O Hamburgo vence em pleno Estádio Olímpico e sai em vantagem nos playoffs contra o Hertha | OneFootball

O Hamburgo vence em pleno Estádio Olímpico e sai em vantagem nos playoffs contra o Hertha

Logo: Trivela

Trivela

Os playoffs de acesso/rebaixamento da Bundesliga nesta temporada reúnem dois clubes de peso. Enquanto o Hamburgo finalmente tem uma grande chance de subir, após amargar a quarta colocação da segundona por três anos seguidos, o Hertha Berlim se vê à beira do abismo em seu malfadado projeto endinheirado. A partida de ida aconteceu nesta quinta, no Estádio Olímpico de Berlim, a casa do time da elite. E os Dinossauros prevaleceram desde já. O Hamburgo foi superior e venceu por 1 a 0, levando a vantagem para o reencontro no Volksparkstadion. Um empate garante o acesso do HSV e a queda do Hertha, patético na atuação desta quarta.

O Hamburgo não se intimidou com o ambiente no Estádio Olímpico e era melhor durante os primeiros minutos. Não criava muita coisa, mas tinha mais iniciativa, contra um Hertha Berlim que vinha com algumas novidades na escalação de Felix Magath- incluindo o goleiro Oliver Christensen e o atacante Luca Wollschläger, dois jovens que nunca tinham aparecido no 11 inicial. Era uma partida compreensivelmente tensa. E bastante inflamada, também, pelo barulho que vinha das arquibancadas. O Hertha cresceu a partir dos 15 minutos e aumentou a pressão sobre os Dinossauros. Não que criassem tanto, também. Entre as alternâncias, o HSV voltou a ter seu momento e contava com a participação de Bakery Jatta, mas pouco acerto na hora de tentar o passe final.

A primeira boa chance veio aos 32, para o Hamburgo. Robert Glatzel bateu e parou no goleiro Christensen, que defendeu com o pé. Ainda existiam dúvidas sobre um pênalti de Peter Pekarik, mas a arbitragem não marcou. A reta final da primeira etapa ficou mais aberta, com Glatzel mandando a bola pelo lado de fora da rede. Já o Hertha seria frustrado pelo apito aos 44. Ishak Belfodil anotou de cabeça, mas estava impedido e o lance foi anulado. Era um mero espasmo da Velha Senhora, numa atuação para desanimar seus torcedores.

O Hertha Berlim voltou para o segundo tempo com mudança e Felix Magath botou Stevan Jovetic no ataque. Os berlinenses melhoraram com a troca e se apresentavam mais à frente, com boa participação de Jovetic. O Hamburgo tentava encaixar um contra-ataque. E, com uma pitada de sorte, os Dinossauros abriram o placar aos 12. Ludovit Reis recebeu na esquerda e tentou o cruzamento. A bola pegou efeito e encobriu o goleiro Christensen, terminando nas redes. Meio sem querer, mas um golaço, e valiosíssimo ao HSV.

O Hertha tentou uma resposta imediata, com uma boa jogada de Belfodil, mas o goleiro Daniel Heuer Fernandes salvou. O Hamburgo passava a jogar nos contragolpes e conseguia ser até mais perigoso, com a defesa berlinense precisando de atenção. Sonny Kittel aparecia pelo HSV e assustou num tiro por cima do travessão aos 34. O Hertha sequer conseguia exercer um abafa. A apatia da Velha Senhora era assustadora, como um time entregue ao próprio destino. Terá agora mais 90 minutos para tentar mudar isso.

A partida de volta acontece na próxima segunda-feira, no Volksparkstadion. O Hamburgo possui uma excelente vantagem, podendo empatar diante de sua torcida. Até pelo momento de ascensão, que possibilitou seu salto de qualidade na segundona, os Dinossauros são favoritos. Estava claro que o antepenúltimo colocado da primeira divisão não teria vida fácil nesses playoffs, até pelo peso da camisa de quem tentava o acesso. O Hertha pagou para ver e parece pronto para ser rebaixado. Tem mais nomes badalados, o que não é suficiente há alguns anos.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo