Estaduais paralisados: times divergem sobre restrições contra a pandemia nos Estados | OneFootball

Estaduais paralisados: times divergem sobre restrições contra a pandemia nos Estados

Logo: Stats Perform

Stats Perform

Com o aumento no número de casos e mortes pela Covid-19, oito campeonatos estaduais pelo Brasil já estão suspensos, devido às medidas mais rigorosas para o combate à pandemia. São Paulo, Minas Gerais, Acre, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás e Tocantins estão com o futebol paralisado, algo que não agrada a todos os times.

Depois que o futebol brasileiro foi totalmente paralisado em 2020, uma nova onda de Covid-19 está afetando o país e, assim, alguns estados já estão adotando medidas que restringem a prática de esportes. Ao todo, oito campeonatos estão paralisados, dois pararam mas já foram liberados e um está parcialmente suspenso.

Mesmo com o aumento no número de casos de Covid-19, nem todos os times estão a favor das paralisações, principalmente por conta do planejamento para a temporada, que é afetado pelo atraso. O calendário do futebol brasileiro, que já é apertado, teria problemas, como aconteceu em 2020, o que pode atrapalhar inclusive no rendimento dos times.

Desta forma, em boa parte das competições que estão paralisadas, as federações e alguns clubes se movimentam para que o cenário seja alterado, e os jogos possam voltar a acontecer.

A Goal fez o levantamento do posicionamento dos clubes em cada um dos oitos estádios que estão paralisados.

Campeonato Paulista

Um dos maiores estaduais do Brasil está suspenso desde que o governo de São Paulo adotou um plano bastante rígido para o combate à pandemia. Desde o início, porém, a Federação Paulista de Futebol (FPF), foi contra a paralisação do campeonato e foi em busca de outras alternativas.

Tentando dar continuidade à competição, a FPF tentou que alguns jogos fossem realizados em outro estado, como São Bento x Palmeiras, que aconteceria em Minas Gerais, mas acabou cancelado por conta das medidas restritivas adotadas por lá. Sem sucesso, cogitou-se ir à justiça para tentar que o Paulistão fosse liberado, porém, na reunião com os times, a maioria votou contra a movimentação.

Os times que votaram a favor da paralisação foram:

Os times que votaram contra a paralisação e a favor de ir à Justiça foram:

Campeonato Mineiro

Minas Gerais foi o mais recente estado a decretar a paralisação do futebol. A Federação Mineira, junto com os clubes, conseguiu que a rodada que acontecerá entre quinta-feira (18) e domingo (21) fosse realizada, mas depois disso não vão ter jogos.

Para segunda-feira (22), está marcada uma reunião entre a FMF e o governo mineiro, na qual a federação tem o intuito de conseguir reverter a proibição e, assim, dar prosseguimento ao estadual.  Os times mineiros, porém, não manifestaram posicionamento oficial quanto a paralisação ou não da competição.

Campeonato Acreano

No caso do Campeonato Acreano, todos os clubes se manifestaram contra a paralisação da competição. Os dirigentes, unidos, propuseram agendar uma reunião com o Comitê Estadual de Combate à Covid-19 para pedir a liberação do futebol. Todos reforçaram o posicionamento em defesa da vida, mas em comum acordo, expuseram a necessidade do retorno dos jogos.

"A coisa está muito complicada, mas temos que entender que temos um cronograma a seguir, os clubes estão pagando seus atletas sem poder jogar, não se fala nem em renda, mas quando você atrasa o campeonato, você tem que prorrogar esses contratos e isso é prejuízo pra quem não tá arrecadando nada", disse o presidente da FFAC, Antônio Aquino Lopes.

Os times que são contra a paralisação:

Campeonato Cearense

Os times cearenses também não se posicionaram oficialmente a favor ou contra a paralisação, no entanto, os times menores do estado declaram que vão sofrer prejuízos caso o estadual não seja disputado.

Enquanto Ceará, Fortaleza, Ferroviário e Guarany de Sobral têm outras competições para disputar ao longo da temporada, Icasa, Pacajus, Caucaia, Crato e Atlético dependem da competição para se manterem em atividade.

Campeonato Brasiliense

No Distrito Federal, todos os 12 clubes do Campeonato Brasiliense, em comum acordo com a federação, decidiram pela paralisação da competição estadual.

"Em reunião realizada na noite desta quinta-feira (11), de forma online, a Federação de Futebol do Distrito Federal – FFDF e os 12 os clubes participantes do 46° Campeonato de Futebol Profissional do DF decidiram suspender a competição até o próximo dia 22/03, acompanhando o lockdown decretado pelo GDF. Entretanto, a partida que já estava marcada para ser realizada no estádio Serra do Lago, em Luziânia, entre a equipe da casa e o Formosa, pela terceira rodada, está mantida. Todos os demais confrontos estão, desta forma, suspensos.", disse a FFDF, em nota.

Os times a favor da paralisação:

Campeonato Capixaba

Assim como aconteceu com os clubes do Mineirão e do Cearense, os times capixabas também não se posicionaram quanto à paralisação do estadual no estado, decretada até 31 de março. A Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo decretou a suspensão logo após o anúncio do governo estadual que seria adotado um lockdown.

Campeonato Goiano

A decisão pela paralisação do Campeonato Goiano foi tomada pela federação junto com os representantes dos 12 clubes participantes da competição. Apesar da votação unânime, os clubes se pronunciaram dizendo que não foram ouvidos antes da decisão estadual e não tiveram a oportunidade de apresentar algum tipo de providência.

Os times a favor da paralisação:

Campeonato Tocantinense

Os oito times que disputam o estadual, assim como a Federação Tocantinense de Futebol, são contra a paralisação das atividades futebolísticas. Para manifestar a insatisfação, os dirigentes dos times gravaram um vídeo para enviar ao governo do estado, pedindo que a situação seja revista.

"O que a gente quer deixar bem claro é que apoiamos todas as ações feitas pelo governo do Tocantins. Mas queremos também expor a situação nossa como clube, entendendo que a gente trabalha com orçamento enxuto e esses 14 dias de paralisação podem causar o fechamento de alguns clubes, já que não teremos condições de estender a competição por mais 14 dias. Nós, hoje, como clube, já seguimos todos os protocolos orientados pela Federação, CBF, FIFA e Vigilância Sanitária", disse Weberson Tita, presidente do Interporto.

Os times contra a paralisação: