Flamengo e Fluminense cobram dívida ao Vasco por aluguel do Maracanã | OneFootball

Flamengo e Fluminense cobram dívida ao Vasco por aluguel do Maracanã

Logo: Coluna do Fla

Coluna do Fla

Clube de São Januário vive imbróglio com consórcio que administra estádio


Na última segunda-feira (27), o Vasco emitiu uma nota confirmando, por decisão judicial, a realização da partida contra o Sport no Maracanã. A mudança vai contra o consórcio que administra o estádio, formado por Flamengo e Fluminense, que havia vetado o jogo sob a alegação de não prejudicar o gramado. Em meio ao impasse, o clube de São Januário tem saldo devedor com a dupla Fla-Flu por aluguéis do campo.

Desde que assumiram a concessão temporária do Maracanã, enquanto a licitação definitiva não é divulgada pelo Governo do Rio de Janeiro, em abril de 2019, Flamengo e Fluminense cobram pelo aluguel do estádio. O Vasco, por sua vez, deve a dupla Fla-Flu cerca de R$ 246 mil por locações anteriores, tendo pago a última parcela da dívida em julho de 2021. A informação é do Jornal O Globo.




Vale ressaltar que o consórcio proibiu a realização do duelo entre Vasco e Sport, pela Série B do Campeonato Brasileiro, sob a premissa de preservar o gramado do estádio. O clube de São Januário, no entanto, considerou a decisão “arbitrária” e seguiu tentando mudar o veto, até acionar o Flamengo na Justiça e conseguir a liberação do jogo.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro, inclusive, se envolveu no imbrólgio ao notificar Flamengo e Fluminense. O documento emitido pela Casa Civil apontou a proibição como injustificável e, além disso, exigiu a liberação da partida sob risco de imposição de sanções aos clubes. As atitudes, inclusive, deixaram dirigentes do Fla indignados, que prometem ir atrás da construção do próprio estádio.

Apesar da confirmação na justiça e da venda de ingressos por parte do Vasco, a dupla Fla-Flu entrou com recurso contra a decisão. O consórcio chegou a apresentar um laudo técnico mostrando desgaste no gramado do estádio devido à sequência de partidas no local para impedir a realização do jogo, mas que foi ignorado pela Justiça.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo