Football Manager anuncia inclusão de futebol feminino nos próximos anos

Logo: Trivela

Trivela

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fi0.wp.com%2Ftrivela.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F07%2FFM_Womens-Football_BH.png%3Ffit%3D1034%252C600%26ssl%3D1&q=25&w=1080

O mais famoso jogo de estratégia de futebol do mundo, o Football Manager, deu um grande passo: anunciou que incluirá o futebol feminino dentro do jogo. O anúncio foi feito por Miles Jacobsen, diretor da Sports Interactive, que produz o jogo. O projeto custará milhões, segundo ele, e trará pouco retorno inicialmente, mas “é a coisa certa a se fazer”. Um passo enorme, que incluirá a modalidade dentro do mundo do jogo, sem criar uma franquia diferente. Tratar o futebol feminino com o mesmo afinco que faz com o masculino só fará bem ao próprio jogo, aos jogadores e a toda comunidade.

Football Manager é um dos mais populares jogos de futebol no mundo. Foi o jogo que melhor conseguiu unir estratégia e futebol, colocando o jogador no papel de técnico, não de jogador, e dando vários elementos para cuidar dentro do jogo, de acordo com a preferência de cada um. A base de dados do jogo é tão famosa que há até uma parceria com alguns clubes, que a utilizam para tomar decisões na sua área de observação, como o Toulouse já anunciou fazer, por exemplo. A integração do futebol feminino torna o jogo ainda mais completo e ainda mais avançado.

É possível que vejamos também no feminino uma solução mais simples para algo que costuma ser um grande problema no masculino: o licenciamento. Muitas ligas, seleções e jogadoras podem negociar seus acordos de licenciamento em conjunto de forma mais simples e até se tornarem uma ponte de como é feito para esses países. É possível que vejamos acordos que incluam masculino e feminino, ampliando o que temos hoje.

A Bundesliga, por exemplo, está totalmente licenciada no FM 2021 e é possível que vejamos nos próximos anos um acordo que inclua não só a liga e os jogadores do masculino, mas também o feminino. Seria um passo natural e com uma negociação conjunta. É um caminho que pode ser seguido em outros países, como a própria Inglaterra, onde esse licenciamento deve acontecer primeiro. Afinal, a SI é inglesa, os escritórios são por lá. Pode facilitar um processo nesse sentido. Ainda que haja questões de acordos comerciais que impeçam em alguns casos – como os acordos de exclusividade da Premier League com a EA Sports para o FIFA.

Veremos como o Brasil vai entrar nisso também. Porque há uma questão de licenciamento que impede que o jogo seja vendido aqui. A SI Games não faz o pagamento de direitos de imagem que se adeque à legislação local e, por isso, optou por sair do país – o que, segundo juristas que trabalham no caso de licenciamento de jogadores, não é o suficiente. O futebol feminino pode forçar uma solução nisso, porque para as jogadoras, será fundamental aparecer no jogo. Então, será preciso encontrar uma forma de negociar coletivamente. Se não pelo sindicato de jogadores, que caiu em descrédito no Brasil (não completamente sem razão, aliás), talvez force a criação de uma associação de jogadores para isso. Mas aí é uma outra questão que veremos mais à frente. O jogo não é vendido no Brasil desde o Football Manager 2017.

Mais importante ainda: não será algo separado do masculino. O futebol feminino será parte do universo do jogo, tal como são as categorias de base ou ligas de países diferentes. E por isso mesmo, o processo para construir a base de dados do feminino leva tempo e o processo já começou também há algum tempo.

“Sempre que eu mencionava futebol feminino nas redes sociais, as pessoas inevitavelmente respondiam me perguntando quando nós lançaríamos uma versão de futebol feminino do Football Manager. Até agora, eu sempre respondia com respostas vagas como ‘Quando nós fizermos, faremos isso apropriadamente’”, contou Miles no seu texto no blog do jogo.

“O que eu não disse, porque nós tentamos manter nossos planos em segredo, é que nós estamos trabalhando no futebol feminino em segundo plano há algum tempo. Algumas pessoas dentro do futebol sabem disso, já que temos falado com eles sobre isso nos bastidores, mas agora acredito que é o momento certo de ir a público com os nossos planos”.

É um passo gigantesco da Sports Interactive. Ainda que o custo de criação seja grande neste início, diferente de como foi o início do masculino, muito mais simples, é algo que vale a pena e deve ter frutos comerciais mais à frente. As mulheres poderem se ver representadas, também no futebol feminino, além de serem técnicas, é algo fundamental.

Há um ponto muito importante no papel dos games na popularização do futebol. Assim como aconteceu ainda nos anos 1990 com o futebol internacional. Com os games, muitos passaram a conhecer clubes do exterior, os jogadores, os campeonatos, e isso ajudou muito na expansão do futebol internacional no Brasil – e isso é um processo mundial. Com o futebol feminino, deve ser a mesma coisa.

Haverá uma curiosidade natural em conhecer o futebol feminino e isso tende a popularizar mais o esporte. Isso também aumentará a pressão nos jogos simuladores. À medida que o futebol feminino ganhar mais tração no Football Manager, será preciso avançar também nos simuladores, com mais e mais times femininos. Atualmente, o FIFA tem algumas seleções do feminino, mas ainda em um modo de jogo muito limitado. O PES – que agora é eFootball – sequer incluiu futebol feminino.

É um movimento imenso do Football Manager e que, antes mesmo de estrear a sua base de dados feminina, já movimentará o mercado em relação a isso. Até o Brasil pode ser afetado, em certo aspecto, com a questão do licenciamento. As mulheres daqui não irão querer ficar fora e será preciso encontrar uma solução para o que hoje é um problema que até impede a venda do FM no Brasil – oficialmente, já que é possível comprar legalmente fora do país ou mesmo por aqui, suando VPN.

Abaixo, trazemos alguns trechos do anúncio, com a tradução do comunicado com os principais pontos do texto.

Futebol feminino integrado no jogo, tanto quanto o masculino

“NÃO temos nenhum interesse em fazer uma versão independente do futebol feminino do FM. O que estamos fazendo é adicionar o futebol feminino no FM. Um esporte, um jogo. Os jogadores de FM poderão se mudar de dirigir um time masculino para um time feminino e voltar. O futebol feminino será parte do mundo vivo e pulsante que constitui cada um dos seus saves de FM; este mundo será apenas muito maior e um pouco mais variado”, explicou Jacobson.

“Nós também sabemos que adicionar o futebol feminino ao Football Manager irá custar milhões e que o retorno a curto prazo que entrega será mínimo. Mas esse não é o ponto”, afirmou o diretor. “Não há como esconder que atualmente existe um teto de vidro para o futebol feminino e queremos fazer o que pudermos para ajudar a quebrá-lo. Acreditamos na igualdade para todos e queremos ser parte da solução”.

“Queremos fazer parte do processo que coloca o futebol feminino em pé de igualdade com o masculino. Nós sabemos que não estamos sozinhos nisso. O acordo histórico de TV que a Sky e a BBC assinaram recentemente com a WSL [Women’s Super League] na Inglaterra é prova disso, mas nós queremos fazer tudo que pudermos para o futebol feminino estar onde merece estar”, continuou o diretor.

“Nós sabemos que nossa voz é muito poderosa e nós podemos usar isso para o bem. No longo prazo, conforme o futebol feminino cresça em popularidade, as recompensas financeiras podem vir, mas no momento, nós estamos embarcando nesta jornada porque sabemos que é a coisa certa a se fazer”, justifica Jacobson.

Construção de uma base de dados feminina

 “Primeiro de tudo, levará algum tempo para construir uma base de dados global abrangente do futebol feminino. Nosso banco de dados existente levou 28 anos para ser construído (até agora) e há muitas informações lá que precisamos pesquisar ao adicionar apenas uma equipe, quanto mais várias ligas”, disse Jacobson.

“Para acertar o nosso banco de dados do feminino, nós temos que examinar cada atributo dentro do jogo, e definir exatamente como iremos julgar os dados; atributos como velocidade, aceleração e agilidade irão provavelmente ficarão na mesma faixa, mas alguns atributos podem precisar de uma escala diferente. Esses atributos também alimentam o nosso motor de jogo, é claro, e o trabalho feito nessa área (por exemplo, olhar para a altura dos jogadores e como isso afeta o modo como ele joga, como mirar chutes mais altos se o goleiro é menor) irão ser para o benefício do motor de jogo em geral”.

Captura de movimentos das jogadoras

“Os dados, é claro, são apenas um dos muitos elementos que temos precisaremos ter consideração cuidadosa. Por exemplo, nós já temos modelos de personagens mulheres no jogo, mas atualmente elas representam apenas membros da comissão técnica – e nossos modelos de comissão técnica no jogo são relativamente básicos e exigem um número limitado de animações. Nós temos milhares de animações com captura de movimento para os nossos jogadores homens e quando você aplica isso aos corpos femininos… Bem… Elas meio que se mexem como cowboys”.

“As formas dos corpos das mulheres são diferentes dos homens, assim como sua estrutura óssea, então não temos escolha a não ser voltar ao começo e recriar todas as nossas animações existentes usando movimentados capturados com dados das animações usando jogadoras mulheres. E não é o caso de ir a um estúdio de captura de movimentos por alguns dias. Leva meses para limpar e aperfeiçoar os dados gerados por cada sessão de captura de movimentos e fazer ela parecer certa no motor de jogo”.

“Nossos modelos 3D femininos, historicamente, também não são tão avançadas quanto as versões masculinas e os uniformes do futebol feminino também são diferentes (mais uma vez, devido às formas diferentes do corpo), então há mais trabalho a ser feito ali também. Nossos times de arte e animação tem crescido ao longo dos últimos anos com esse trabalho extra em mente”.

Transferências e detalhes particulares do futebol feminino

“E não para por aí também… O sistema de transferências no futebol feminino é também diferente do masculino, assim como as estruturas financeiras e de salários. Nós iremos também acomodar as regras únicas de muitos das ligas femininas”.

“Então há outras questões que nos perguntamos, como o quão detalhado ser, inicialmente? Há muita literatura disponível sobre o impacto do ciclo menstrual nos treinamentos e lesões, mas como nós incorporamos isso sem ter um grande efeito no gameplay? E em relação à gravidez? Se nós vamos ter jogadoras e membros da comissão técnica grávidas no jogo, nós deveríamos ter modelos 3D diferentes para cada um dos estágios?”.

“E ainda há textos dentro do jogo e traduções a serem consideradas. Você pode jogar como homem ou mulher, então a maioria das ‘strings’ (termo usado para frases no jogo que se referem ao personagem, seja jogável ou não) de equipe também já estão prontos tanto no masculino ou feminino. Contudo, todos os jogadores dentro do jogo são homens, todas as “strings” relativas a eles são de gênero específico”.

“Isso nos deixa mais de 100 mil strings para reescrever… E então traduzir em 19 línguas (o que significa aproximadamente 3 milhões de palavras). Isso é uma tarefa mais simples em algumas línguas do que em outras; Dinamarquês, por exemplo, não concordância de adjetivos ou outras considerações gramaticais específicas de gênero, então, em teoria, devemos ser capazes de traduzir em lote ‘ele’ para ‘ela’ por exemplo e, em seguida, passar cada string por meio do ‘QA de localização’ para saber que processo pode ter sido perdido. Com muitos outros idiomas, incluindo francês e alemão, isso simplesmente não é possível e cada string precisará ser traduzida do zero”.

“Este processo levará muito tempo, assim como gerará a maior parte dos gastos. Como mencionei no começo deste texto, nós estamos trabalhando neste projeto por algum tempo. Eu tive muitas, muitas conversas com as pessoas para trabalhar em todas as áreas do futebol feminino e nós construímos relacionamentos com pessoas incríveis no esporte que irão nos ajudar a realizar este sonho”.

Estado atual e uma chefe do futebol feminino

“Em termos práticos, nós já completamos nossos primeiras duas sessões de captura de movimentos com as duas gêmeas e profissionais Rosie e Mollie Kmita. Dadas as restrições aplicadas à captura de movimentos durante uma pandemia, era essencial que pudéssemos trabalhar com duas pessoas que já compartilhassem uma bolha e Rosie e Mollie foram a solução perfeita, além de serem jogadoras fantásticas. Isso, é claro, é apenas parte do processo de captura de movimentos e há muito mais sessões que serão feitas nos próximos meses, incluindo sessões específicas para goleiras”.

“Um membro do time da SI que já está profundamente envolvida neste projeto é a nossa recém-nomeada chefe de pesquisas do futebol feminino, Tina Keech. Tina, uma técnica qualificada e ex-chefe de pesquisa e análise na Smartodds, já começou o processo de construir a base de dados feminina”.

“Nosso time de design está para começar a trabalhar em pegar a informação que juntamos até hoje e transformar em tarefas específicas e um documento completo de design. Assim como a maioria dos recursos de FM, este documento irá nos dar um roteiro de vários anos para as tarefas de engenharia. Nada nunca está finalizado no FM – sempre há mais que podemos adicionar – e será o mesmo com o futebol feminino. Não será o caso de apenas adicioná-lo e depois esquecer dele, mas será continuar a crescer junto com o resto do mundo que nós criamos para dirigir”.

“É claro, muitas das tarefas acima podem acontecer simultaneamente, o que irá diminuir o cronograma, mas nós somos realistas que trazer o futebol feminino para o FM será um projeto de múltiplos anos. Neste estádio, nós não sabemos o quão longo o processo levará, então não podemos dizer em qual versão do FM vocês verão o futebol feminino fazer a sua estreia, mas tenham certeza que o nosso plano é fazer isso acontecer o mais rápido possível, garantindo ao mesmo tempo que você ainda terá todos os recursos que esperaria de novas versões do FM, adicionando recursos ao time existente”.

Custos substanciais e acordos comerciais

“Eu mencionei antes no blog que os custos deste projeto serão substanciais. Para ajudar a compensar alguns desses custos, já iniciamos conversas com alguns parceiros comerciais em potencial que compartilham nossa visão e que poderão oferecer ajuda financeira em troca de uma ampla integração de sua marca no FM”. “Mas também estamos comprometidos em sermos um parceiro comercial para o futebol feminino. Nós temos parcerias em andamento com o AFC Wimbledon Ladies & Girls e com o Watford Women como parte dos nossos acordos com os seus times masculinos. Mas isso não é o bastante. Então, hoje estamos orgulhosos em anunciar que nós assinamos um acordo comercial de parceria para a temporada 2021/22 com o Leicestert City Women, que terá a marca do FM aparecendo no banco de reservas e nos quadros d

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo