🤯 Dança das cadeiras de técnicos na Europa está quente

Logo: OneFootball

OneFootball

OneFootball

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F06%2Fimago1002810032h-1000x648.jpg&q=25&w=1080

O vaivém de técnicos projetando a temporada 2021/2022 começou antes mesmo do encerramento da última temporada europeia.

E continua muito quente. Com direito a um gigante, o Real Madrid, em busca de um substituto para Zidane.

Confira a seguir as principais movimentações nas maiores ligas do Velho Continente.


Bayern

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=766&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002898888h-2048x1451.jpg&q=25&w=1080

Buscar reforços dentro da própria Bundesliga é algo normal – principalmente para o Bayern de Munique.

E foi justamente o que aconteceu para muitos dos clubes que trocaram de treinador pensando na temporada que está por vir.

O Bayern, por exemplo, viu Hansi Flick anunciar que deixaria o clube ao término da Bundesliga – o que gerou surpresa.

Não perdeu tempo e contratou Julian Nagelsmann, de apenas 33 anos e um bom trabalho à frente do RB Leipzig.

Mas precisou pagar 25 milhões de euros (cerca de R$ 165 milhões) de multa rescisória para ter Nagelsmann.

Hansi Flick saiu para ser o novo técnico da seleção alemã após a Euro.

RB Leipzig

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002822254h-2048x1366.jpg&q=25&w=1080

O Leipzig não recorreu exatamente a um técnico que trabalhava na Alemanha, mas buscou um substituto “caseiro” para Nagelsmann.

Jesse Marsch, que estava à frente do RB Salzburg, voltou ao clube pelo qual foi assistente na temporada 2o18/2019.

Dortmund

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=771&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002808712h-2048x1462.jpg&q=25&w=1080

O Borussia Dortmund foi até o fim da temporada sob o comando de Edin Terzic – que era auxiliar do demitido Lucien Favre – e que cumpriu muito bem o seu papel: classificou o time aurinegro à Champions e ainda levou a Copa da Alemanha.

É esse time que ele entregou para Marco Rose, que vinha de bons trabalhos à frente do Borussia Mönchengladbach – e que já tinha feito sucesso no RB Salzburg. Sua contratação foi acertada ainda em fevereiro.

Mönchengladbach

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=742&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002788520h-2048x1407.jpg&q=25&w=1080

O austríaco Adolf Hütter vinha de bons resultados no comando do Eintracht Frankfurt, o que chamou a atenção do Mönchengladbach.

Foi confirmado como o substituto de Marco Rose em abril.

Mas encerrou a terceira temporada no agora ex-clube sem algo que parecia muito bem encaminhado: uma histórica vaga na Champions.

O Eintracht derrapou na reta final da Bundesliga e ficou em quinto, com 60 pontos. O Wolfsburg pegou a última vaga com 61.

Eintracht Frankfurt

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002865105h-2048x1365.jpg&q=25&w=1080

E não é que o Eintracht foi buscar justamente no Wolfsburg o substituto de Hütter?

O também austríaco Oliver Glasner é quem comandará o clube a partir da próxima temporada.

Tinha contrato até 2022, o que obrigou seu novo clube a pagar uma multa rescisória e… não disputará a Champions após classificar os Lobos ao torneio.

Precisará se contentar com a Liga Europa.

O Wolfsburg ainda não oficializou seu novo técnico. O mais cotado é o ex-volante Mark Van Bommel, que só tem uma experiência na função: comandou o PSV entre 2018 e 2019.

Bayer Leverkusen

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F06%2Fimago1002738908h-2048x1365.jpg&q=25&w=1080

O Leverkusen chegou a liderar a Bundesliga, mas perdeu força e demitiu Peter Bosz.

Hannes Wolf encerrou a temporada na condição de interino e caberá ao suíço Gerardo Seoane comandar o time a partir de 2021/22.

Seoane fez grande trabalho à frente do Young Boys, conquistando o tricampeonato suíço e eliminando o próprio Leverkusen na última Liga Europa.


Juventus

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago0040571466h.jpg&q=25&w=1080

A primeira experiência de Pirlo no comando de um time principal não foi das melhores.

A Juventus encerrou 2020/2021 com o título da Copa da Itália. Mas passou longe de lutar pela Champions e viu seu hegemonia na Serie A ser interrompida.

Até mesmo a vaga na próxima Champions só veio na última rodada e graças ao tropeço do Napoli.

Pirlo, então, foi trocado por Massimiliano Allegri, que estava há dois anos sem clube.

Allegri retorna ao clube pelo qual conquistou cinco vezes a Serie A e foi à duas finais de Champions.

Inter de Milão

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002880175h-2048x1365.jpg&q=25&w=1080

Sem ter a promessa de mais investimentos após levar a Inter ao título italiano, Conte deixou o clube.

Receberá o equivalente a metade do salário previsto para esse terceiro e último do contrato e passa a ser um dos principais nomes livres no mercado.

O mais cotado para ocupar o seu lugar é Simone Inzaghi (foto).

Lazio

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=731&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2019%2F06%2FChelsea_Sarri_Preocupado.jpg&q=25&w=1080

Um dia após deixar a renovação com Inzaghi encaminhada, a Lazio viu o técnico voltar atrás e deixar o clube.

Comandava a equipe da capital desde 2015/2016 e somou três título: Copa da Itália 2018/19 e a Supercopa da Itália em 2017 e 2019.

Segundo a Gazzetta dello Sport, Maurizio Sarri é o mais cotado após ter ficado livre do contrato com a Juventus – ele ainda tinha uma temporada de vínculo antes de ser demitido.

Napoli

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago0040540496h-2048x1365.jpg&q=25&w=1080

A perda da vaga na Champions League fez Gattuso ser demitido pelo Twitter.

Foi o que fez o sempre polêmico Aurelio De Laurentiis, presidente do Napoli, em seu perfil na rede social.

Luciano Spalletti, que estava sem clube desde 2019, é a aposta da vez.

Fiorentina

Mas Gattuso, que conquistou a Copa da Itália de 2020 pelo Napoli, ficou pouco tempo sem emprego.

Terá a missão de comandar a Fiorentina, que não passou do meio da tabela em 2020/2021.

E era treinada por Giuseppe Iachini.

Roma

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=699&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002612639h-2048x1325.jpg&q=25&w=1080

O primeiro clube italiano a anunciar seus planos para 2021/2022 foi a Roma.

Paulo Fonseca recebeu a notícia que não continuaria na equipe da capital para a próxima temporada após a eliminação na Liga Europa.

E viu ele, José Mourinho, ser confirmado.

Mou retornará ao futebol italiano após o grande sucesso com a Inter de Milão.

Mas terá de se contentar em disputar a Conference League em seu início pelo clube.

Sassuolo

O Sassuolo largou muito bem na última Serie A, perdeu fôlego, mas fez um grande campeonato com um oitavo lugar: repetindo 2019/2020.

E Roberto de Zerbi teve seu trabalho reconhecido: foi contratado pelo Shakhtar Donetsk.

O clube italiano ainda não confirmou quem assume para 2021/22.

Real Madrid

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F04%2Fimago1002067982h.jpg&q=25&w=1080

“Saio porque o clube não me dá a confiança que preciso, não me oferece o apoio para construir algo a médio ou longo prazo”.

Foi o que disse Zidane após tomar a decisão de deixar o Real.

Encerrou a segunda passagem à frente do clube com uma La Liga e uma Supercopa. E sem nenhuma taça em 2020/2021.

O novo técnico de Benzema, Modric & Cia.? Ainda não se sabe.

Valencia

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002865413h-1-2048x1365.jpg&q=25&w=1080

Após perder investimento e lidar com a saída de seus principais jogadores, o Valencia aposta em José Bordalás.

Bordalás esteve à frente do Getafe nas últimas cinco temporadas.

Colecionou bons resultados – acesso à elite e quinto lugar em 2018/2019 – e chamou a atenção pelo estilo de jogo.

Míchel González, que terá nova passagem pelo clube, assumiu o time da Grande Madri.

Lille

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002838157h-2048x1366.jpg&q=25&w=1080

Christophe Galtier fez história ao comandar o Lille na conquista da última Ligue 1 desbancando o PSG.

Mas deixou o clube logo após o feito – encerrando um ciclo de quatro temporadas.

E garantindo que a decisão estava tomada antes mesmo da conquista.

Afirmou que ouviria propostas de Napoli, Lyon e Nice.

Somente o último ainda está sem clube – o romeno Adrian Ursea era o técnico.

Lyon

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=719&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F05%2Fimago1002919348h-2048x1363.jpg&q=25&w=1080

Após encerrar a temporada sem vaga na Champions, o Lyon demitiu Rudi Garcia.

E buscou Peter Bosz, conhecido por não ter medo de apostar em atletas jovens.

Wolverhampton

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=719&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F06%2Fimago1001371630h-2048x1363.jpg&q=25&w=1080

Nuno Espírito Santo, técnico do clube mais português da Premier League, deixou o Wolverhampton após quatro temporadas.

Conquistou o acesso à Premier League e dois sétimos lugares.

Mas viu o Wolves não passar de um 13º lugar na última temporada.


Foto de destaque: Foto: IMAGO / MIS