Enquanto o West Ham se aproxima da Liga Europa, a Conference reserva a última vaga a Tottenham, Everton ou Arsenal

Logo: Trivela

Trivela

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fi2.wp.com%2Ftrivela.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F05%2F1002749527-scaled-e1621464852300.jpg%3Ffit%3D2560%252C1331%26ssl%3D1&q=25&w=1080

Se o título e os rebaixados estão definidos na Premier League, a reta final ainda guarda uma briga acirrada pelas copas europeias. As vitórias de Chelsea e Liverpool têm peso enorme na corrida pela Champions League, deixando o Leicester em situação complicada para o último compromisso. E se a Liga Europa parece um prêmio amargo às Raposas, logo abaixo a concorrência sofre para conseguir ao menos um lugarzinho nos torneios continentais. A quarta-feira seria determinante nesta disputa, com vitórias de West Ham, Everton e Arsenal, bem como a derrota do Tottenham. Os quatro ainda correm atrás de uma vaga na Liga Europa, dedicada ao sexto colocado, com os Hammers um passo à frente, e também à nova Conference, destinada ao sétimo.

A grande decepção da quarta-feira foi o Tottenham. Dentro de casa, os Spurs não deram motivos para os torcedores sorrirem na reabertura dos portões. Os londrinos receberam o Aston Villa e perderam de virada, por 2 a 1. Steven Bergwijn abriu o placar logo aos oito minutos, com uma pancada após roubar a bola na intermediária. Entretanto, Sergio Reguilón afundaria sua equipe. O empate dos Villans saiu numa pixotada do lateral, que pegou na orelha da bola e marcou um bizarro gol contra aos 20. Já aos 39, veio a virada. Reguilón errou duas vezes a saída de bola e Ollie Watkins não perdoou. O goleiro Emiliano Martínez seria importante para segurar o resultado no segundo tempo, mas o Villa também criou chances para mais.

No mesmo horário, o Everton cumpriu sua missão no Goodison Park e derrotou o Wolverhampton por 1 a 0. O primeiro tempo seria aberto e os Lobos até criariam as melhores chances. No entanto, aos dois minutos do segundo tempo, Richarlison definiu o placar. Gylfi Sigurdsson cobrou escanteio e o brasileiro cabeceou cruzado. Os Toffees seguiram melhores na segunda etapa e poderiam ter construído um placar mais confortável. Do outro lado, a principal chance dos visitantes veio num pênalti negado pela arbitragem.

Em Selhurst Park, o Arsenal parecia propenso a tropeçar, mas conseguiu vencer o Crystal Palace por 3 a 1, graças a dois gols já nos acréscimos do segundo tempo. O jogo foi marcado por uma calorosa despedida a Roy Hodgson. E, dentro de campo, seus comandados bem que se esforçaram. As Águias incomodaram no primeiro tempo e deram trabalho a Bernd Leno, mas os Gunners foram para o intervalo em vantagem, graças a um gol de Nicolas Pépé aos 35. O Palace empatou com um gol de peixinho de Christian Benteke, aos 17 do segundo tempo. Mas, nos acréscimos, os substitutos salvariam o Arsenal. Martin Odegaard cruzou para Gabriel Martinelli desempatar e Pépé fez mais um no apagar das luzes, em belo lance individual.

Por fim, o West Ham derrotou o rebaixado West Brom em The Hawthorns por 3 a 1, mas com dificuldades, precisando ir atrás da virada. Declan Rice teve a chance de anotar o primeiro, num pênalti assinalado com menos de um minuto, mas acertou a trave. Assim, o West Brom saiu na frente aos 27. Matheus Pereira continua num final de temporada para convencer interessados em seu futebol e marcou um gol olímpico – contando com a colaboração da defesa londrina, também. Os Hammers empatariam nos acréscimos do primeiro tempo, com Tomás Soucek. Já na segunda etapa, a virada só foi selada depois dos 37, com tentos de Angelo Ogbonna numa bola aérea e de Michail Antonio num contra-ataque.

Uma das duas vagas à Liga Europa, para o quinto colocado, ficará com quem sobrar fora da Champions entre Chelsea, Liverpool e Leicester – com os londrinos ainda podendo se salvar na final contra o Manchester City em Porto, caso tudo dê errado na Premier League. Já o West Ham aproveitou o tropeço do Tottenham e deu um passo importante para voltar ao torneio secundário, com 62 pontos, abrindo três de vantagem na sexta colocação. Os Hammers recebem o Southampton no Estádio Olímpico de Londres na rodada final, precisando só de um empate.

De resto, três times tradicionais se estapeiam pela sétima colocação, que leva à Conference League. Tottenham e Everton têm 59 pontos, enquanto o Arsenal permanece vivo com 58. O Leeds tem chances ínfimas com 55. Pelo ótimo saldo, os Spurs aparecem em vantagem contra os demais concorrentes. Porém, terão o jogo mais difícil na rodada final, ao visitarem o ameaçado Leicester. O Everton pega o desinteressado Manchester City no Estádio Etihad e o Arsenal recebe o Brighton, sem mais objetivos. É ver qual dos pretensos participantes da Superliga ficará de fora da próxima temporada continental.

Saiba mais sobre o veículo