Do Cruzeiro e da Seleção Brasileira sub-20, Micaelly fala sobre convocação, inspiração em Marta e Formiga e metas: ‘Brasileiro e Copa do Mundo’

Logo: Esporte News Mundo

Esporte News Mundo

Imagem do artigo: Do Cruzeiro e da Seleção Brasileira sub-20, Micaelly fala sobre convocação, inspiração em Marta e Formiga e metas: ‘Brasileiro e Copa do Mundo’

Em entrevista exclusiva ao Esporte News Mundo, Micaelly, jogadora do Cruzeiro e da Seleção Brasileira Sub-20, de 20 anos, abriu o jogo e falou sobre o início de sua carreira, metas com a camisa celeste e convocação para a Seleção Brasileira. Anunciada em março de 2019, a meia fez parte da primeira equipe de futebol feminino da Raposa. Assista na íntegra.

– Me sinto muito honrada por estar aqui (jogando no Cruzeiro). Sei que é uma camisa de muito peso e que tem muita história, é um time que tem muita história. Então, é uma responsabilidade muito grande de estar aqui dentro e fazendo o meu trabalho. Só tenho a agradecer pelo ano passado, em que muitas coisas boas aconteceram. Neste ano, começamos bem, caiu e, agora, no fim da competição, conseguimos manter lá em cima. Infelizmente, não conseguimos a meta que queríamos, porém nos esforçamos bastante. A única palavra que tenho para dizer é que sou muito grata em usar a camisa do Cruzeiro e, enquanto eu estiver aqui, vou honrar ela do começo ao fim. E para os torcedores, sempre deixar o meu máximo –, declarou.

Micaelly esteve em campo com a camisa do Cruzeiro em 31 oportunidades e marcou 16 gols, sendo dois deles de pênalti.

O COMEÇO DE TUDO…

A jovem jogadora contou que o início de sua carreira foi bem curioso. Isso porque, Micaelly foi, nas palavras da atleta, obrigada pela mãe a jogar futebol, o que deu muito certo, tanto para ela quanto para quem tem o prazer de contar com a sua maestria e/ou vê-la em campo.

– Comecei a jogar futsal com 6 anos, quando minha mãe colocou eu e minha irmã na escolinha do meu tio Dominguinhos. Então, com 13 anos, comecei a jogar campo, mas oficialmente mesmo, eu comecei a jogar com 14 anos, quando fui para a Seleção Brasileira, em uma seletiva que aconteceu em Manaus. Eu não queria, mas minha mãe me colocou a força mesmo, graças a Deus, e deu tudo certo. Hoje, sou muito grata a ela e ao meu pai por terem insistido em mim e fizessem com que eu seguisse em frente no futebol. Eles sempre me apoiaram desde pequena e até hoje continuam me apoiando e eu sou tenho a agradecer.

COM A AMARELINHA…

Vira e mexe, Micaelly é convocada para defender a camisa da Seleção Canarinho. Desde os 14 anos, a jogadora vive a experiência de vestir a amarelinha, o que, segundo ela, é uma honra. Além disso, a jogadora destaca seu mérito: “É fruto do meu trabalho.”

– Fico feliz por em cada convocação meu nome estar na lista. Acho que isso vem do fruto do meu trabalho, porque se eu não fizer o meu trabalho aqui no clube, meu nome nunca vai sair na lista. Então, eu procuro sempre dar o meu melhor nos treinos e nos jogos para que o meu nome sempre esteja na lista de convocadas.

A meia se encontra, atualmente, em período de treinamentos com a Seleção Brasileira Sub-20 desde o dia 19 deste mês.

VALORIZAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE!

Sobre o crescimento e ganho de espaço que o futebol feminino teve nos últimos anos, Micaelly destacou a alegria em ver a valorização da modalidade. A jogadora, inclusive, ressaltou a importância dessa herança paras as jovens jogadoras que, hoje, dão os primeiros passos no esporte.

– Hoje em dia o futebol feminino está bem mais valorizado do que antes. Acho que isso é um passo bem importante para todas as equipes e para as meninas que estão começando e almejando chegar no topo. Fico super feliz com essa evolução e espero que continue para que, mais para frente, possamos conquistar muitas coisas além do que não tínhamos antes. É continuar assim, com as pessoas apoiando, dando mais valor pra gente porque a gente merece. Melhorou muito do que antigamente. Então, fico feliz por estarem valorizando o futebol feminino cada vez mais.

FORA DOS CAMPOS!

Quem é a Micaelly dentro das quatro linhas e jogando bola todo mundo sabe, mas e como é a Mica fora dos gramados? Com um sorriso no rosto, digno da alegria da atleta, ela mesmo contou o que gosta de fazer além de mandar a bola para o fundo das redes.

– A Mica fora dos campos é uma pessoa muito alegre e feliz, que gosta de zoar com as meninas (companheiras de elenco) no alojamento, gosta de resenhar, cantar uma musiquinha, jogar um free fire, assistir filme e, às vezes, sair para curtir.

Cantar e/ou ouvir música transcende o particular e passa também para a arte com os pés. Isso porque, de acordo com a meia, as músicas também embalam os gols e as vitórias celestes. Do brega funk ao pop, a playlist eclética é motivo de alegria para ela e suas companheiras de jogo. “É tudo pra gente”, diz.

BATE RÁPIDO!

Quase sempre quando ouvimos uma palavra ou frase, lembramos de alguém. Para Micaelly, ao ouvir a palavra “inspiração”, quatro imagens surgem em sua mente, duas delas jogadoras de futebol, ambas em atuação e brasileiras: Marta e Formiga, suas inspirações em campo. Já na vida, a figura familiar se faz presente: seus pais, as maiores fontes de inspiração para a jovem em sua vivência.

Suas metas também estão bem delineadas, seja com a camisa do Cruzeiro ou com a da Seleção Brasileira. Para ela, o maior sonho com a amarelinha é conquistar a Copa do Mundo. Já como “Cabulosa”, a ambição é conquistar o Campeonato Brasileiro.

Por fim, no bate rápido, ao ser perguntada sobre a melhor jogadora do mundo, Micaelly respondeu, sem pestanejar: “Marta”.

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.