Efeito dominó: análise de posturas de sucesso do Barcelona e erros do Wolfsburg | OneFootball

Efeito dominó: análise de posturas de sucesso do Barcelona e erros do Wolfsburg

Logo: Planeta Futebol Feminino

Planeta Futebol Feminino

No último dia 22, Barcelona e Wolfsburg se enfrentaram no Camp Nou pela partida de ida da semifinal da UEFA Women’s Champions League. As 91.648 pessoas presentes assistiram atuação dominante das espanholas, que venceram as alemãs por 5 a 1. Neste texto, trarei análise baseada em “frames” (prints da transmissão oficial) de lances importantes. Neles, destacarei pontos positivos e negativos de ambas as equipes para tentarmos entender como se deu a construção desse placar elástico. Acompanhe a descrição da jogada em destaque e, na sequência, a imagem de referência com a análise.

Esta análise será dividida neste texto e no Twitter, em formato de Thread (fio) no perfil @amandavsilva . Clique no link em destaque para acompanhar os detalhes.

BARCELONA – POSICIONAMENTO

Imagem para notarmos o início da construção ofensiva da equipe. Perceba que Patri Guijarro desce para linha de zaga, se posicionando entre Mapi León e Irene Paredes. Fridolina Rolfö (esquerda) e Marta Torrejón (direita) buscam dar amplitude, abrindo o campo. Jenni Hermoso se movimenta como referência no ataque e caindo na zona de meio-campo, gerando espaço entre a linha de defesa do Wolfsburg.

LANCE PERIGOSO – ANA-MARIA CRNOGORČEVIĆ

Hermoso dá amplitude e é acompanhada por Felicitas Rauch. No miolo, Aitana Bonmatí é seguida por Alex Popp. Caroline Graham Hansen, por dentro, é vigiada por Dominique Janssen. Guijarro, em progressão (seta vermelha), se desgarra de Jill Roord (distância em amarelo), que para e fica assistindo o lance.

Na sequência, Hansen se movimenta em direção à ponta (em vermelho), puxando Janssen. Com isso, abriu-se espaço na entrada da área do Wolfsburg (listras cinzas). Guijarro continuou em progressão, atacando o buraco na defesa e dando linha de passe para Hermoso. Passiva, Roord permaneceu parada.

Efeito dominó para concluir o lance. Guijarro (#12) com a bola. Kathrin Hendrich (#4) se desloca para tentar compensar e cobri-la. Assim, acaba deixando Ana-Maria Crnogorčević (#18) solta para infiltrar (em vermelho) no espaço vazio (em cinza). Janssen (#6) não consegue se deslocar a tempo para cobrir o espaço dado. Roord (#14), que deveria acompanhar Guijarro, continua parada na mesma posição de início da jogada. Crnogorčević recebeu a bola, mas finalizou para fora. Dessa forma, temos exemplo de falta de intensidade por parte do Wolfsburg e erros em leituras de movimentações, gerando, assim, desorganização defensiva.

GOL – CAROLINE GRAHAM HANSEN

No início do lance, perceba que as Lobas deixam Alexia Putellas livre no meio. Hendrich se movimenta para pressionar a meio-campista (seta amarela) e deixa espaço vazio em suas costas (destacado em cinza). Janssen, de olho em Hermoso, também está fora da linha de zaga. Joelle Wedemeyer (lateral direita), cobre Crnogorčević.

Na sequência, note que Crnogorčević se posicionou entre Wedemeyer e Janssen (que já havia retornado à linha de zaga), pronta para atacar o espaço, em profundidade, nas costas da defesa. Por outro lado, Hendrich permaneceu fora de posição. Torrejón executa lançamento. Além disso, perceba que a lateral direita do Barcelona tinha 3 linhas de passe disponíveis (em laranja), sem nenhuma marcadora fechando o setor.

Conclusão do lance após falha de Janssen, que perdeu bola na lateral para Crnogorčević. Destaque para o momento em que Hansen recebeu a bola e encontrou muito espaço para progredir (em vermelho). A atacante norueguesa conduziu e finalizou a jogada anotando o gol. Vale destacar a transição defensiva lenta e desorganizada do Wolfsburg, uma tônica na partida.

GOL – JENNI HERMOSO

No detalhe apresento a jogada do terceiro gol do time espanhol. Na fase inicial, perceba que a equipe alemã está “bagunçada”, com algumas atletas fora de suas posições de origem. León tem a posse da bola. Vale ficarmos de olho, em todos os frames, na postura de Janssen.

Na sequência, León passou para Torrejón, que recebeu com muita liberdade. Janssen se movimentou para cobrir espaço em seu lado esquerdo (seta vermelha). Com isso, Wedemeyer passou a olhar Hermoso.

Nesse momento, note o desequilíbrio do sistema defensivo do Wolfsburg. Há espaço livre no meio-campo, justamente onde se localiza o “coração” do Barcelona (área demarcada). Hansen, na amplitude do campo, fixou Rauch, fazendo surgir buraco no setor (tracejado à direita). Guijarro dá linha de passe e “pede a bola” (observe sua mão). Torrejón ligou a jogada com Bonmatí.

Agora, perceba o espaço entrelinhas (triângulo verde em destaque). Janssen optou por perseguir Hermoso (seta laranja), ainda que Wedemeyer estivesse em posição melhor. Hansen continuou na amplitude, o que manteve seu setor “aberto”. Assim, Torrejón aproveitou o espaço pela direita para se deslocar (seta amarela). Note a orientação corporal de Guijarro. A meio-campista recebe a bola já inclinada para dar passe em sequência.

Para concluir, veja o lance em outro ângulo. Novamente, o destaque vai para o perfilamento corporal de Guijarro. Vendo a movimentação de Torrejón (em amarelo), a meia já está posicionada para dar o passe de primeira com seu “pé bom” (setinha laranja). O Wolfsburg, como um todo, está marcando a bola. Observe Svenja Huth. Ela, olhando para Guijarro, esquece Torrejón. Na sequência, a lateral direita recebeu, entrou na área e cruzou para Hermoso marcar. Dessa forma, temos mais um exemplo de movimentações inteligentes do Barcelona, somadas a erros de leitura por parte das Lobas, que morderam facilmente as iscas.

JOGADA DE PERIGO – INVERSÃO DE LADO

No início, perceba o posicionamento das jogadoras, bem como o espaço existente no meio (detalhe em azul). Note que Rolfö foi esquecida.

Evoluindo a jogada, tivemos troca de passes de Guijarro para Hansen, para Hermoso, para Bonmatí. Como havia buraco no meio-campo, Barcelona conseguiu espaço para trocar passes de forma veloz e produtiva. Com a bola, Bonmatí teve muito campo para executar a inversão de jogo sem ser incomodada. Faltou bastante intensidade por parte das Lobas nesse momento. Perceba que Tabea Waßmuth não fechou a linha de passe, assim como Huth. Rolfö, que permaneceu esquecida, foi o alvo do lançamento.

Finalizando a jogada, Rolfö escapou com a bola dominada pela esquerda. A sueca tinha duas opções de passe: encontrar Putellas na entrada da área (em amarelo) ou cruzar para o miolo, buscando Crnogorčević (em vermelho). Escolheu-se a segunda, com a bola passando pela extensão da área. Nesse lance como um todo foi possível notar problema recorrente de espaços pelos lados e nas costas da zaga. Além disso, a portadora da bola com muito tempo para “pensar” e transição defensiva lenta.

LANCE PERIGOSO – ANA-MARIA CRNOGORČEVIĆ

Vamos ao nosso último lance. A jogada começa na defesa do Barcelona. Note o posicionamento da zaga do Wolfsburg: temos situação de 1 contra 1 na marcação (detalhe laranja). Sem pressão na portadora da bola (Paredes), perceba a distância das jogadoras da equipe alemã – Waßmuth, Huth, Popp e Sveindís Jónsdóttir – mais próximas à zagueira (destaque em amarelo).

Na sequência, a bola está em posse de León, que não é pressionada de perto. Note que Hermoso movimentou para abrir espaço e atraiu consigo Janssen (seta amarela). A zaga do Wolfsburg, em marcação individual (detalhe laranja), continuou sem defensora na sobra. Pelo lado do Barcelona, Rolfö dá amplitude pela esquerda. Hermoso e Crnogorčević indicaram à León onde queriam o passe (ver mãos – setinha vermelha). O alvo desejado era a profundidade a ser atacada pela jogadora suíça, que foi lançada e ganhou duelos na velocidade, porém parou na goleira Almuth Schult.

Como se nota, foi essa partida de ida foi marcada pelo domínio do Barcelona, muito feliz na imposição de seu jogo, bem como nas suas movimentações, conseguindo capitalizar sobre os erros cedidos pelo Wolfsburg. Por parte das alemãs, foi uma atuação bastante infeliz, com muitas imprecisões, que acabaram custando muito caro. As leituras equivocadas, perseguições ruins gerando espaços e falta de concentração foram a tônica das Lobas no confronto.

Para o duelo da volta, o Wolfsburg precisará escalar montanha gigante em busca da remontada. O texto “Arbeit – Fußball – Leidenschaft: Wolfsburg em busca de um milagre”, no site do Planeta Futebol Feminino, dá detalhes sobre esta situação (Link aqui).

Por fim, para análise de outros lances do confronto Barcelona x Wolfsburg, veja a Thread (fio) no perfil do Twitter @amandavsilva (Link aqui). O conteúdo foi dividido em duas partes.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo