Jogadores da Dinamarca revelam que retomada do jogo contra Finlândia não partiu deles

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwww.gazetaesportiva.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fimagem%2F2021%2F06%2F14%2F000_9BZ2UK-scaled.jpg&q=25&w=1080

O goleiro Kasper Schmeichel e o atacante Martin Braithwaite lamentaram publicamente, nesta segunda-feira, o modo que a partida entre Dinamarca e Finlândia foi retomada, após o mal súbito de Eriksen na primeira etapa do confronto.

Os jogadores afirmaram que, diferentemente do que foi passado ao público, não foi exatamente uma escolha deles retomar o jogo pouco tempo depois do chocante acontecimento. “Fomos colocados em uma posição na qual, pessoalmente, acho que não deveríamos ter sido colocados”, disse Schmeichel em entrevista coletiva.

“Tínhamos duas opções: jogar no dia seguinte (domingo) ao meio-dia ou retomar o jogo. Alguém de maior hierarquia tinha que falar que não era hora de tomar essa decisão e que provavelmente deveríamos esperar até o dia seguinte para decidir”.

O atacante do Barcelona, Braithwaite, reforçou essa posição. “Gostaríamos de ter tido uma terceira opção. Não foi um desejo, mas a menos pior das opções”.

Eriksen se encontra em estado estável e já conversou com seus companheiros de seleção. “Ele disse com suas palavras que devemos estar felizes com o jogo de quinta-feira (contra a Bélgica). Significa muito”, disse o volante Pierre-Emile Hojbjerg, que também estava na coletiva.

Eriksen, via empresário, revelou que está bem e que vai buscar entender o que aconteceu. O atleta permanecerá em observação pelo menos até terça-feira. A Dinamarca perdeu para a Finlândia por 1 a 0 e neste momento está na terceira colocação do grupo B.

Saiba mais sobre o veículo