arnaud Kalimuendo foi o destaque da noite no norte francês, balançando as redes duas vezes. O primeiro gol foi de pênalti, aos 46 minutos da etapa inicial. A infração, aliás, rendeu a expulsão de Ekitike, que foi imprudente em dividida de bola, ergueu demais o pé e foi pro chuveiro mais cedo. O camisa 15 cobrou no meio do gol e fez o primeiro.

O segundo gol veio apenas na etapa final. Após roubada de bola no meio de campo, Sotoca acionou o atacante no espaço vazio e ele só teve o trabalho de tocar na saída de Rajkovic antes de correr para o abraço e celebrar o gol da quinta vitória do Lens na Ligue 1.


Montpellier 1×1 Strasbourg

Montpellier: Omlin; Souquet, Estève, Sakho e Cozza (Ristic); Ferri (Leroy), Chotard; Mollet, Savanier (Makouana) e Mavididi (Gioacchini); Germain

Strasbourg: Sels; Guilbert, Djiku, Nyamsi, Le Marchand e Caci; Sissoko (Aholou), Prcic (Lienard) e Bellegarde (Perrin); Ajorque (Diallo) e Gameiro (Waris)

Arbitragem: Hakim Ben el Salem Hadj

Gols: 1×0 Mollet, aos 12’/1º; 1×1 Gameiro, aos 28’/1º;

No confronto entre dois dos times mais irregulares da Ligue 1, nada mais justo do que um empate. Montpellier e Strasbourg se enfrentaram no Stade de la Mosson e, ao término dos 90 minutos, o placar apontou 1 a 1. Os anfitriões saíram na frente logo aos 12 minutos, num belo gol da entrada da área de Mollet. Porém, aos 28, Gameiro tabelou com Ajorque e deixou tudo igual. O empate mantém os dois times em posições intermediárias na classificação: o Montpellier é o 13º, com 10 pontos (a quatro jogos sem vencer), enquanto o Strasbourg está uma posição acima, com 11.


Nice 2×1 Brest

Nice: Benítez; Lotomba (Daniliuc), Todibo, Dante e Bard (da Cunha); Stengs, Rosario (Thuram), Lemina e Kamara; Delort e Gouiri (Dolberg)

Brest: Bizot; Pierre-Gabriel (Faussurier), Chardonnet, Bain e Duverne; Agoumé (M’Bock), Belkebla (Magnetti); Honorat, Faivre e Cardona (Le Douaron); Mounié (Badji)

Arbitragem: Antonio Nobre

Gols: 1×0 Todibo, aos 45’/1º; 2×0 Bard, aos 16’/2º; 2×1 Honorat, os 45’+2/2º

Com autoridade, o Nice fez valer seu favoritismo diante do Brest e chegou a segunda vitória consecutiva na Ligue 1. O placar da Allianz Riviera apontou 2 a 1, mas poderia ter sido muito mais, vide a grande quantidade de gols que os Aiglons perderam. Com o quinto triunfo na temporada, o time de Christophe Galtier termina a rodada no pódio, com 16 pontos, enquanto os comandados de Michel der Zakarian amargam a vice-lanterna, sem nenhuma vitória.

Favorito e jogando em casa, o Nice tratou de pressionar desde o começo. Antes de balançar as redes pela primeira vez, o goleiro Bizot fez ao menos duas grandes defesas em cabeçadas de Delort. Porém, um vacilo do arqueiro resultou no primeiro gol, aos 45. Bard cruzou a bola na área, Bizot saiu para agarrá-la, mas parou no meio do caminho. Foi a brecha que Todibo precisou para tomar a frente, ficar com a pelota e marcar com a trave aberta.

Bard, que havia participado da origem do primeiro gol, experimentou o gostinho de balançar as redes na etapa final. O lateral iniciou a jogada roubando a bola pela esquerda e após a pelota passar de pé em pé, ele apareceu no segundo poste, pela direita, para marcar de cabeça. O Brest ainda descontou nos acréscimos, como Honorat, mas foi pouco para o time visitante, que sofreu a quinta derrota em nove rodadas.


Rennes 2×0 PSG

Rennes: Gomis; Traoré, Omari, Aguerd e Meling; Bourigeaud (Assignon), Martin (Santamaria), Taït (Ugochukwu) e Sulemana; Laborde e Terrier (Guirassy)

PSG: Donnarumma; Hakimi, Marquinhos, Kimpembe e Mendes; Gueye (Herrera), Verratti (Wijnaldum); Di María, Messi e Neymar (Icardi); Mbappé

Arbitragem: Ruddy Buquet

Gols: 1×0 Laborde, aos 45’/1º; 2×0 Taït, a 1’/2º;

Fim da invencibilidade do Paris Saint-Germain. Após oito rodadas e oito vitórias, os líderes da Ligue 1 visitaram o Rennes no Roazhon Park com Neymar, Messi e Mbappé e não foram páreo para Gaëtan Laborde e companhia, voltando para a capital com uma derrota por 2 a 0 na bagagem. Foi a primeira derrota da equipe dirigida por Mauricio Pochettino na atual edição da Ligue 1, enquanto os bretões chegaram aos 12 pontos, na 11ª colocação.

Mesmo fora de casa, o PSG criou boas chances na etapa inicial. Neymar e Mbappé, por exemplo, ficaram cara a cara com Alfred Gomis, mas falharam na finalização. Já Di María também ficou de frente pro goleiro adversário, mas preferiu o passe ao chute.

A equipe de Bruno Génésio não permitiu que o PSG finalizasse ao seu gol | Arte: Ligue 1 Brasil

Quem não falhou na cara do gol foi Gaëtan Laborde. No minuto final da primeira etapa, o camisa 24 do Rennes recebeu cruzamento de Sulemana, apareceu nas costas de Nuno Mendes e tirou o zero do marcador. Na etapa final, nem deu tempo de o PSG tocar na bola e o mesmo Laborde apareceu no fundo pela direita, tocou para trás e serviu Taït, que ampliou.

O PSG chegou a descontar com Mbappé, aos 24 minutos, mas um impedimento na origem da jogada invalidou o gol. O VAR, aliás, também apareceu para anular um pênalti marcado em campo em cima de Laborde. Numa dividida com Hakimi, o marroquino ergueu demais o pé e o árbitro Ruddy Buquet deu pênalti. Revendo no vídeo, ele percebeu que o lateral atingiu a bola, anulou a marcação e o estrago acabou não sendo tão grande para o Paris.


Angers 3×2 Metz

Angers: Bernardoni; Manceau, Traoré e Thomas; Cabot, Mendy (Brahimi), Mangani, Ebosse (Capelle); Fulgini (Ounahi); Ali Cho (Bahoken) e Boufal (Pereira Lage)

Metz: Oukidja; Centonze, Bronn, Niakate (Mbengue) e Udol; Gueye (Nguette), Sarr, Maiga, Pajot e De Préville; Niane (Boulaya)

Arbitragem: Stephanie Frappart

Gols: 0x1 Bronn, aos 10’/1º; 1×1 Ali Cho, aos 8’/2º; 1×2 Boulaya, aos 13’/2º; 2×2 Mangani, aos 20’/2º; 3×2 Bahoken, aos 45+3’/2º;

Depois de quatro jogos sem vitórias na Ligue 1, o Angers, que chegou a ser um dos times sensação das primeiras rodadas, se recuperou e venceu o Metz jogando em casa. Mas engana-se quem pensa que os três pontos vieram com facilidade. Os Granadas ficaram duas vezes à frente do marcador e a vitória só foi confirmada nos acréscimos.

Na primeira etapa, o único gol foi de Bronn, logo aos 10 minutos, de cabeça. No segundo tempo, Ali Cho deixou tudo igual após assistência de Capelle, aos 8. Porém, cinco minutos depois, o goleiro Bernardoni foi sair jogando com os pés, chutou o chão e entregou a bola nos pés de Boulaya, que recolocou o Metz em vantagem. Mais tarde, aos 20, Mangani igualou tudo novamente, de cabeça, enquanto Bahoken virou já nos acréscimos.

Com a vitória, o time dirigido por Gérald Baticle ultrapassou o Olympique de Marseille e assumiu a 4ª posição da Ligue 1, com 16 pontos. O Metz, em compensação, está na zona de repescagem, com 6 e apenas uma vitória na temporada.


Monaco 3×0 Bordeaux

Monaco: Nübel; Aguilar, Disasi (Badiashile), Maripán e Jakobs; Tchouaméni (Fofana), Matazo; Golovin (Diop), Volland e Gelson Martins (Diatta); Ben Yedder (Boadu)

Bordeaux: Costil; Kwateng, Mexer e Gregersen; Pembele (Mara), Otávio (Dilrosun), Fransérgio (Zerkane), Mangas (Mensah); Adli e Kalu (Elis); Ui-Jo Hwang

Arbitragem: Clément Turpin

Gols: 1×0 Tchouaméni, aos 35’/1º; 2×0 Golovin, aos 3’/2º; 3×0 Ben Yedder, aos 19’/2º;

Após um início claudicante, o Monaco começa a se encontrar na Ligue 1. Diante do Bordeaux, o time dirigido por Niko Kovac chegou a terceira vitória consecutiva e colou na turma de cima da tabela. A equipe do Principado agora ocupa a 6ª posição, com 14 pontos, enquanto os Girondins seguem em risco, em 16º, com 7.

Na primeira etapa, as redes do Louis II foram balançadas uma única vez. Tchouaméni recebeu cruzamento na grande área, ajeitou no peito e bateu esquisito na bola, mas foi o suficiente para vencer Costil e abrir o placar. Já no segundo tempo, a estrela de Ben Yedder brilhou. Primeiro, o capitão do Monaco lançou Golovin na grande área e o russo tocou na saída de Costil para ampliar. Mais tarde, de pênalti, WBY fechou a conta. Goleador do ASM, Ben Yedder já soma cinco tentos na atual edição da Ligue 1.


Nantes 2×0 Troyes

Nantes: Lafont; Appiah, Castelletto (Pallois), Andrei Girotto e Traoré (Corchia); Geubbels (Bukari), Cyprien, Chirivella, Simon (Moutoussamy); Blas (Coco); Kolo Muani

Troyes: Gallon; El Hajjam, Salmier e Palmer-Brown (Domingues); Kabore, Kouame, Chavalerín e Koné (Larouci); Baldé (Suk), Gerson Rodrigues (Lumeka) e Ripart (Chadli)

Arbitragem: Brisard Jerome

Gols: 1×0 Andrei Girotto, aos 13’/2º; 2×0 Blas, aos 24’/2º;

O Nantes fez valer o fator casa e voltou a vencer na Ligue 1. Em uma tarde inspirada do goleiro Lafont, os Canários derrotaram o Troyes por 2 a 0, com dois gols no segundo tempo. Aos 13 minutos, Andrei Girotto apareceu livre na pequena área após cobrança de escanteio e marcou de cabeça. Já aos 24, de pênalti, Blas ampliou. Enquanto isso lá atrás, o goleiro Lafont foi o autor de quatro defesas e salvou o Nantes em várias ocasiões.

Com a quarta vitória na temporada, a terceira em La Beaujoire, o Nantes ingressa no top-10. É o 9º, com 13 pontos. O Troyes, em compensação, segue pisando em ovos. É o 17º, com 6.


Lorient 1×1 Clermont

Lorient: Nardi; Igor Silva, Mendes, Laporte, Jenz e Le Goff; Le Fée (Diarra), Lemoine e Monconduit (Le Bris); Moffi (Ouattara) e Lauriente (Boisgard)

Clermont: Desmas; Zedadka, Hountondji, Ogier e N’Simba; Samed, Gastien; Dossou (Tell), Berthomier (Iglesias) e Rashani; Bayo

Arbitragem: Pierre Gaillouste

Gols: 0x1 Bayo, aos 15’/1º; 1×1 Laporte, aos 9’/2º;

Fim dos 100% de aproveitamento do Lorient jogando em casa. Desta vez, os Merlus receberam o Clermont, mas acabaram empatando por 1 a 1 no Yves Allainmat. O time visitante saiu na frente logo aos 15 minutos, com Bayo, só que Laporte deixou tudo igual, aos 9 do segundo tempo. O Lorient, que é o time que mais empatou na Ligue 1, com cinco, terminou a rodada em 7º, com 14 pontos, enquanto o Clermont, sem vencer há sete jogos, está em 15º, com 10.


Lille 2×0 Olympique de Marseille

Lille: Grbic; Çelik, Fonte, Botman e Reinildo (Gudmundsson); Ikoné (Sanches), André, Onana (Xeka) e Bamba (Weah); David e Yilmaz (Yazici)

Marseille: López; Saliba, Balerdi (Gueye), Caleta-Car (Kamara) e Luan Peres; Guendouzi, Gerson (Harit); Lirola (Luís Henrique), Rongier e Ünder; Dieng (Milik)

Arbitragem: Jeremie Pignard

Gols: 1×0 David, aos 28’/1º; 2×0 David, aos 45+5’/2º;

O crescimento do Lille na Ligue 1 coincide com a queda do Olympique de Marseille. Enquanto os Dogues vinham de duas vitórias consecutivas, o OM acumula dois tropeços em sequência. No encontro entre os dois, no Pierre Mauroy, a sina continuou e os atuais campeões impuseram nova derrota ao time de Jorge Sampaoli, em mais uma noite estrelada de Jonathan David.

O canadense abriu o placar ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos, quando Çelik subiu pela direita e cruzou por baixo. David dividiu a bola com Saliba e conseguiu mandar para dentro do gol. O camisa 9 do Lille ampliou apenas no minuto final do jogo, quando um contra-ataque puxado por Weah terminou com bola na rede de David aos 50 do segundo tempo. Na ocasião, o Marseille já jogava com dez após a expulsão de Ünder.

Com a sequência invicta, o Lille chega a 14 pontos, na 8ª colocação, e colou no próprio Marseille. O OM também tem 14 pontos e é o 5º colocado.


Saint-Étienne 1×1 Lyon

Saint-Étienne: Green; Camara, Moukoudi, Kolodziejczak e Trauco; Youssouf, Neyou (Hamouma); Nordin (Gourna-Douath), Boudebouz (Aouchiche) e Bouanga (Krasso); Khazri

Lyon: Lopes; Dubois, Boateng (Denayer), Diomande e Henrique; Caqueret, Bruno Guimarães (Thiago Mendes); Shaqiri (Pollersbeck), Aouar (Malo Gusto) e Toko Ekambi; Lucas Paquetá

Arbitragem: Francois Letexier

Gols: 0x1 Aouar, aos 42’/1º; 1×1 Khazri, aos 45+5’/2º;

Sobrou emoção no derby entre Saint-Étienne e Lyon. Só faltou um vencedor mesmo. No placar, um 1 a 1 com gosto diferente para os dois rivais. O ASSE festejou, já que mostrou força e evitou uma derrota quase certa. Já o OL não tem o que comemorar, já que deixou a vitória escapar após vacilos bobos.

O jogo começou quente e a primeira etapa já indicava isso. Só nos 45 minutos iniciais foram quatro gols, três deles anulados. Paquetá e Shaqiri para o Lyon e Khazri para o Saint-Étienne marcaram os tentos que acabaram anulados pela arbitragem. Já Aouar foi o sortudo que conseguiu anotar o gol que valeu. Paquetá foi lançado, dominou fez o pivô e achou um belo passe para o camisa 8. Ele entrou na área, bateu colocado e abriu o placar aos 42 minutos.

O segundo tempo manteve o pique, mas com o ASSE em cima, buscando o empate. Quem marcou, porém, foi Toko Ekambi, para o Lyon. Mas, adivinhem? Foi anulado por posição irregular.

O lance chave da partida foi aos 29 minutos. Bouanga foi lançado em profundidade e Anthony Lopes, precipitado, decidiu sair da meta. O gabonês finalizou, o goleiro tocou com a mão fora da área e não restou outra alternativa ao árbitro que não fosse expulsar o goleiro português.

Lyon lidera o ranking de expulsões | Arte: Ligue 1 Brasil

Coube a Pollersbeck, goleiro reserva, assumir a bronca e, logo no primeiro lance em campo, ele viu o Saint-Étienne acertar o travessão. Minutos depois, com o ASSE crescendo, o jogo foi paralisado, já que os torcedores da casa começaram a acender sinalizadores. Após alguns minutos, a bola voltou a rolar.

Com um a menos, o Lyon passou a tentar cozinhar o jogo e garantir o 1 a 0. Pagou um preço caro por isso. Nos acréscimos, Krasso foi lançado na área, finalizou e a bola bateu no braço de Denayer. Pênalti confirmado após consulta ao VAR. Khazri converteu e deu números finais a um alucinante clássico no Geoffroy-Guichard.

Apesar das circunstâncias, o empate não foi bom para ninguém. O Saint-Étienne, que ficou feliz da vida com o gol nos acréscimos, ainda é o lanterna da Ligue 1, com 4 pontos, e ainda não venceu na temporada. Já o Lyon, com dois empates seguidos, caiu para a 10ª colocação, com 13.

Seleção da rodada

Brasileiro Andrei Girotto entrou na seleção do L’Equipe


Classificação após nove rodada | Arte: Ligue 1 Brasil

Saiba mais sobre o veículo