Flamengo: a volta por cima que o levou à Glória Eterna | OneFootball

Flamengo: a volta por cima que o levou à Glória Eterna

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

Com uma dívida que rondava os 380 milhões de dólares, o Flamengo estabeleceu sua volta por cima a partir de uma estratégia na qual sua torcida, de 40 milhões de pessoas, a maior do mundo dentro de um país, segundo a Fifa, foi a protagonista.

Em dezembro de 2012, o administrador Eduardo Bandeira de Mello (2013-18) eleito presidente do clube da Gávea, começou a implementar um plano de austeridade e lançou o programa de sócio-torcedor chamado “Nação Rubro-Negra”, para aumentar a arrecadação de dinheiro com os sócios.

“Fez um programa sério para reduzir as dívidas impagáveis, como quase todas as dos times brasileiros. Compraram jogadores modestos, baratos e depois investiram em jogadores mais caros”, destaca à AFP André Galvão, jornalista esportivo da emissora de televisão SBT.

Desde 2016, com as contas mais equilibradas, o Mengão começou a formar sua volta por cima sob o comando do português Jorge Jesus ao contratar o uruguaio Giorgian de Arrascaeta, Diego Alves, Filipe Luís, Everton Ribeiro e Gabriel Barbosa, o ‘Gabigol’.

As vendas por valores milionários de jogadores formados na base, como Vinicius Jr e Reinier para o Real Madrid e Lucas Paquetá para o Milan, ajudaram na consolidação esportiva e financeira.

Antes da reorganização de 2013, os últimos títulos de maior expressão do Rubro-Negro tinham sido o Brasileirão de 2009 e a Copa do Brasil de 2006. Após a reconstrução, conquistou a Copa do Brasil de 2013, as duas últimas edições do Brasileirão (2019 e 2020), a Libertadores de 2019, a Recopa Sul-Americana de 2020 e duas Supercopas (2020 e 2021).

Na Supercopa de 2021, foi campeão ao bater o Palmeiras em abril, na segunda final disputada entre as duas equipes desde a antiga Copa do Mercosul de 1999, vencida também pelo time carioca.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo