Em jogo morno, Real Madrid e Betis empatam na última rodada de LaLiga | OneFootball

Em jogo morno, Real Madrid e Betis empatam na última rodada de LaLiga

Logo: Meumadrid

Meumadrid

Com clima amistoso e ar de despedidas, Real Madrid e Betis empatam em jogo de “cumprir tabela”

O Real Madrid recebeu o Real Betis no Santiago Bernabéu nesta sexta-feira (20), pela última rodada de LaLiga. Com os dois times sem mais o que disputar no Campeonato Espanhol, já que os donos da casa já eram campeões e os visitantes já estavam classificados para a Europa League e sem chances de ir à Champions, o jogo foi pouco intenso e sem grandes chances para os times. O empate manteve uma tradição ruim do Real Madrid, que não faz gol em um confronto contra o Betis no Santiago Bernabéu desde 2017.

O confronto também foi marcado por um clima respeitoso entre as equipes. O Real Madrid formou uma guarda de honra para a entrada do Betis, que conquistara a Copa do Rei. Logo depois, no entanto, o Betis também formou a guarda de honra para os donos da casa, já que o Real Madrid conquistou o Campeonato Espanhol.

O ar de despedida pairava no Santiago Bernabéu, porque a partida marcava o último jogo de Marcelo, Isco e Bale na casa do Real Madrid. Os dois primeiros entraram durante o jogo, e o lateral brasileiro foi ovacionado durante sua entrada. Bale, por sua vez, não esteve entre os 23 jogadores que formavam os 11 titulares e o banco do Real Madrid. No entanto, seu nome figurava na lista inicial de 25 convocados.

Escalações

Mesmo já campeão espanhol e visando a final da Champions, Ancelotti escalou o time para a última rodada de LaLiga com força total. Courtois começou no gol, Nacho e Militão foram os zagueiros titulares e Mendy e Carvajal começavam nas laterais. Kroos, Modric e Casemiro voltou a figurar no meio de campo, enquanto os brasileiros Rodrygo e Vinícius acompanhavam Benzema no ataque. O único desfalque do Real Madrid foi David Alaba, que está se recuperando de uma lesão e, assim, foi poupado para que o austríaco chegue na final da Champions 100%.

O Real Betis, já sem chances de se classificar para a Champions League, foi a campo com Rui Silva no gol, Sabaly, Pezzela, Bartra e Álex Moreno na defesa, Guido Rodríguez, Guardado e Fékir no meio de campo e Canales, Juanmi e Willian José no ataque. Entre os desfalques do time de Andaluzia, estavam os espanhóis Bellerín e Claudio Bravo.

Estratégias iniciais

O Real Madrid se alinhava em sua estrutura tradicional sob o comando de Ancelotti. Partindo de um 4-3-3, os madridistas exploravam bem as laterais através das investidas dos pontas e laterais. Pelo centro, Kroos atuava mais recuado, perto de Casemiro, e, assim, Modric avançava com mais liberdade. Desse modo, o Real Madrid conseguia, no começo do jogo, ocupar o campo de ataque pelo meio e acionar opções em velocidade pelos lados. Com essa estratégia, Benzema conseguiu uma grande chance aos 7 minutos após jogada com Rodrygo, mas o camisa 9 teve a finalização bloqueada. Sem a bola, o Real Madrid continuava se defendendo em um 4-1-4-1, com Casemiro atuando entre as linhas, como de costume.

Pelas pontas, Vinícius e Rodrygo atuavam de jeitos diferentes. Vinícius Júnior atuava mais como um ponta clássico, mais colado à linha lateral e se posicionava mais avançado em campo. Assim, Mendy atacava mais por dentro, e o brasileiro cortava pra dentro quando recebia a bola já no terço final. Rodrygo, por sua vez, circulava um pouco mais, partindo da direita para o meio, e abria assim o corredor direito para Carvajal.

O Real Betis tampouco apresentava alterações em sua estratégia, e o espanhol Manuel Pellegrini armou seu time em um 4-2-3-1, usado na maior parte da temporada. Juanmi e Canales atacavam os lados do campo com a ajuda dos laterais, Fékir circulava por dentro e Willian José atuava como um 9 clássico.

Jogo morno, Real Madrid melhor

Com as duas equipes sem ambições dentro do Campeonato Espanhol, o jogo se desenrolou em um cenário morno. Na primeira meia hora de jogo, o Real Madrid conseguiu impor seu jogo sobre o Real Betis, com uma marcação mais alta e mantendo mais a posse de bola no campo de ataque. Na reta final do primeiro tempo, no entanto, o time andaluz aproveitou que os donos da casa baixaram as linhas de marcação e passou a controlar mais o jogo. Com o time visitante mantendo mais a bola e tentando ocupar mais o campo de ataque, o Real Madrid acionou mais vezes Rodrygo e Vinícius como opções em velocidade pelos lados, mas não conseguiu converter os contragolpes em chances claras.

No entanto, mesmo com um jogo mais morno, os times não deixaram de atacar e o principal problema foi a pontaria, já que os times tiveram dificuldades em converter seus ataques em grandes chances. Assim, o Betis terminou o primeiro tempo com mais finalizações (7, contra 4 do Real Madrid), mas apenas duas de dentro da área. A maior oportunidade que o Real Madrid teve na reta final do primeiro tempo foi com Casemiro. O volante brasileiro aproveitou que a defesa do Real Betis estava presa por Vinícius, Rodrygo e Benzema, avançou no espaço e bateu rasteiro da entrada da área, mas a bola foi para fora.

Segundo tempo

Para a segunda etapa, o Real Betis voltou sem alterações, mas Ancelotti fez duas mudanças no meio de campo do time da casa. Kroos e Casemiro saíram para a entrada de Valverde e Camavinga. Com as substituições, Camavinga atuava como primeiro volante e Valverde era o meio campista pela direita.

Logo aos 5 minutos, o Real Madrid conseguiu a primeira grande chance na segunda etapa. Rodrygo enfiou a bola para Carvajal, que cruzou para Benzema. O francês bateu em cima do goleiro Rui Silva e Rodrygo pegou o rebote, mas chutou para fora. O Real Madrid voltou para o segundo tempo com mais intensidade, pressionando o Betis contra sua área, ocupando o campo de ataque e circulando a bola pelos lados. Assim, o Real Madrid produziu 3 chutes e uma grande chance em menos de 10 minutos.

A partir dos 15 minutos, no entanto, o cenário morno do primeiro tempo voltou, mas sem a mesma postura ofensiva que os times tiveram nos primeiros 45 minutos. O Betis passou a circular mais a bola, e o Real Madrid diminuiu drasticamente a intensidade da marcação, passando assim a focar mais em fechar os espaços em um bloco baixo, ao invés de atacar o portador da bola. Além disso, o time de Ancelotti parou de ocupar o campo de ataque com tanta eficácia e passou a contra-atacar mais, principalmente com Vinícius Júnior pela esquerda.

Alterações finais e homenagem para Marcelo

Aos 25 minutos do segundo tempo, Ancelotti realizou as últimas 3 substituições do Real Madrid no jogo. Ceballos e Isco entraram no lugar de Modric e Rodrygo, mas a principal alteração foi a saída de Mendy para a entrada de Marcelo. O camisa 12, em fim de contrato com o Real Madrid, entrou para disputar seu último jogo pelo Real Madrid no Santiago Bernabéu, e foi ovacionado enquanto entrava.

As alterações mudaram também a formação tática do Real Madrid na partida. Ancelotti alterou a estrutura do time para um 4-2-3-1, com Ceballos e Camavinga de volantes. Isco passou a atuar como um meia ofensivo, enquanto Valverde e Vinícius atuavam como meias abertos. Sem a bola, o Real Madrid se alinhava em um 4-4-2, com os volantes alinhados com os meias abertos, e Isco e Benzema à frente.

Fim de jogo mais emocionante, mas 0 a 0 persistiu

O final do segundo tempo seguiu a tônica do jogo, com bastante equilíbrio e sem grandes chances para os times. O Real Madrid marcava em um bloco baixo, fechando os espaços para o Betis. Assim, o time andaluz não conseguia produzir a partir da posse de bola. Por outro lado, o Real Madrid tampouco conseguia furar a defesa do Real Betis quando atacava com calma, e ambos os times só produziram situações perigosas a partir do contra ataque.

Vinícius Júnior, já nos 5 minutos finais, disputou a bola pela esquerda e atacou a lateral livre, levando a bola para a linha de fundo. O brasileiro cruzou para Benzema, mas o francês dominou mal e finalizou pressionado pelo goleiro Rui Silva, chutando para fora. Pouco depois, o Real Betis encaixou um contra-ataque com Cristian Tello pelo lado, que cruzou para Borja Iglesias. O atacante escorou para o meio da área e Joaquín, sozinho, bateu de primeira por cima do gol de Courtois.

Já aos 48 minutos do segundo tempo, o Real Madrid conseguiu encaixar o último ataque do jogo. Isco iniciou a transição ofensiva e enfiou a bola para Marcelo, que atacava o lado esquerdo. O brasileiro fez um lançamento milimétrico para a área e Benzema conseguiu cabecear, mas mandou a bola para fora.

O Real Madrid, assim, terminou o campeonato com 86 pontos, com 26 vitórias, 8 empates e 4 derrotas dentro de LaLiga. Além disso, o time de Ancelotti teve o melhor ataque do campeonato, com 80 gols marcados, e a segunda melhor defesa, com 31 gols sofridos. Agora, o Real Madrid tem apenas a final da Champions a ser disputada na temporada, no dia 28 de maio.

Ficha técnica

Real Madrid 0x0 Real Betis

Local: Estádio Santiago Bernabéu, MadriData: 20 de maio de 2022, sexta-feira

Real Madrid: Courtois; Carvajal, Militão, Nacho, Mendy (Marcelo); Casemiro (Camavinga), Kroos (Valverde), Modric (Ceballos); Rodrygo (Isco), Vinícius Júnior e Benzema. Técnico: Carlo Ancelotti.

Real Betis: Rui Silva; Sabaly, Pezzela, Bartra, Álex Moreno; Guido Rodríguez, Guardado (William Carvalho); Canales (Tello), Fékir (Joaquín), Juanmi (Borja Iglesias); Willian José (Rodri Sánchez). Técnico: Manuel Pellegrini.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo