O decacampeão volta avassalador: Bayern tritura Frankfurt por 6×1 na abertura da Bundesliga | OneFootball

O decacampeão volta avassalador: Bayern tritura Frankfurt por 6×1 na abertura da Bundesliga

Logo: Trivela

Trivela

A partida inaugural da Bundesliga 2022/23 oferecia um duelo, teoricamente, aberto. O Bayern de Munique entrava em campo como atual decacampeão. O Eintracht Frankfurt, no entanto, parecia um bom desafio. As Águias atuavam diante do abarrotado Deutsche Bank Park, vinham embaladas pelo título da Liga Europa, fizeram uma boa janela de transferências. Chances de um revés logo de cara para os favoritos? Pelo contrário: os bávaros confirmaram a impressão de que, mesmo sem Robert Lewandowski, chegam mais fortes no plano coletivo. Foi um verdadeiro baile, com a goleada por 6 a 1. O primeiro tempo proporcionou a maior insanidade, com 17 finalizações dos visitantes e cinco gols, além de três bolas na trave. Jamal Musiala, mais uma vez, conseguiu se sobressair.

O Bayern entrou em campo num 4-4-2. O destaque ficava para o quarteto ofensivo, com Jamal Musiala e Thomas Müller na armação, além de Sadio Mané e Serge Gnabry soltos no ataque. Já o Eintracht Frankfurt contava com a estreia de Mario Götze, que aparecia no apoio a Rafael Santos Borré e Jesper Lindström no ataque.

Os primeiros minutos do Bayern foram alucinantes. A equipe pressionou intensamente na marcação e não deixou o Frankfurt respirar. O resultado foi um massacre desenhado logo cedo. O primeiro gol saiu aos cinco minutos. Num momento em que a fumaça da torcida tomava o gramado, Joshua Kimmich parecia cruzar uma falta para a área. Só parecia: resolveu bater direto e surpreendeu Kevin Trapp, mandando uma bola venenosa rente à trave. A fumaça também pareceu atrapalhar o arqueiro. E nem o gol contentou os visitantes, que permaneceram num ritmo muito alto.

Aos 11 minutos, já estava 2×0: depois de uma cobrança de escanteio, a bola ricocheteou na área e ficou limpa para Benjamin Pavard, que encheu o pé, sem chances para Trapp. O Eintracht Frankfurt finalmente teve um respiro depois disso. Esbarrou no azar. Aos 12, numa cobrança de escanteio, Tuta mandou uma cabeçada no travessão. A partida ficou mais aberta, com as Águias também se mandando ao ataque. Ainda assim, o terceiro gol dos bávaros era mais provável, com Musiala muito participativo. Mané também aparecia e ofereceu um contra-ataque limpo aos 23, através de um lindo passe. Serge Gnabry só rolou para o meio e, mesmo atrapalhado pela marcação, Thomas Müller desperdiçou um lance incrível, ao carimbar na trave. Foi quando a loucura tomou o campo. Logo depois, Jesper Lindström fez fila e falhou apenas na finalização, errando o alvo diante de Neuer. Não pararia por aí, com uma pancada de Musiala que Trapp desviou contra a trave. Gnabry ainda foi bloqueado no rebote.

Quando o gol finalmente saiu, seria o terceiro do Bayern, aos 29. Num ataque aberto, Gnabry deu o passe por elevação e Mané não teve dificuldades para definir. A reação do Frankfurt parecia mais difícil, especialmente pela forma como sua defesa estava arreganhada. Mané mandou uma bola no travessão após passar por Trapp aos 33. Dois minutos depois, saiu o quarto, numa troca de passes envolvente. Após a enfiada de Mané, Müller só serviu o arremate tranquilo de Musiala. Neste momento, as Águias estavam na lona e os bávaros levavam o jogo com leveza. Já o quinto saiu aos 45. Müller virou um grande passe, que deixou Gnabry sozinho com Trapp. O atacante tocou por baixo do goleiro e adicionou o seu à contagem.

O Frankfurt voltou para o segundo tempo com três mudanças, incluindo Randal Kolo Muani no ataque. A equipe adotava uma postura mais cautelosa, mas o Bayern também tirou o pé do acelerador. Assim, dava para diminuir o prejuízo. As Águias balançaram as redes aos 10, num passe de Mario Götze que Neuer rebateu e Kristijan Jakic marcou, mas o lance acabou anulado por impedimento. Já os bávaros mudaram, com Marcel Sabitzer dando lugar a Ryan Gravenberch. Kolo Muani mostrava vontade e seria ele o responsável pelo gol de honra, aos 17. Foi um desastre de Neuer, que tentou driblar fora da área e perdeu a bola para o centroavante, fazendo com enorme facilidade.

O Bayern colocaria logo depois Mathys Tel e Leroy Sané, mas nem era preciso muito esforço. O Frankfurt ainda tinha bons escapes nos contragolpes, com a velocidade de Kolo Muani e também o apoio de Angsar Knauff. Ainda assim, os bávaros eram mais perigosos. Sané quase marcou mais um aos 29, mas Trapp saiu em seus pés. E em meio a uma sequência de substituições, Musiala coroou sua grande atuação com o sexto gol, aos 38. Sané deu um passe excepcional pelo meio da defesa e Musiala saiu livre para definir diante de Trapp. Fim do baile. O árbitro sequer deu acréscimos. Nas arquibancadas, apesar de tudo, a torcida do Frankfurt festejava o amor pelo clube.

Para quem tinha dúvidas sobre a situação do Bayern sem Lewandowski, a resposta é contundente. Coletivamente o time funcionou muito bem e reforçou ainda mais a impressão deixada na Supercopa. O entendimento é excelente e, pelo que foi o primeiro tempo, o placar poderia ter sido maior. Já ao Frankfurt, fica o choque de realidade depois da conquista da Liga Europa. O clube contratou bem e pode lutar pelo G-4 na Bundesliga. Mas precisa melhorar bastante, especialmente a proteção defensiva.

.

Saiba mais sobre o veículo