O Patronato tirou o River da Copa Argentina, enquanto o Boca passou pelo Quilmes num jogo paralisado por briga de torcida | OneFootball

Icon: Trivela

Trivela

·29 de setembro de 2022

O Patronato tirou o River da Copa Argentina, enquanto o Boca passou pelo Quilmes num jogo paralisado por briga de torcida

Imagem do artigo:O Patronato tirou o River da Copa Argentina, enquanto o Boca passou pelo Quilmes num jogo paralisado por briga de torcida

A Copa Argentina definiu os seus semifinalistas nesta semana, e com uma rodada bastante tumultuada nesta quarta-feira. A grande decepção ficou por conta do River Plate. Os millonarios chegaram a marcar um gol olímpico, mas o empate por 2 a 2 não bastou e a equipe de Marcelo Gallardo acabou eliminada nos pênaltis pelo Patronato. Já o Boca Juniors avançou diante do Quilmes, num 3 a 2 em que os xeneizes precisaram buscar a virada. O duelo, entretanto, seria marcado pela confusão nas arquibancadas, que deixou feridos e provocou uma paralisação de 18 minutos. Boca e Patronato se pegarão numa semifinal, enquanto a outra terá o embate entre Banfield e Talleres. A Copa Argentina, vale ressaltar, adota o formato de jogos únicos em campo neutro.

Em temporada abaixo do que se viu nos últimos anos, o River Plate sofreu contra o Patronato, 12° do Campeonato Argentino, em La Rioja. Bruno Zuculini até abriu o placar para os millonarios num ótimo giro, mas os oponentes viraram o placar com Marcelo Estigarribia e Jonathan Herrera – ambos com cortesia do capitão Javier Pinola, que escorregou no primeiro e furou o corte no segundo. A igualdade por 2 a 2 no segundo tempo só foi garantida por um gol olímpico de Juan Fernando Quintero, em cobrança venenosa de escanteio que o goleiro Facundo Altamirano aceitou. O arqueiro do Patronato ao menos se redimiu na disputa por pênaltis. Defendeu o chute de Matías Suárez e viu Zuculini isolar a sua cobrança. Assim, a surpresa pôde vencer por 4 a 3 e avançar.

A torcida do Boca Juniors comemorava a desgraça do rival quando encarou o Quilmes em Mendoza. Também não seria simples a vitória por 3 a 2. Julián Bonetto abriu o placar para os azarões num chute de longe, mas Darío Benedetto e Javier Morales viraram para os xeneizes ainda no primeiro tempo. Luca Langoni fez o terceiro, até que o veterano Mariano Pavone descontasse para os cerveceros. O problema aconteceu pouco depois, quando a barra brava do Quilmes rompeu a divisória nas arquibancadas e tentou partir para cima dos torcedores do Boca. A polícia precisou intervir e objetos foram atirados em campo, inclusive ferindo a cabeça do chefe de segurança do Quilmes. Por conta da confusão, a arbitragem deu 21 minutos de acréscimos, o que não impediu a classificação dos boquenses. Na próxima fase, a equipe pegará o próprio Patronato.

Do outro lado da chave, o Banfield se classificou para a semifinal ao passar pelo Godoy Cruz. As duas equipes empataram por 1 a 1 no tempo normal, com Jesús Dátolo fazendo para o Banfield e Enzo Larrosa empatando para o Godoy Cruz depois de um pênalti perdido pela equipe. E o goleiro Facundo Cambeses seria mesmo o herói alviverde: depois de parar o penal no primeiro tempo, defendeu mais três cobranças na disputa final. O Taladro venceu por 3 a 1 na marca da cal e avançou. Já o Talleres ficou no 0 a 0 com o Independiente e se deu melhor nas penalidades, com o triunfo por 4 a 2.

Saiba mais sobre o veículo