Em 1999, zagueiro do Caxias entrou em coma após agressão. Relembre! | OneFootball

Em 1999, zagueiro do Caxias entrou em coma após agressão. Relembre!

Logo: Jogada10

Jogada10

O caso envolvendo o jogador William Ribeiro, que agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro Dias com um chute na cabeça, na noite desta segunda-feira, durante a partida entre São Paulo-RS e Guarani de Venâncio Aires, pela Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho, não foi algo inédito na história da competição. Há 22 anos, o centroavante Darzone, que defendia o Santo Ângelo, acertou o zagueiro Régis, do Caxias, com um soco na cabeça e chocou o futebol brasileiro com as consequências do ato.

Em 13 de novembro de 1999, a agressão de Darzone mudou a vida de Régis. O zagueiro, na época com 19 anos, sofreu traumatismo craniano e ficou em coma por 19 dias. Foi uma situação mais grave que o caso envolvendo o jogador William Ribeiro e o árbitro Rodrigo Crivellaro Dias, que recebeu alta na manhã desta terça-feira após ficar a noite em observação no hospital. Régis sobreviveu, mas diferentemente do juiz Rodrigo, sofreu com as sequelas do golpe de Darzone pelo resto de sua vida.

Régis precisou se aposentar do futebol por conta das sequelas da agressão de Darzone – Arquivo Pessoal

Na época, Régis era um zagueiro promissor e titular do Caxias – que era comandado pelo técnico Tite. O defensor se destacou na Copa São Paulo de Futebol Júnior e tinha proposta para jogar no futebol japonês. Por conta das sequelas do traumatismo, Régis precisou pendurar as chuteiras e encerrar precocemente uma carreira promissora. Ele precisou encarar três meses de fisioterapia e fonoaudióloga. Três anos depois do caso, foi diagnosticado com epilepsia.

Mas o que aconteceu com o Darzone, Jogada10? O centroavante tentou seguir a carreira no futebol. Em 2007, no entanto, ele foi condenado a dois anos de prisão. Ele cumpriu um terço em regime aberto e o restante em condicional. Cinco anos depois, em 2012, a Justiça deu ganho de causa a Régis e obrigou Santo Ângelo a indenizá-lo. No mesmo ano, Darzone se aposentou.

Caso William Ribeiro

O jogador William Ribeiro agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro Dias com um chute na cabeça. A agressão ocorreu aos 16 minutos da etapa final da partida entre São Paulo-RS e Guarani de Venâncio Aires. O juiz chegou a ficar inconsciente e foi levado ao hospital. Já a partida foi adiada. William Ribeiro foi preso em flagrante pela Polícia Militar e autuado por tentativa de homicídio qualificado. O jogador do São Paulo-RS teve o contrato rescindido na manhã desta terça.

Na Justiça Desportiva, William Ribeiro pode responder no artigo 254-A do CBJD por “praticar agressão física durante a partida”, com pena de até dois anos de suspensão (pena mínima de 180 dias). O jogador ainda pode ser impedido de voltar a jogar mesmo após cumprir o prazo de suspensão. Além disso, o jogador ainda pode responder pelo crime de lesão corporal (artigo 129 do Código Penal), que pune a conduta de “ofender a integridade física ou a saúde de outra pessoa”.

William Ribeiro acertou o árbitro Rodrigo Crivellaro Dias com um chute na cabeça, enquanto este estava caído no chão e sem condições de se defender do ataque – Reprodução

Histórico de violência

A agressão ao árbitro Rodrigo Crivellaro Dias não foi a única na carreira do jogador William Ribeiro. O atleta possui um histórico violento e passagens pela polícia. William Ribeiro tem três registros policiais, sendo duas por lesões corporais e uma por vias de fato, cujas datas são 2009, 2015 e 2021.

Neste ano, além do árbitro Rodrigo Crivellaro Dias, William Ribeiro também agrediu um torcedor do São Paulo-RS que cobrava o técnico China Balbino, no último mês de setembro. Após ser preso em flagrante por conta da agressão ao juiz, o jogador ficou em silêncio durante o depoimento na delegacia.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo