Especulado no Flamengo, Villas-Boas impõe condição para trabalhar no Brasil | OneFootball

Especulado no Flamengo, Villas-Boas impõe condição para trabalhar no Brasil

Logo: Mundo Rubro Negro

Mundo Rubro Negro

Um dos nomes ventilados no Flamengo após a demissão de Renato Gaúcho, o técnico português André Villas-Boas afirmou que com o excesso de jogos no Brasil seria difícil trabalhar. Para ele, a diminuição de partidas seria o ideal. A afirmação aconteceu em 2018, durante entrevista do prêmio Laureus, em Mônaco.

De acordo com Villas-Boas, que à época e atualmente está sem clube, ele aceitaria um convite para trabalhar no Brasil. No entanto, criticou o calendário com excesso de jogos:

“Estou à espera de convites, quem sabe China, quem sabe Brasil. Mas há muitos jogos, o problema no Brasil é o calendário. Então, fica difícil desenvolver um trabalho. Deveria haver menos jogos na série A, baixar para 18 clubes. Aí sim acho que poderia ir “, disse em 2018 o treinador.

O último trabalho de André Villas-Boas foi o Olympique de Marseille, durante a temporada 2020/21. Ele acabou saindo para a chegada do argentino Jorge Sampaoli.

Entretanto, o português já comandou Porto, Chelsea e Tottenham. Após a entrevista de 2018, Villas-Boas acertou com o Shanghai Port, da China.

Flamengo ainda não tem nomes; Villas Boas pode ser alvo

Apesar de ter seu nome especulado nas redes sociais entre jornalistas e torcedores, Villas-Boas não deve receber uma proposta oficial até o dia 4 de dezembro. Isso porque, nesta data, ocorrem as eleições no Flamengo. Só após a escolha do novo presidente é que o departamento de futebol deve buscar um treinador.

O Mundo Rubro Negro apurou que a diretoria do Flamengo não fez proposta oficial, neste momento, para nenhum técnico. Mas os dirigentes já se preparam para ofensivas contratuais na semana que vem, dependendo do pleito do dia 4.

André Villas-Boas tem 44 anos e é um dos técnicos portugueses mais elogiados pela imprensa europeia. Mas seus últimos trabalhos não foram de sucesso.

Acompanhe o jornalista Bruno Guedes no Twitter

Seja nosso apoiador e contribua para a melhoria do MRN.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo