Inter tomou um 3 x 0 merecido do Fortaleza! Tem que aceitar e não pode falar nada! | OneFootball

Inter tomou um 3 x 0 merecido do Fortaleza! Tem que aceitar e não pode falar nada!

Logo: JB Filho Repórter

JB Filho Repórter

  • Nem a desculpa de jogar com um time reserva serve. O Inter jogou com um a mais desde os 30 minutos do primeiro tempo. E conseguiu levar três gols depois disso. Não há explicação. A delegação vai voltar com um 3 x 0 merecido nas costas, mas que é duro aceitar.
  • Só não vou dizer que é inacreditável porque o Fortaleza estava na zona do rebaixamento. A rotina colorada é essa: ganhar dos que estão em alta e perder para os que estão em baixa. Isso vem desde 1909 mais ou menos.
  • O resultado coloca o Inter em sétimo, a 12 pontos do líder Palmeiras, que por óbvio não tem mais como ser alcançado, e três do Flamengo, primeiro time no G4.

Ricardo Duarte/Inter

  • Bom, Mano preserva os titulares. Só Bustos e Vitão dente os titulares. Mas ele segue num 4-2-3-1, com a mesma maneira de jogar e dá ritmo para nomes como Alan Patrick e Braian Romero. Ou seja, tinha caras bons em campo. Não era só gurizada.
  • E os primeiros 30 minutos foram de muita posse de bola do Inter, que tinha a bola, mas não conseguia penetrar. Parecia que era jogo no Beira-Rio. De um time só atacando.
  • O problema foi a expulsão do Fortaleza. Isso melhorou o time dos caras. É isso mesmo. Melhorou. Eles se fecharam, saiam no contra-ataque e o Inter empilhava faltas. Foi como se o time fosse todo pra frente, achando que tinha obrigação de vencer de qualquer jeito e o contra-ataque veio.
  • Resultado? Em uma falta desnecessária do Johnny, Lucas Crispim guardou um baita gol de falta. 1 x 0 no final do primeiro tempo.
  • Mano volta do intervalo com quatro mudanças. Tirou caras como Liziero e David, que mais uma vez não conseguiram jogar. Incrível a dificuldade destes dois.
  • Mas, vamos lá, confesso que, com as mudanças, eu, e imagino que todo mundo, imaginou que o cenário seria diferente na segunda etapa. Baita engano. Seguiu quase igual, um pouco pior até.
  • Pior porque nenhum dos quatro que entraram conseguiram melhorar. Nem Taison, pela ponta-esquerda, nem Edenilson, Alemão ou Renê, na lateral. Nada.
  • E, pra completar, Kaique Rocha sentiu, teve que sair, De Pena entrou no meio e Jhonny veio ser zagueiro. Pra quê? Ficou uma confusão. O gol do 2 x 0 é uma jogada de lateral, em que o carinha gira em cima do Jhonny e do Vitão.
  • Depois disso, virou uma bagunça. Mano que sempre diz que não pode desorganizar independente do que acontecer, deve ter surtado por dentro porque foi uma desordem só. O time ia pro ataque, não conseguia trocar passes, perdia a bola e não voltava pra defesa. Bagunçado quando ia e quando voltava.
  • Aos 31, Robson entra a dribles e erra o chute, depois saiu na cara do Keiller, que defendeu de joelhos e, no final, conseguiu receber uma bola pra driblar o goleiro e empurrar pro gol. Daqueles lances de “só não entrou bom bola e tudo porque teve humildade”.
  • O Inter mereceu demais a derrota. Conseguiu piorar a cada momento do jogo. Foi mal por só ter a bola e não penetrar no começo, pior por fazer muitas faltas logo após a expulsão e por deixar virar uma “pelada” após tomar o 2 x 0. Um time completamente desequilibrado dessa vez.
  • Ah, e nem venham culpar o Keiller, hein? A culpa não pode ser do goleiro por todo mundo tá na cara dele a todo momento. Aliás, é o que eu sempre falo do Daniel, todo jogo estão na cara dele. Quando não faz milagre, reclamam. Não consigo entender.
  • A real é que tem que voltar para Porto Alegre na boa, sem reclamar, aceitar que foi pior e focar no Melgar. Depois, tenta ir pro G4 e salvar a campanha do Brasileiro.

Ricardo Duarte/Inter

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo