Exclusiva Onefootball: 'antigamente era mais difícil', diz Zé Roberto

Onefootball

Marcos Monteiro

Imagem do artigo: Exclusiva Onefootball: 'antigamente era mais difícil', diz Zé Roberto

Conhecido por ser polivalente dentro de campo, Zé Roberto, em entrevista exclusiva ao Onefootball, revelou: a versatilidade nasceu ainda na peneira.

Revelado pela Portuguesa, Zé Roberto era inicialmente meia. Porém, na hora de fazer o teste para entrar para o clube, uma situação inusitada fez com que, durante a peneira, o jogador notasse a importância da versatilidade.

“Quando cheguei perto do campo percebi que tinham filas. Cada fila tinha a posição em que você jogava, por exemplo, tinha a fila do goleiro, do zagueiro, dos meias, e assim por diante. Quando eu corri pra fila, meio que sem entender, a fila da minha posição estava muito grande, eu comecei a olhar para as outras filas para ver qual era a menor para eu entrar”, revelou.

Eu falei ‘vou na lateral esquerda’, tá menor que meia e é uma posição que eu posso encarar. Lateral esquerda, sou canhoto. Aí fiz a peneira como lateral esquerdo, sendo meia.

— Zé Roberto

Video Content

Para Zé Roberto, ter jogado a peneira fora de sua posição inicial foi fundamental durante o desenvolvimento de sua carreira.

“Depois de alguns anos consegui perceber o tanto que ir para a fila de lateral me favoreceu. Quando fui para o profissional, a Portuguesa tinha dois laterais e os dois se machucaram. E o treinador na época tinha que colocar alguém para jogar e não tinha ninguém”

Essa mentalidade de jogar em mais de uma posição dentro de campo, sempre em prol da equipe e deixando o ego de lado, é o que falta nos jogadores da atual geração, acha Zé Roberto.

Vários jovens hoje, quando o treinador pede para fazerem outra posição, eles não aceitam.

— Zé Roberto

“Eu vejo hoje o jogador muito com essa mentalidade, do individualismo. Isso dificulta, por mais que a gente tenha jogadores promissores ou talentosos, dificulta […] Antes os jogadores se doavam mais em prol do time, do grupo. Antigamente era mais difícil, porquê a geração era farta de grandes jogadores”, finalizou.


Foto: Friedemann Vogel/Getty Images