Golaço de De Bruyne foi a diferença para a vitória do Manchester City sobre o Chelsea | OneFootball

Golaço de De Bruyne foi a diferença para a vitória do Manchester City sobre o Chelsea

Logo: Trivela

Trivela

O Manchester City conseguiu uma vitória importantíssima na disputa pelo título da Premier League: venceu o Chelsea por 1 a 0 no Estádio Etihad e ampliou a vantagem na primeira posição para 13 pontos em relação ao rival enfrentado. Foi o mesmo resultado do primeiro turno, mais uma vez mostrando a força da equipe que lidera com sobras o Campeonato Inglês. Em um jogo muito equilibrado, com os dois times tendo suas chances, quem aproveitou foi Kevin De Bruyne, autor do belo gol que decidiu o confronto.

Pep Guardiola escalou o time com uma formação bastante leve, como se tornou habitual. No meio-campo Rodri ao lado de Bernardo Silva e Kevin De Bruyne, dois meias. No ataque, Raheem Sterling, Phil Foden e Jack Grealish, todos rápidos e de movimentação. O treinador não tinha Riyad Mahrez, na Copa Africana de Nações.

No Chelsea, Thomas Tuchel tinha o desfalque de Ben Chilwell, machucado, e Edouard Mendy, que está na Copa Africana de Nações por Senegal. O treinador decidiu mudar o seu time habitual e montou um meio-campo mais forte fisicamente, com Mateo Kovacic e N’Golo Kanté. Jorginho ficou no banco. Na defesa, Malanga Sarr foi titular do trio de zagueiros ao lado de Antonio Rüdiger e Thiago Silva.

Com nove minutos, o Chelsea perdeu uma boa chance. Lukaku ganhou no corpo, avançou, teve a chance, mas tentou um passe que saiu muito forte para Ziyech, que ainda estava impedido. Ele podia ter finalizado ou, se fosse para passar, acionar Marcos Alonso, que chegava livre pela esquerda e em posição legal.

O Manchester City chegou duas vezes com perigo nos minutos seguintes. Primeiro, em uma boa jogada de Phil Foden que foi até a linha de fundo, cruzou para trás, mas ninguém conseguiu finalizar. Pouco depois, em um escanteio, John Stones tocou de cabeça no meio do gol, com perigo pela proximidade, mas o goleiro Kepa Arrizabalaga defendeu.

No início do segundo tempo, o Chelsea teve mais uma grande chance e novamente com Lukaku. Desta vez o atacante recebeu em profundidade, ficou na cara do gol e tocou colocado, mas o goleiro Ederson estava bem posicionado e fez uma grande defesa. No rebote, Ziyech ainda pegou o rebote, mas chutou desequilibrado, para fora.

O City chegava mais ao ataque, buscando o espaço. Foi preciso um Kevin De Bruyne para quebrar a defesa do Chelsea. Ele recebeu de João Cancelo na intermediária dando um drible de corpo e deixando Kanté para trás, chegou perto da área e bateu colocado, sem nem precisar chutar forte, só tirando do alcance de Kepa: 1 a 0, aos 24 minutos.

Depois de levar o gol, o Chelsea tentou reagir, mas não conseguiu fazer muito. Entraram Timo Werner no lugar de Christian Pulisic, Callum Hudson-Odoi no lugar de Ziyech e Mason Mount no lugar de Marcos Alonso, já a nove minutos do fim do tempo regulamentar. Nada disso funcionou. Com um time posicionado sem dar espaços ao Chelsea, o time de Londres não conseguiu criar chances.

No fim, mais uma vitória do Manchester City, a 12ª seguida do time na Premier League e que amplia ainda mais a vantagem na ponta da tabela. São 56 pontos, líder absoluto, contra 43 do Chelsea. O concorrente deve passar a ser o Liverpool, que tem 42 pontos, mas dois jogos a menos – ainda joga nesta rodada e tem um jogo atrasado. Caso vença os dois jogos, o que não é simples, reduz a diferença para oito pontos, o que, convenhamos, ainda é bem confortável para o líder.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo