Cuello e Canobbio marcam pela primeira vez e Athletico ganha sobrevida na Libertadores | OneFootball

Cuello e Canobbio marcam pela primeira vez e Athletico ganha sobrevida na Libertadores

Logo: Esporte News Mundo

Esporte News Mundo

Na última quarta-feira (18) o Athletico derrotou o Libertad, do Paraguai, por 2 a 0 e assumiu a segunda colocação no grupo B da Libertadores. Os gols foram anotados por Thomas Cuello e Agustín Canobbio e ajudaram o Furacão a retornar a disputa por uma vaga em busca da próxima fase do torneio continental, e ainda sonhar com a primeira colocação do grupo ao final da última rodada.

O argentino e o uruguaio foram as duas maiores contratações da história do rubro-negro, posteriormente superados por Vitor Roque que ainda não pode ser inscrito na Libertadores; e na partida desta quarta-feira (18) decidiram a partida na Libertadores, o jovem do Uruguai foi bastante participativo mas o destaque fica com o camisa 28 que além de fazer o primeiro gol esteve bem durante o primeiro tempo quando o time paraguaio estava postado na defesa.

Com o gol de Cuello, o jogo se abriu e consequentemente o espaço para o contra-ataque que originou o gol de Canobbio foi possível. Após os dois gols, o time de Curitiba controlou o restante da partida com direito a gol perdido por Pedro Rocha nos instantes finais do jogo, lance contestado por um pedido de pênalti sob o atacante athleticano. Pouco antes do rubro-negro abrir o marcador, houve um lance onde o goleiro Bento saiu do gol para abafar um contra-ataque em que os jogadores paraguaios pediram a expulsão do arqueiro, a arbitragem mandou o jogo seguir.

Para saber tudo sobre o Athletico, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

O atacante Pablo foi bastante criticado pelos gols perdidos nas últimas partidas, em especial a chance de gol mais clara contra o Fluminense no último final de semana, e foi vaiado na escalação. Porém com o crescimento da equipe, pôde sair de campo aplaudido pela torcida. Outro jogador que recebeu críticas foi o volante Christian, mas a sua atuação na segunda etapa foi bastante elogiada pela torcida rubro-negra.

Ao final da partida, o técnico do Athletico, Felipão, ao substituir Canobbio permitiu que o uruguaio saísse ovacionado tendo seu nome cantado em uníssono pelas mais de 20 mil pessoas que estavam na Arena da Baixada. O argentino Cuello seguiu até o apito final do árbitro quando recebeu da entidade que organiza o torneio o prêmio por ter sido eleito o melhor jogador em campo.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo