Pacotão #07 | Chuva de gols e PSG cada vez mais líder

Logo: Terra de Zizou

Terra de Zizou

Nem mesmo o acúmulo de jogos em sequência fez os times da Ligue 1 tirarem o pé do acelerador. A 7ª rodada da competição, realizada na última quarta-feira (22), foi recheada de gols. Nos dez jogos da semana, as redes foram balançadas impressionantes 32 vezes, mais de três por partida. Destaque para o agitado empate entre Montpellier e Bordeaux e para o atropelamento do Rennes para cima do Clermont. Somando só esses dois jogos já vão 12 gols. Além disso, destaque-se o Paris Saint-Germain, único time com 100% de aproveitamento na competição e cada vez mais líder.

Confira abaixo os destaques dos jogos:

Monaco 3×1 Saint-Étienne

Monaco: Nübel; Sidibé (Aguilar), Disasi e Badiashile; Diatta (Tchouaméni), Fofana, Matazo (Golovin) e Caio Henrique (Pavlovic); Volland (Jean Lucas), Boadu (Ben Yedder) e Diop

Saint-Étienne: Green; Moukoudi, Kolodziejczak, Nade (Youssouf) e Trauco; Camara, Neyou; Bouanga (Aouchiche), Nordin (Bajic) e Khazri (Boudebouz); Krasso (Hamouma)

Arbitragem: Brisard Jerome

Gols: 1×0 Volland, aos 27’/1º; 1×1 Bouanga, aos 41/1º; 2×1 Ben Yedder, aos 17’/2º; 3×1 Ben Yedder, aos 41/2º;

Depois de dois tropeços consecutivos, o Monaco se recuperou na Ligue 1 e derrotou o Saint-Étienne, no Louis II. Jogando com um homem a mais durante boa parte do confronto, o time do Principado passou alguns apuros, mas conseguiu a segunda vitória na temporada, chegou aos 8 pontos e afundou os Verdes dentro da zona de rebaixamento.

Ben Yedder fez dois na vitória do Monaco | Foto: Imago/OneFootball

Mesmo fora de casa, o Saint-Étienne deu trabalho e chegou a acertar a trave de Nübel duas vezes: aos 10, com Krasso, e no lance seguinte, com Bouanga. Entretanto, foi o Monaco que abriu o placar, com Volland. Aos 27, o alemão foi lançado em profundidade, invadiu a grande área e acertou um potente chute de pé direito para tirar o primeiro zero do marcador. Um dos goleadores monegascos na última Ligue 1, o camisa 31 fez apenas o primeiro na atual temporada.

Aos 32 minutos, a situação do Monaco ficou ainda melhor com a expulsão de Green, goleiro do ASSE. O arqueiro precisou da meta para impedir ataque de Boadu, mas derrubou o atacante do Monaco e foi para a rua mais cedo. Ainda assim, os visitantes arrancaram o empate antes do intervalo, com Denis Bouanga, aos 40.

Na etapa final, o Saint-Étienne chegou a acertar outra bola na trave, mas um impressionante vacilo de Kolodziejczak pôs tudo a perder. Aos 16, o zagueiro meteu a mão na bola após cobrança de escanteio e cometeu um pênalti incompreensível. Ben Yedder entrou só para a cobrança e desempatou a partida, deslocando Bajic. O camisa 9 voltou a balançar as redes aos 41, completando passe por elevação de Volland, fechando a conta em 3 a 1.

A vitória ainda não colocou o Monaco no pelotão de frente da Ligue 1, mas serviu para dar uma despertada no time. Os comandados de Niko Kovac ocupam agora a 13ª colocação. O ASSE, em compensação, continua sem vencer e é o vice-lanterna, com apenas 3 pontos.


Nantes 3×1 Brest

Nantes: Lafont; Corchia (Appiah), Castelletto, Pallois e Traoré; Blas (Moutoussamy), Andrei Girotto, Chirivella (Merlin) e Simon; Kolo Muani (Coco) e Coulibaly (Geubbels)

Brest: Bizot; Pierre-Gabriel, Chardonnet, Brassier e Duverne; Agoumé (Mounié); Faivre, Belkebla (Badji), M’Bock e Honorat (Saïd); Cardona (Le Douaron)

Arbitragem: Thomas Leonard

Gols: 1×0 Blas, aos 27’/1º; 2×0 Chrivella, aos 10’/2º; 3×0 Brassier [contra], aos 13’/2º; 3×1 Le Douaron, aos 22’/2º;

A goleada sobre o Angers, no Derby Ligérien, parece que despertou o Nantes, que venceu mais uma na Ligue 1. Desta vez em casa, o time dirigido pelo veterano Antoine Kombouaré fez 3 a 1 com autoridade para cima do Brest e chegou a 8ª colocação, com 10 pontos após dois triunfos consecutivos. Na primeira etapa, Blas abriu a contagem após rebote de Bizot. No segundo tempo, Chrivella, num belo chute de fora da área, ampliou, enquanto Brassier fez contra o terceiro e último gol dos Canários. Le Douaron anotou o gol de honra dos visitantes, que ainda não venceram na temporada.

Destaque para a boa atuação de Andrei Girotto, único brasileiro em campo. O volante encerrou a partida contribuindo na defesa, como o líder em desarmes com cinco, e no ataque também, dando três finalizações. Girotto já havia aberto o caminho da goleada sobre o Angers, marcando o primeiro dos quatro gols no último fim de semana.


Lille 2×1 Stade de Reims

Lille: Grbic; Çelik, Fonte, Botman e Gudmundsson (Bradaric); Ikoné (Yazici), André, Onana (Niasse) e Weah (Gomes); David e Yilmaz

Stade de Reims: Rajkovic; Foket (Kebbal), Gravillon, Faes, Abdelhamid e Konan; Munetsi, Matusiwa e Berisha (Ektike); Mbuku (Koffi) e van Bergen (Donis)

Arbitragem: Johan Hamel

Gols: 1×0 David. aos 31/1º; 2×0 André, aos 43’/1º; 2×1 Flips, aos 29’/2º;

O pé calibrado de Burak Yilmaz fez o Lille reagir na Ligue 1 e bater o Stade de Reims após a derrota no Derby du Nord, para o Lens. Dos pés do turco saíram as assistências para os dois gols da vitória por 2 a 1, no Pierre Mauroy. O primeiro passe para gol saiu aos 31 minutos, quando o camisa 17 foi lançado na área por André, ergueu a cabeça e colocou a bola na testa de David, que deslocou Rajkovic e fez o primeiro. Minutos mais tarde, aos 43, Yilmaz cobrou escanteio na pequena área e encontrou André, que ampliou a vantagem antes do intervalo. Na etapa final, Alexis Flips descontou para o Reims em cobrança de pênalti.

Com a segunda vitória na atual edição da Ligue 1, o Lille dá uma bela respirada e se afasta da zona de rebaixamento. Os Dogues estão na 14ª colocação, com 8 pontos. É um ponto há mais e uma posição acima do Reims.


Montpellier 3×3 Bordeaux

Montpellier: Omlin; Souquet (Sambia), Estève, Cozza e Ristic; Ferri (Wahi), Leroy (Chotard); Mollet, Savanier e Mavididi (Makouana); Germain (Gioacchini)

Bordeaux: Costil; Kwateng, Mexer e Gregersen; Pembele (Mara), Otávio, Onana (Fransérgio), Mangas; Dilrosun (Kalu) e Adli (Oudin); Hwang Ui-Jo (Zerkane)

Arbitragem: Mikael Lesage

Gols: 1×0 Germain, aos 11/1º; 1×1 Hwang Ui-Jo, aos 18’/1º; 1×2 Onana, aos 29’/1º; 2×2 Germain, aos 5’/2º; 3×2 Mollet, aos 26’/2º; 3×3 Kalu, aos 40’/2º;

Montpellier e Bordeaux protagonizaram, sem dúvidas, a partida mais maluca da rodada. Seis gols, alguns muito bonitos, duas viradas e um empate de tirar o fôlego no Stade de la Mosson. No placar, um 3 a 3 que manteve o MHSC em posições intermediárias, em 10º, com 9 pontos, e os Girondins longe de qualquer respiro na briga contra o rebaixamento, em 16º, com 6.

Montpellier e Bordeaux empataram por 3 a 3 | Foto: Imago/OneFootball

O jogo começou a mil por hora e três gols saíram antes dos primeiros 30 minutos. Quem saiu na frente foi o Montpellier, aos 11, com Germain, que tabelou com Mavididi e marcou com a trave aberta. O Bordeaux, porém, teve forças para reagir com dois lindos gols de fora da área. Aos 18, foi a vez de Hwang Ui-Jo marcar num chute de pé direito que acertou o ângulo de Omlin. Mais tarde, aos 29, Onana acertou uma bomba de primeira, da entrada da área, e virou o marcador.

Na etapa complementar, o Montpellier assumiu as rédeas da partida e voltou a dianteira do placar. Aos 5, Germain, de cabeça, fez o segundo dele no jogo e deixou tudo igual. Já aos 26, Mollet aproveitou rebote na grande área e encheu o pé esquerdo para marcar o terceiro. A vantagem, porém, durou pouco tempo e, a cinco minutos do fim, Kalu venceu três marcadores na grande área e finalizou para marcar o terceiro do Bordeaux, o último da agitada partida.


Rennes 6×0 Clermont

Rennes: Gomis; Assignon, Omari, Aguerd e Meling (Truffert); Bourigeaud, Martin (Santamaria) e Tait; Laborde (Tel), Terrier (Guirassy) e Sulemana (Abline)

Clermont: Desmas; Zedadka, Hountondji, Billong e Mendy (N’Simba); Busquets (Iglesias), Samed; Allevinah (Dossou), Khaoui (Berthomier) e Rashani; Hamel (Bayo)

Arbitragem: Benoit Bastien

Gols: 1×0 Martin, aos 32’/1º; 2×0 Terrier, aos 36/’1º; 3×0 Sulemana, aos 10’/2º; 4×0 Sulemana, aos 13/2º; 5×0 Laborde, aos 19’/2º; 6×0 Tait, aos 32’/2º;

Depois de três derrotas consecutivas, o Rennes lavou a alma diante do Clermont, com uma impressionante goleada diante do torcedor. Quem foi ao Roazhon Park viu a melhor atuação dos comandados de Bruno Génésio na temporada em um sonoro 6 a 0 para os rubro-negros. Na primeira etapa, as redes foram balançadas duas vezes, e ambas com singelas contribuições de Bourigeaud. Aos 32 minutos, ele cruzou a bola na cabeça de Martin, que abriu o placar. Quatro minutos depois, o camisa 14 serviu Terrier, que chutou forte para ampliar a contagem antes do intervalo. No segundo tempo, a goleada foi concluída rapidamente. Sulemana fez dois, aos 10 e aos 13, Laborde ampliou aos 16 e Taït fechou a conta aos 32. Foi a primeira vez que o Rennes venceu uma partida com pelo menos seis gols de diferença desde 1965.

Com o atropelamento, o Rennes encostou no próprio Clermont. Os rubro-negros chegaram aos 8 pontos, na 12ª posição. O novato da Ligue 1, com cinco tropeços consecutivos (duas derrotas e três empates) caiu para o 11º lugar, com 9.


Angers 0x0 Olympique de Marseille

Angers: Bernardoni; Manceau, Traoré e Thomas; Cabot, Mendy (Taibi), Capelle, Ebosse (Mangani); Ounahi; Bahoken (Ali Cho) e Fulgini (Brahimi)

Marseille: López; Caleta-Car, Balerdi e Amavi (Luan Peres); Lirola (de la Fuente), Kamara (Gueye), Rongier e Harit (Guendouzi); Gerson, Dieng e Luís Henrique (Ünder)

Arbitragem: Ruddy Buquet

Um dos jogos mais aguardados da rodada, Angers e Olympique de Marseille frustraram a maioria das expectativas. Com muita correria, mas pouca inspiração, o placar não saiu do zero no Raymond Kopa. A falta de pontaria dos dois times foi um ponto a ser notado na partida. Dos 15 chutes (nove do Angers e seis do OM), só dois, um de cada lado, foram no alvo. O placar não poderia ter sido outro e o 0 a 0 atrapalhou os planos dos dois, que ficam com 12 e 14 pontos, respectivamente, distantes do líder PSG, que já soma 21.

Fora das quatro linhas, a partida ainda ficou marcada por dois fatos muito negativos. Ao término dos 90 minutos, as provocações entre as duas torcidas ultrapassaram os limites e houve confronto nas arquibancadas do Raymond Kopa. Os seguranças tiveram trabalho para conter a confusão. Mais tarde, um torcedor do OM, que foi ao jogo, morreu em um acidente automobilístico enquanto voltava para casa. O clube lamentou através de seus perfis oficiais.


Lorient 1×0 Nice

Lorient: Nardi; Hergault, Mendes, Laporte, Jenz e Goff; Le Fée (Diarra), Monconduit e Abergel; Moffi (Igor Silva) e Grbic (Lauriente)

Nice: Benítez; Atal (Lotomba), Todibo (Daniliuc), Dante e Bard; Boudaoui (Guessand), Rosario, Thuram (Schneiderlin) e Kluivert (Stengs); Delort e Gouiri

Arbitragem: Romain Lissorgue

Gol: 1×0 Monconduit, aos 23/1º;

No Brasil, torcedores do Atlético Mineiro chegaram a criar, anos atrás, a rima “Caiu no Horto, tá morto”, fazendo referência a força do Galo quando jogava em casa. Certamente, a torcida do Lorient está pensando em algo com relação ao poderio dos Merlus no Estádio Yves-Allainmat. Depois de derrotar Monaco e Lille, times que ficaram no pódio na temporada passada, o time dirigido por Christophe Pélissier fez mais uma vítima na Bretanha: o Nice, que estava invicto na Ligue 1.

Lorient segue com 100% de aproveitamento em casa | Foto: Imago / OneFootball

O único gol da partida saiu num vacilo extremamente inacreditável da defesa do Nice. Em falta lateral pela direita, Le Fée enganou todo mundo e rolou para a entrada da área, onde Monconduit estava livre. Com o pé calibrado, ele acertou um chute colocado, no ângulo de Benítez, e correu para o abraço, aos 23 minutos.

Na etapa final, Gouiri perdeu a chance de deixar tudo igual. Laporte cortou cruzamento com a mão e, após revisão no vídeo, o árbitro Romain Lissorgue marcou pênalti. O camisa 11 do Nice foi para a cobrança, mas mandou para fora. Pela segunda rodada consecutiva, o destaque ofensivo dos Aiglons deixa a desejar em um tiro da marca da cal.

Outro lance impressionante da partida envolveu Andy Delort. Mendes recuou errado, o argelino retomou a bola, driblou Nardi, mas não quis chutar de pé canhoto, girou o corpo para bater de direita e acabou acertando o travessão.

Mesmo jogando com um a mais nos minutos finais após a expulsão de Jenz, o time dirigido por Christophe Galtier não conseguiu furar a barreira de Nardi e foi derrotado pela primeira vez na temporada. O Lorient, com 100% de aproveitamento em casa, está em 5º, com 12 pontos, a frente do próprio time rubro-negro, que caiu para 7º.


Metz 1×2 Paris Saint-Germain

Metz: Oukidja; Centonze, Bronn, Kouyate e Udol; Gueye (Boulaya), Sarr, Maiga, Pajot (Traoré) e Yade (Niakate); Niane (De Préville)

PSG: Navas; Hakimi, Marquinhos, Kimpembe e Nuno Mendes (Draxler); Rafinha (Herrera), Danilo, Wijnaldum (Di María); Neymar; Mbappé e Icardi

Arbitragem: Jérémie Pignard

Gols: 0x1 Hakimi, aos 5’/1º; 1×1 Kouyate, aos 39’/1º; 1×2 Hakimi, aos 45+4’/2º;

Sem Lionel Messi, coube a Hakimi resolver a parada pro PSG, que venceu o Metz e manteve os 100% de aproveitamento na Ligue 1. Com sobras, o time de Mauricio Pochettino lidera o Francês com 21 pontos em 21 disputados, enquanto os Granadas seguram a lanterninha, com 3 pontos e nenhuma vitória conquistada.

Mesmo fora de casa, o Paris abriu o placar no Saint-Symphorien logo aos 5 minutos. Mbappé lançou Icardi, que tocou na saída de Oukidja. Udol cortou em cima da linha, mas não conseguiu impedir que Hakimi marcasse no rebote. O defensor chegou a cortar a bola, só que já dentro do gol. O empate veio aos 39, com Kouyate, de cabeça, e a virada só não chegou porque Navas impediu o gol de Niane no minuto final.

E depois de um segundo tempo tenso, com muitas faltas, discussões, quatro cartões amarelos e um vermelho para o Metz, o PSG foi arrancar a vitória aos 49 minutos, novamente com Hakimi. Acionado por Neymar, o marroquino cortou para o pé esquerdo e chutou colocado para o fundo das redes, marcando o gol da sétima vitória parisiense.


Lyon 3×1 Troyes

Lyon: Lopes; Malo Gusto (Dubois), Diomande, Denayer e Emerson Palmieri; Caqueret, Bruno Guimarães; Shaqiri (Cherki), Lucas Paquetá e Aouar (Toko Ekambi); Slimani (Dembélé)

Troyes: Gallon; Azamoum (El Hajjam), Giraudon e Sandler (Touzghar); Kabore (Dingome), Kouame, Chavalerin e Biancone; Baldé, Ripart (Roberts) e Rodrigues

Arbitragem: Stephanie Frappart

Gols: 0x1 Chavalerín, aos 45’/1º; 1×1 Shaqiri, aos 3’/2º; 2×1 Emerson Palmieri, aos 27’/2º; 3×1 Lucas Paquetá, aos 42’/2º;

Após a dolorida derrota em Paris, para o PSG, o Lyon contou com o apoio do torcedor para voltar a vencer na Ligue 1. Em casa, o OL saiu atrás do Troyes, mas teve forças para reagir e virou para 3 a 1. Foi a terceira vitória da equipe de Lucas Paquetá e Bruno Guimarães, que chegou à 6ª colocação, com 11 pontos. O ESTAC é o 17º, com 5.

No primeiro tempo, o destaque foi o goleiro Gallon, que fez ao menos três defesas importantes nos minutos iniciais e impediu que o Lyon abrisse o placar. Na frente, o Troyes foi competente e balançou as redes com Chavalerín na única subida ao ataque antes do intervalo. A sorte dos visitantes acabou ali mesmo e o OL voltou para o segundo tempo com os pés calibrados. Aos 3, Shaqiri desencantou com a camisa dos Gones e empatou num belo chute colocado, enquanto Emerson Palmieri virou aos 27. Nos minutos finais, foi a vez de Paquetá fechar a conta, marcando o terceiro do triunfo dos comandados de Peter Bosz.


Lens 0x1 Strasbourg

Lens: Leca; Gradit, Danso e Medina; Clauss (Machado), Doucouré (Da Costa), Fofana, Frankowski; Cahuzac (Sotoca); Ganago (Kalimuendo) e Saïd (Wooh)

Strasbourg: Sels; Guilbert, Djiku, Le Marchand e Caci; Aholou (Sissoko), Prcic (Perrin) e Gameiro; Ajorque e Diallo (Thomasson)

Arbitragem: Jeremy Stinat

Gol: 0x1 Ajorque, aos 22’/2º;

Após um começo de temporada confuso, o Strasbourg começou a se encontrar sob a batuta de Julien Stéphan e diante de um embalado Lens, venceu em pleno Bollaert-Delelis. Ludovic Ajorque, aos 22 minutos do segundo tempo, foi o autor do solitário gol da terceira vitória do RCSA nas últimas quatro rodadas. A equipe da Alsácia já soma 10 pontos, na 9ª colocação.

Mas é bom ressaltar que essa partida no norte da França teve uma senhora contribuição da arbitragem em favor da equipe visitante. Logo aos 5 minutos da segunda etapa, Kevin Danso dividiu a bola na lateral direita de defesa com Caci, atingiu primeiro a bola e depois se chocou com o jogador adversário. O árbitro Jeremy Stinat não quis nem saber e expulsou o zagueiro. O Lens, obviamente, ficou inconformado e até ironizou no Twitter: “novidades, parece que o VAR está chegando em breve na Ligue 1”.

O fato é que a derrota impediu o time Sangue e Ouro de assumir a vice-liderança da Ligue 1, já que o empate de Angers e Marseille foi um resultado que o ajudou. Com a derrota, precisa se contentar com o 3º lugar, com 12 pontos.


Seleção da rodada:

Rennes e PSG dominaram a seleção da rodada

Saiba mais sobre o veículo