Devils: A dinastia na era Cristiano Ronaldo

Logo: FNV Sports

FNV Sports

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwww.futebolnaveia.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F01%2Fcr7-2-scaled-e1611194127141.jpg&q=25&w=1080

Nesta semana, a Coluna Reino Unido pelo Futebol, fala sobre uma das maiores relações entre time e jogador, Manchester United e Cristiano Ronaldo. Em 12 de agosto de 2003, o Manchester United confirmava a maior contratação de sua história e também do futebol inglês: Cristiano Ronaldo, e não estamos falando em reais, euros ou dólares! Em seis anos no país da família real, o português fez chover, nevar e ensolarar, conquistou um total de nove títulos e se tornou para muitos o maior ídolo dos Red Devils.

LEIA MAIS:

CONTRATAÇÃO

A princípio, Cristiano iniciou sua carreira no Sporting de Portugal e em 25 partidas marcou 3 gols. Já atraindo a atenção de grandes times, como o Arsenal (um dos principais rivais do clube em que ele viria a se tornar ídolo). Mas, os Gunners não conseguiram chegar a um acordo com a diretoria dos leões.

CR28, naquele momento da carreira, impressionou o futuro comandante, Alex Ferguson, em um amistoso contra o Manchester United. Amistoso esse, realizado para a inauguração do Estádio José Alvalade e com a vitória de 3 a 1 para os lusitanos. O desempenho de Ronaldo encantou inclusive os jogadores do United, que no voo de volta à Inglaterra, pediram a Ferguson para contratar o garoto, visando substituir David Beckham, que acabara de se transferir para o Real Madrid

E não deu outra, o United o apresentou no Old Trafford aos 17 anos, como uma grande promessa, mas, como coadjuvante, a grande contratação à época foi o meia Kleberson, que a pouco tempo havia se tornado campeão do mundo com a seleção brasileira. Ademais, Cristiano Ronaldo se tornou o primeiro jogador português do Manchester.

ESTREIA E PRIMEIROS GOLS

Ronaldo fez sua estreia pelos Devils na Premier League com uma vitória, em casa, por 4 a 0 sobre o Bolton Wanderers, em 16 de agosto de 2003. O futuro craque recebeu aplausos de pé quando entrou substituindo Nicky Butt aos 60 minutos. George Best (melhor jogador do mundo em 1968 e um dos maiores da história do futebol mundial), elogiou seu desempenho e o considerou “sem dúvida, a estreia mais emocionante que ele já tinha visto”. Cristiano sofreu um pênalti na partida, desperdiçado por Van Nistelrooy.

CR7 marcou seu primeiro gol em solo inglês no dia 1º de novembro de 2003, em cobrança de falta perto da linha lateral. Cristiano Ronaldo terminou sua primeira temporada no futebol inglês marcando o primeiro gol, na vitória do United por 3-0 sobre o Millwall, na final da FA Cup, quando ganhou seu primeiro troféu. Ao fim de sua primeira temporada em Manchester, o cinco vezes melhor jogador do mundo marcaria seis gols e daria nove assistências em 40 jogos

Em sua segunda temporada pelo United, foram nove gols e dez assistências. Nesta temporada, o gajo marcou o milésimo gol do United na Premier League, apesar dos números, foi a única época na qual o clube passou em branco nos títulos durante a passagem de CR7 por lá.

ATRITO COM VAN NISTELROOY

Durante sua terceira época no reino unido, Cristiano se envolveu em diversos incidentes. O craque teve uma suspensão imposta pela UEFA por mostrar o dedo do meio para torcedores do Benfica e também foi expulso em um Derby de Manchester por um chute em Andy Cole, na ocasião derrota por 3 a 1 para o Manchester City.

No primeiro semestre de 2006, explodiu a bomba na imprensa da briga nos Devils entre Van Nistelrooy e CR7, motivo? Porque, segundo o holandês, o luso era muito fominha e só queria driblar. Em um treino, Nistelrooy se irritou mais uma vez com Cristiano Ronaldo e o cobrou por não tocar a bola. Começou uma discussão e ambos trocaram agressões, segundo os jornais The Sun e The Guardian.

Jogadores e comissão técnica correram para separar os dois. Foi quando, Nistelrooy, ao ver Cristiano ser segurado por seu compatriota, Carlos Queiroz, então auxiliar do técnico Alex Ferguson, disparou uma provocação: “Sim, sim, agora vai correndo para seu papaizinho”, referindo-se a Queiroz. “Não tenho pai. Ele já morreu”, respondeu Cristiano, cujo pai havia morrido poucos meses antes, no fim de 2005. O português então começou a chorar e foi para o vestiário. Ruud, recusou-se a pedir desculpas na ocasião.

Os dois jogadores admitiram a discussão, mas negaram a gravidade do caso. Nistelrooy, chegou a ser afastado do time, ao fim da temporada deixou o Manchester, acertando com o Real Madrid. CR7 não parou de crescer no Manchester. Três anos depois, eles se tornaram novamente companheiros, na equipe espanhola, mas a briga ficou no passado.

POLÊMICA COM ROONEY

Por fim, após a Copa do Mundo FIFA de 2006 , na qual ele se envolveu em um incidente em que o companheiro de equipe Wayne Rooney foi expulso, Cristiano pediu publicamente uma transferência, lamentando a falta de apoio que sentiu ter recebido do clube durante o incidente.  O United, no entanto, negou a possibilidade de ele deixar o clube. Todavia, se engana quem pensa que os dois não se davam bem, tinham um entrosamento gigantesco em campo. Juntos Cristiano e Rooney disputaram 206 jogos e combinaram em 181 gols e 92 assistências.

Tempos depois Rooney comentou sobre a polêmica: “Falei com CR7 após o jogo, no túnel. Eu disse a ele que certamente a imprensa iria fazer um show com isso. Eu disse para ele não se preocupar, eu teria feito a mesma coisa, ele era meu companheiro de time, mas se eu pudesse tê-lo expulsado, eu faria”

PRIMEIRA PREMIER LEAGUE E PRÊMIOS INDIVIDUAIS

Embora no início da temporada 2006/07 Cristiano tenha sido vaiado, devido ao desentendimento com Rooney, o luso fez 23 gols pela primeira vez e conquistou sua primeira Premier League para os fãs do lado vermelho de Manchester, além de 21 passes para gol.

Um fator importante para esse sucesso, foi seu trabalho individual com o treinador de desenvolvimento de habilidades técnica do time titular, René Meulensteen, que o ensinou a tornar-se mais imprevisível, melhorar seu trabalho em equipe, pedir a bola no momento certo e ser mais objetivo nas oportunidades de gols, ao invés de esperar pela chance de fazer os gols esteticamente mais agradáveis ​​pelos quais já era conhecido.

Ele marcou três gols consecutivos no final de dezembro, que colocaram o United na liderança do campeonato, com isso, escolheram Ronaldo o “Jogador do mês” da Premier League em novembro e dezembro, tornando-se apenas o terceiro jogador a receber honras consecutivas.

Na fase de quartas de final da UEFA Champions League 2006-07, Ronaldo marcou seus primeiros gols em sua 30ª partida na competição, acertando a rede duas vezes na vitória por 7-1 sobre a Roma. Nas semis, o craque marcou aos quatro minutos na primeira partida contra o Milan , que terminou em uma vitória por 3-2. Mas, no jogo da volta os Ingleses foram eliminados, o United perdeu por 3-0 no San Siro .

Neste mesmo ano, em mais uma partida decisiva, o Chelsea se sagrou campeão da FA cup em cima do Manchester por 1 a 0. Nada que abalaria a moral do time, principalmente a mente indomável de Cristiano, que poucas partidas depois marcaria o único tento na vitória sobre o City, tento esse que deu o título da Premier League para os Devils após 4 anos.

MELHOR TEMPORADA NO FUTEBOL INGLÊS

Como consequências de atuações formidáveis, o jovem Ronaldo acumulou uma série de honrarias pessoais.  Tornando-se o primeiro jogador a ganhar as quatro principais honras da PFA e FWA. Associações que premiam os melhores jogadores, técnicos e etc da temporada inglesa anualmente. Seu salário foi aumentado para 120.000 mil libras por semana (31 milhões de libras no total) e a extensão de contrato de cinco anos com o United.  No final de 2007, Ronaldo foi nomeado pela Bola de Ouro (France Football) como segundo melhor do mundo, atrás de Kaká e ficou em terceiro lugar, atrás de Kaká e Messi, na disputa pelo Melhor Jogador do Mundo FIFA.

CR7 teve como sua melhor temporada no futebol inglês a de 2007/2008. Onde marcou seu primeiro e único hat-trick por lá em uma vitória por 6-0 sobre o Newcastle United em 12 de janeiro de 2008. Levou o United ao topo da tabela da Premier League, conquistou a liga dos campeões, além da bola de ouro.

Em 19 de março de 2008, ele foi o capitão do United pela primeira vez em uma vitória em casa sobre o Bolton, e marcou os dois gols da partida. Seu segundo gol foi o 33º na campanha, que superou o total de 32 gols de George Best na temporada 1967-68, estabelecendo assim o novo recorde do clube em uma única temporada por um meio-campista (posição que atuava à época). Seus 31 gols na liga lhe renderam a “Chuteira de Ouro da Premier League”, bem como a “Chuteira de Ouro Europeia”, o que o tornou o primeiro ala a ganhar o prêmio. Ele também recebeu os prêmios de Jogador do Ano da PFA e Jogador de Futebol do Ano da FWA pela segunda temporada consecutiva.

CAMINHO ATÉ A FINAL DA LIGA DOS CAMPEÕES

Pela principal competição de clubes do planeta, o português liderou seu clube ao título, com oito gols, sendo o artilheiro e melhor jogador naquela edição. Na fase de grupos, o Manchester United teve 5 vitórias e um empate. Cristiano foi responsável por 5 gols, incluindo dois contra o Sporting de Portugal (time onde foi revelado), com um belíssimo gol de falta no segundo jogo.

Nas oitavas de final, enfrentando o Lyon, CR7 definiu a classificação do Manchester no Old Trafford, após empate por 1 a 1 na França. Nas quartas, enfrentando a Roma, o Gajo fez o gol que abriu o placar na vitória por 2 a 0. Na volta, 1 a 0 com gol de Tevéz e classificação para as semis.

No primeiro confronto bastante decisivo entre Messi e Ronaldo, melhor para o português, que viu no jogo da volta Scholes brilhar. Marcando um gol fantástico que deu a vaga à final para os Ingleses após o empate por 0 a 0 na Catalunha.

FINAL E PÊNALTIS EMOCIONANTES

Na final, clássico contra o Chelsea, aos 25 minutos da primeira etapa Cristiano subiu e cabeceou monumentalmente para abrir o placar. Aos 44 ainda do primeiro tempo, Lampard empatou a partida que permaneceu dessa forma até os pênaltis.

Nas duas primeiras cobranças, perfeição para os dois lados, do lado vermelho, Tevez e Carrick, do lado azul Ballack e Belleti acertaram suas cobranças. Até que no terceiro pênalti, Cristiano foi para cobrança e Cech defendeu. Lampard tratou de virar a disputa de penais, Hargreaves empatou novamente, Ashley Cole colocou o Chelsea, a um pênalti do título europeu. Nani empatou novamente a disputa, John Terry, capitão do clube londrino podia dar o título mas escorregou e desperdiçou a chance. Anderson, Kalou e Giggs seguiram acertando, até que Van der Sar defendeu o chute de Anelka e deu o caneco aos Devils. CR7 desabou em lágrimas até a felicidade indescritível de levantar o troféu.

‘Contudo, Ronaldo marcou um total de 42 gols e deu 8 assistências em todas as competições durante a temporada 2007-08. Sua campanha mais prolífica durante sua passagem pela Inglaterra.

ÚLTIMA TEMPORADA NA INGLATERRA

No começo de sua última temporada em solo britânico, Cristiano perdeu três partidas depois de dar uma cabeçada em um jogador do Portsmouth. Uma experiência em que o Bicho disse que certamente o ensinou a não permitir que os adversários o provoquem.

Enquanto rumores circulavam sobre o interesse de Ronaldo em se mudar para o Real Madrid , o United entrou com uma queixa de adulteração com a FIFA sobre a suposta perseguição dos Blancos com seu jogador, que ao fim não resultaria em nada. O presidente da FIFA, Sepp Blatter, afirmou que o jogador deveria ter permissão para deixar seu clube, descrevendo a situação como “escravidão moderna”. Apesar de Ronaldo concordar publicamente com Blatter, ele permaneceu no United por mais um ano.

Inesperadamente, antes da temporada 2008-09 iniciar, em 7 de julho, Ronaldo foi submetido a uma cirurgia no tornozelo, que o manteve fora de ação por 10 semanas. Aliás, após seu retorno, ele marcou seu 100º gol em todas as competições pelo United. Com o primeiro de dois gols de falta naquela partida, em uma vitória por 5-0 contra o Stoke City em 15 de novembro. Na final do Mundial de Clubes, Cristiano fez a assistência para o gol de Rooney contra a LDU de Quito.

BOLA DE OURO E SAÍDA

Embora, tantas glórias, veio a maior que um jogador pode sonhar. Porque, em 2 de dezembro de 2008, o jovem humilde da ilha da madeira conquistava seu primeiro troféu de melhor jogador do mundo, tornando-se enfim o primeiro jogador do United a receber o prêmio desde George Best em 1968.

Durante a temporada , Cristiano marcou contra o Porto, um gol de 40 metros de distância, que logo depois ganhou o prêmio Puskas, como o gol mais bonito do ano. Conquistou sua terceira Premier League e mais uma copa da liga, chegou até a final da liga dos campeões, mas foram derrotados para o Barcelona. Dessa forma, ao fim da época, o lusitano totalizou 26 gols e 12 assistências. Aliás, seu último gol pelo Manchester United veio em 10 de maio de 2009 em cobrança falta, no clássico de Manchester em Old Trafford.

Decerto, a linda história teve um fim no dia 11 de Junho de 2009. Todavia, quando, o Manchester United confirmou a venda de sua maior estrela para os merengues. Embora, naquele momento, a maior transação da história 94 milhões de euros que lotou os cofres dos ingleses.

Em suma, um reencontro pode acontecer a qualquer momento, em várias ocasiões a volta de Cristiano à Inglaterra é especulada. Mas, independentemente do retorno ou não, o legado deixado é insubstituível, inegável e fantástico, todos os torcedores dos Devils te amam, Gajo.

Foto Destaque: Reprodução/The Sun