Lucas Silva um dos melhores, Diego Souza ficou devendo e Bitello Sumido marcam mais um empate do Grêmio | OneFootball

Lucas Silva um dos melhores, Diego Souza ficou devendo e Bitello Sumido marcam mais um empate do Grêmio

Logo: JB Filho Repórter

JB Filho Repórter

  • O primeiro tempo não foi nada legal. O Grêmio além de não jogar bem, ainda poderia ter tomado mais. Eles tiveram três chances muito boas. Além do gol do 1 x 0, o Gabriel Grando quase deu um gol errando uma saída de bola, mas depois se redimiu buscando uma bola que iria no cantinho, lá em baixo. Ou seja, três chances muito boas pro CSA.
  • O gol deles foi de cabeça, no escanteio curto, com o cara entrando de fora da área, como elemento surpresa. Me pareceu um movimento claramente treinado. Eles sabem que o grêmio faz marcação por zona e a melhor saída pra isso é chegar alguém correndo no espaço vazio. Geromel poderia ter salvado o lance, não conseguiu. mas penso que foi muito mais mérito deles.
  • A duas únicas grandes oportunidades foram com o Lucas Silva e Diego Souza. Lucas chutou de fora da área e obrigou o Carné a fazer bela defesa. E isso porque eles entregaram a bola. Não foi uma jogada construída.
  • A única jogada construída foi uma chegada do Rodrigo Ferreira na linha de fundo, com o Diego Souza torneando na pequena área, mas o Carné fez milagre. Olha, baita defesa dele. Claro que o centroavante errou, porém, é preciso registrar o que fez o goleiro deles.
  • No segundo tempo, a situação mudou bastante. Roger tirou um zagueiro e colocou Campaz em campo. A mudança tática fez o Grêmio ir mais pra cia e roubar bem mais bolas no campo de ataque.
  • Claro que teve um fato que ajudou muito nisso que foi o empate ter saído aos 40 segundos de bola rolando da segunda etapa. Biel cruzou, o zagueiro deles ajudou cortando mal e o Janderson apareceu no segundo poste. Sorte com competência de tentar. Isso melhora o Grêmio.
  • Diria que isso e o preparo físico. Ficou bem claro que o Grêmio tinha mais pernas e ganhava na questão física do CSA. Por alguns bons minutos, o Tricolor estava melhor. Só foram equilibrar a partida novamente quando o técnico deles fez várias trocas. Isso deixou as coisas mais equilibradas.
  • E, dentro desse jogo equilibrado, qualquer uma das equipes poderia ter feito o gol da vitória.
  • Diego Souza cabeceou uma, sozinho, escolhendo o canto, testou bonito, pra baixo, mas foi pra fora. Chance clara de gol.
  • Depois, Campaz perdeu um incrível também. Elias puxou um contra-ataque, abriu pro Campaz, que chegou a driblar o goleiro e não conseguiu meter pra rede porque ficou sem ângulo.
  • Pelo lado deles, teve uma bola no travessão, que iria encobrir o Gabriel, teve finalização de dentro da pequena área e cabeceio que o Bruno Alves salvou com o peito porque iria entrar. Enfim, os dois lados tiveram suas chances.
  • Óbvio que não é o ideal, mas esse é o Grêmio. Não exijo mais muito além do que já vimos.

Lucas Uebel/Grêmio

  • Falando pontualmente de alguns jogadores, é preciso ver a situação do Bitello. Ele sumiu nos últimos jogos. O Lucas Silva jogou sozinho no meio. Era ele contra o mundo. Não vou aqui decretar que ele é banco ou que era só uma fase boa no começo. Calma. É assim, o cara tá se adaptando. Mas penso que tem que ter atenção com ele. Ver o que acontece pra queda e tentar ajudar.
  • Isso é bem normal. O Elias entrou e quase deu a assistência que seria o gol da vitória, no lance do Campaz. É assim. Não tem jeito.
  • Diego Souza, que tantas vezes salvou, poderia ter ido melhor nessa noite. Duas grandes oportunidades perdidas de cabeça. Ficou devendo o dele dessa vez.
  • São sete empates e só cinco vitórias. Tem mais empates que vitórias. É verdade que foram somente duas derrotas, tudo certo, agora, é muito empate.
  • Agora, o negócio é torcer pro Sport não vencer o Brusque, sábado, no Recife. Um empate já serve. Se eles venceram, o Grêmio deixa o G4 novamente.

Lucas Uebel/Grêmio

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo