O dia em que Lionel Messi "destruiu mentalmente" um campeão da Copa do Mundo | OneFootball

Icon: Stats Perform

Stats Perform

·21 de junho de 2021

O dia em que Lionel Messi "destruiu mentalmente" um campeão da Copa do Mundo

Imagem do artigo:O dia em que Lionel Messi "destruiu mentalmente" um campeão da Copa do Mundo

"Ele me destruiu mentalmente". É isso que Alessandro Nesta, campeão do mundo em 2006 com a Itália, que, como zagueiro, enfrentou alguns dos maiores atacantes do mundo, relatou de seu encontro com Lionel Messi, na Liga dos Campeões de 2011-12.

Alessandro Nesta foi um dos grandes defensores que pisou no gramados europeus, foi campeão da Copa do Mundo e multicampeão pelo Milan e pela Lazio. E foi pelo time milanês que, em 2011-12, o zagueiro enfrentou o Barcelona de Lionel Messi na Liga dos Campeões.

Na ocasião, Nesta, que defendia o Milan, já tinha 37 anos enquanto Messi vivia seu auge, tendo a sua mais artilheira temporada da carreira, com 73 gols marcados - tendo sido, com 14 tentos, o artilheiro da Champions League, vencida pelo Chelsea. O encontro com o seis vezes vencedor da Bola de Ouro, segundo o zagueiro, o empurrou para mais perto da aposentadoria, que veio apenas duas temporadas depois.

"Aos dez minutos eu chutei Messi e caí no chão exausto, pude ver as estrelas. Ele já estava me dando sua mão para me puxar para cima. Lá ele me destruiu mentalmente", disse o ex-jogador - e hoje treinador - ao Calciatori Brutti.

"Você entendeu? Eu estava no chão e quando, após dois segundos, abro os olhos, vejo seu rosto com a mão na frente que ele queria me ajudar a levantar. Ele me destruiu mentalmente ali", completou o italiano sobre Messi.

Além de Messi, Nesta também enfrentou outro dos grandes jogadores da história, Cristiano Ronaldo. Ter estado frente a frente com os dois, o coloca em posição de poder julgar, com embasamento, um dos debates mais acalorados do futebol: qual dos dois é melhor?

Perguntado, ele deu sua opinião: "Eu joguei contra Ronaldo e Messi. O pequeno (Messi) é fenomenal, mas o outro marca 40 gols por ano. Ambos são fortes, cada um à sua maneira. Eu prefiro não encontrar Messi entre os dois".