Dedé abre o jogo e conta por que não acertou com o Flamengo em 2019: “Me interessava”

Logo: Coluna do Fla

Coluna do Fla

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fcolunadofla.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F07%2Fdede-zagueiro.jpg&q=25&w=1080

FOTO: BRUNO HADDAD/ CRUZEIRO

Em 2019, o Flamengo realizou altos investimentos no elenco e, não à toa, conquistou a Libertadores da América e o Campeonato Brasileiro, além do Campeonato Carioca. O time recheado de estrelas chegou perto de ter um dos maiores zagueiros daquela época: Dedé.

Na época, o defensor estava no Cruzeiro e o Rubro-Negro tentou a contratação, quando Abel Braga ainda era o técnico. No entanto, em recente entrevista à ESPN, Dedé abriu o jogo pela primeira vez e revelou o motivo para não ter vestido o Manto Sagrado.

– Eu cheguei a conversar com o Abel, ele me ligou, falei para o Abel que eu não queria sair com atrito com o Cruzeiro, mas que eu me interessava e até chegou a rolar uma certa negociação. Cheguei a conversar com o Itair (Machado), ele negou a situação. Hoje, sendo mais claro, as pessoas falam ‘você não aceita, não aceita jogar’ na época do Flamengo, e não teve isso. Na época que eu estava com a lesão bem delicada, em 2016, o Rodrigo Caetano já tinha me ligado e perguntando se eu teria interesse, e foi importante aquela ligação para mim.



Naquela ocasião, Arrascaeta ainda defendia o Cruzeiro e, também, despertou interesse do Flamengo. Foram semanas de uma longa negociação e, no fim, o Rubro-Negro conseguiu a contratação do uruguaio e, em acordo com o time mineiro, desistiu de Dedé. O ex-dirigente do clube de Minas Gerais, Itair Machado, chegou a afirmar que o zagueiro era ‘inegociável’.

– As pessoas falam muita coisa e gerou isso, esse imbróglio todo do Flamengo com o Arrascaeta. O Arrascaeta saiu e o Itair fez a proposta para o Flamengo. Eu não sei se estava de pé ainda, se tinha interesse porque já tinham investido no Arrascaeta também, que sempre esteve numa excelente fase, é um fenômeno, mas eu cheguei até a conversar com o Itair, ver qual era o projeto dele, mas as coisas não caminharam da forma que tavam propondo ali, de compra, a negociação que o Abel me chamou – antes de continuar:

– Mas eu não tenho frustração não porque eu gosto muito do Cruzeiro, eu estava em 2019 vivendo uma grande fase até acontecer o avalanche de coisas negativas no clube, mas eu fiquei bem no Cruzeiro. Foi por méritos também, foi um bom trabalho no Cruzeiro. Eu fiquei bem, fui campeão mineiro invicto muito bem – finalizou.

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo