Mbappé decide contra a Dinamarca, França vence e quebra maldição de campeões que caem na primeira fase | OneFootball

Icon: Trivela

Trivela

·26 de novembro de 2022

Mbappé decide contra a Dinamarca, França vence e quebra maldição de campeões que caem na primeira fase

Imagem do artigo:Mbappé decide contra a Dinamarca, França vence e quebra maldição de campeões que caem na primeira fase

A França é a primeira seleção classificada para as oitavas de final da Copa, com uma rodada de antecedência. Venceu a Dinamarca por 2 a 1 neste sábado, pelo Grupo D da Copa do Mundo. É a primeira seleção a garantir a sua classificação no Catar. A vitória veio, em grande parte, a Kylian Mbappé, decisivo na partida com dois gols, embora a seleção francesa tenha muitos destaques, como Antoine Griezmann, mais uma vez muito bem, com passes importantes e como grande articulador. A França ainda quebra um tabu: desde 2010, todos os campeões do mundo anteriores caíram na fase de grupos. Os Bleus estarão no mata-mata para tentar o bicampeonato.

Em 2010, a Itália, campeã em 2006, caiu na primeira fase em um grupo que tinha Paraguai, Nova Zelândia e Eslováquia. Em 2014, a Espanha, campeã em 2010, foi eliminada na primeira fase em um grupo com Holanda, Chile e Austrália. Em 2018, a Alemanha, campeã em 2014, foi lanterna do seu grupo, que tinha Suécia, México e Coreia do Sul. O último campeão vigente a passar da fase de grupos era o Brasil, campeão em 2002, que foi até as quartas de final em 2006, quando caiu justamente para a França, do então capitão e craque Zinedine Zidane.

Escalações

O técnico Didier Deschamps trouxe três alterações para o time em relação à estreia. Entrou o zagueiro Raphaël Varane no lugar de Ibrahima Konaté, Jules Koundé foi escolhido para a lateral direita no lugar de Benjamin Pavard e Theo Hernández começou o jogo no lugar de Lucas Hernández, seu irmão, que se machucou no último jogo. Theo já tinha sido o escolhido para entrar ainda no primeiro tempo da estreia, quando houve a lesão.

A Dinamarca de Kasper Hjulmand veio bastante modificada para a partida. Na defesa, saiu o capitão Simon Kjaer e entrou Victor Nelsson, que faz ótima temporada pelo Galatasaray. No meio-campo, Thomas Delaney se machucou na estreia e não pode jogar nesta partida. O técnico aproveitou para sacar também os dois atacantes, Andreas Skov Olsen e Kasper Dolberg. No lugar desses três, entraram Jesper Lindstrom e Mikkel Damsgaard como meias e Andreas Cornelius como centroavante.

Primeiro tempo

Aos 19 minutos, a França puxou contra-ataque e Kylian Mbappé levava vantagem na velocidade quando foi derrubado por Christensen. NA cobrança da falta, jogada ensaiada de Griezmann tocando na direita para Dembélé cruzar e Rabiot tocar de cabeça e exigir ótima defesa de Kasper Schmeichel.

Em uma chegada perigosa aos 29 minutos, Mbappé arrancou pelo lado esquerdo, foi até a linha de fundo e cruzou, a bola sobrou para Koundé finalizar, para defesa do goleiro Schmeichel.

A França partiu para cima e, mesmo sem ter conseguido uma finalização limpa, levou muito risco em várias finalizações bloqueadas nas imediações da área ou mesmo dentro dela. Quem mantinha a Dinamarca intacta no jogo era o goleiro Schmeichel. A Dinamarca não chegava com a mesma frequência, mas buscava dois jogadores em particular: a bola curta com Christian Eriksen e a bola longa com Joakim Maele. Eram suas duas jogadas mais perigosas.

No fim, o primeiro tempo terminou dando a sensação que a França fez muito mais para sair o gol. Criou chances que já poderiam ter colocado os Bleus em vantagem. Apesar disso, a Dinamarca mostrava que tinha armas para fazer mais. Precisava ter um maior domínio do meio-campo.

Segundo tempo

Para o segundo tempo, o técnico Kasper Hjulmand fez uma mudança: sacou Andreas Cornelius e colocou Martin Braithwaite. Mais móvel e mais habilidoso que Cornelius, era uma opção melhor para armar contra-ataques, trabalhar mais as jogadas, uma vez que o time não criava jogadas para aproveitar o potencial físico de Cornelius pelo alto, por exemplo.

Com 11 minutos, um terror para os adversários: Mbappé girou sobre Anderen na linha do meio-campo, ele avançou e ninguém mais pegava. Ele pedalou para cima da marcação e bateu firme para o gol e Schmeichel precisou espalmar para escanteio.

A França teve uma chance clara aos 14 minutos. Um lançamento longo de Tchouaméni, que achou um lindo lançamento para Griezmann, que dominou no peito e finalizou de pé esquerdo, que é o seu bom, mas mandou fora. Pegou mal na bola e desperdiçou a chance.

Em seguida, a França chegou de novo e, desta vez, não teve quem impedisse o gol. Theo Hernández começou o ataque acionando Mbappé. O atacante esperou a passagem do lateral e fez o passe para ele. Na linha de fundo, Theo Hernández fez o passe para trás e Mbappé bateu de primeira, de muito perto, e com um leve desvio na defesa, o que não deu chance de defesa para o goleiro Kasper Schmeichel: 1 a 0, aos 15 minutos.

O técnico francês, Didier Deschamps, colocou em campo Marcus Thuram no lugar de Olivier Giroud, apagado na partida. A aposta era em um atacante mais móvel para atuar no centro do ataque.

A Dinamarca conseguiu o empate pouco depois. Em cobrança de escanteio da direita, Andersen desviou na primeira trave e Andreas Christensen chegou no meio da área para rocar de cabeça e colocar no fundo da rede: 1 a 1, aos 22 minutos.

O técnico Kasper Hjulmand fez uma mudança importante ao colocar Kasper Dolberg no lugar de Damsgaard, que não conseguiu fazer boa partida. Os franceses também mudaram com as entradas de Ibrahima Konaté e Kungsleyh Coman nos lugares de Varane e Dembélé.

A França emendou duas grandes chances. Primeiro, em cruzamento de escanteio da direita, Tchouaméni mergulhou de cabeça na pequena área, mas não pegou bem na bola, que saiu. Em seguida, em cruzamento da esquerda, Rabiot pegou de primeira, de voleio, mas mandou fora.  Foi a vez da Dinamarca assustar aos 35 minutos. Dolberg correu pela direita, conseguiu o cruzamento rasteiro e Braithwaite pegou de primeira para levar perigo, mas mandar para fora.

Só que a França tinha Mbappé e ele decidiu o jogo. Koundé fez um ótimo lançamento para Coman na direita, a bola ficou com Griezmann, que cruzou para a segunda trave, onde estava Mbappé para completar para o gol com o corpo, atacando a bola e balançando as redes: 2 a 1 para os Bleus e terceiro gol do atacante francês nesta Copa.

Ficha técnica

França 2×1 Dinamarca

Local: Estádio 974, em Ras Abu AboudÁrbitro: Szymon Marciniak (Polônia)Gols: Kylian Mbappé duas vezes (França), Andreas Christensen (Dinamarca)Cartões amarelos: Jules Koundé (França), Andreas Christensen, Andreas Cornelius (Dinamarca)Cartões vermelhos:

França: Hugo Lloris; Jules Koundé, Raphaël Varane (Ibrahima Konaté), Dayot Upamecano e Theo Hernández; Aurélien Tchouaméni e Adrien Rabiot; Ousmane Dembélé (Kingsley Coman), Antoine Griezmann (Youssouf Fofana) e Kylian Mbappé; Olivier Giroud (Marcus Thuram). Técnico: Didier Deschamps

Dinamarca: Kasper Schmeichel; Joachim Andersen, Andreas Christensen e Victor Nelsson; Rasmus Kristensen (Alexander Bah), Pierre-Emile Hojbjerg, Christian Eriksen e Joakim Maele; Jasper Lindstrom (Christian Norgaard) e Mikkel Damsgaard (Kasper Dolberg); Andreas Cornelius (Martin Braithwaite). Técnico: Kasper Hjumand

Saiba mais sobre o veículo