Özil sonhava ir para o Barcelona, mas falta de sinal de Guardiola o fez desistir | OneFootball

Özil sonhava ir para o Barcelona, mas falta de sinal de Guardiola o fez desistir

Logo: Trivela

Trivela

O meia Mesut Özil era considerado um dos grandes talentos do mundo em 2010. Naquele ano, ele brilhou com a seleção alemã na Copa do Mundo da África do Sul, em que os alemães foram os terceiros colocados. Ele se transferiu para o Real Madrid, onde ficou por três anos. Aos 32 anos, atualmente no Fenerbahçe, o meia confessou em biografia que sonhava ir para o Barcelona, mas acabou indo para o rival por não sentir a confiança de Pep Guardiola, treinador dos catalães na época.

“Depois da Copa de 2010, na África do Sul, eu considerava cinco clubes. O Arsenal já estava interessado, assim como o Manchester United. Bayern de Munique, Barcelona e Real Madrid também”, conta o meia no livro “The Magic of the Game”, lançada em 2017. Na época, Özil era jogador do Werder Bremen e o clube estava em uma situação difícil: a estrela em ascensão tinha só um ano de contrato. Assim, atraiu a atenção de muitos clubes, que viram ali a oportunidade.

De acordo com o meia alemão, houve negociações com o Bayern primeiro. “Meu empresário se encontrou com o Bayern. Os chefes disseram a ele o que planejavam fazer comigo e como planejavam me utilizar”, contou o jogador, que disse que a mudança para a Baviera não o agradava tanto. “Em 2010, o Bayern ainda estava muito distante de Barcelona e Real Madrid”.

Os dois clubs espanhóis eram o principal alvo do meia. “Antes de ir para Barcelona pessoalmente, estava convencido que iria para lá. Ao menos a tendência estava claramente apontando nessa direção. Nenhum time estava jogando um futebol melhor naquele momento”, contou Özil. Mas a situação mudaria depois das rodadas de negociações.

“A ausência de Pep Guardiola me fez pensar. Quando meu agente e eu voamos de volta de Barcelona, eu ficava me perguntando: Por que o técnico não estava lá?”, conta o jogador. Segundo seu empresário, Guardiola estava de férias na época e, por isso, não teria participado daquela primeira reunião.

O problema, para Özil, é que o treinador não deu qualquer sinal que queria contar com ele no elenco. “Guardiola não me ligou nos dias seguintes. Ele não me mandou nem uma mensagem de texto. Não me mandou nenhum sinal que me queria lá também. Como resultado, meu entusiasmo pelo Barcelona foi caindo pouco a pouco”, confessou.

Enquanto isso, em Madri, o técnico José Mourinho mantinha contado frequente com o meia para convencê-lo a jogar na capital espanhola. “No final das contas, não quis ir para o Barcelona por causa do comportamento de Guardiola. Especialmente porque Mourinho lutou muito duro ao mesmo tempo. Ele era muito convincente. Muito caloroso. Lutou muito. Ele era o completo oposto do técnico do Barcelona. Então escolhi José Mourinho e o Real Madrid”.

Os merengues, então, pagaram € 18 milhões para o Werder Bremen para contratar Özil. Inicialmente, o meia recebeu a camisa 23, mas na temporada seguinte conseguiu o seu número preferido, o 10. Nos três anos que ficou na capital espanhola, foram 159 jogos, 27 gols e 80 assistências. Em 2013, o alemão foi vendido ao Arsenal por € 47 milhões. Depois de perder espaço no clube de Londres, foi liberado para o Fenerbahçe, em janeiro de 2021. Pelo clube turco, são 26 jogos até aqui, com cinco gols marcados e duas assistências. Inicialmente, ao final da temporada 2020/21, ficou com a camisa 63, mas na atual temporada, 2021/22, recebeu a camisa 10, sua preferida.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo