Com passagens pelo futebol brasileiro e exterior, Roberto Braga é o novo coordenador de base do Cruzeiro | OneFootball

Com passagens pelo futebol brasileiro e exterior, Roberto Braga é o novo coordenador de base do Cruzeiro

Logo: Deus me Dibre

Deus me Dibre

FOTO: EC BAHIA

Um mês após a saída de Gustavo Ferreira da coordenação de base do Cruzeiro, a nova gestão definiu seu substituto. Trata-se de Roberto Braga, formado em educação física e com passagens por Boavista-PT, Ferroviária-SP, Bahia, Guangzhou Evergrande, da China. Estudioso do esporte, o profissional também participou por quatro anos da Universidade do Futebol, onde era responsável pela produção e coordenação de cursos e projetos de consultoria ligados ao Núcleo de Ensino da Universidade, segundo seu LinkeDin.

Braga chega para substituir Gustavo Ferreira, desligado do cargo após Ronaldo adquirir 90% das ações da SAF do Cruzeiro. O profissional trabalhou com Pedro Martins na Ferroviária, onde exerceu a função de Coordenador das Categorias de Formação entre 2016 e 2018 e Diretor de Planejamento e Desenvolvimento entre 2018 e 2019. Também ficou um ano no Bahia entre 2019 e 2020 como Coordenador técnico e gestor das categorias de base. Acabou deixando o clube após convite do Guangzhou Evergrande, da China, onde foi coordenador técnico até novembro do ano passado.

Em entrevista para o Yahoo Esportes (confira aqui) em novembro de 2019, quando chegou ao Bahia, Roberto falou sobre o trabalho que iria exercer nas categorias de base do clube. Um dos processos passava por identificar quatro pilares que utiliza como guia para uma cadeia de formação de base,

“Uma é, talvez a principal, a irreverência. Isso é uma marca do povo baiano, das pessoas daqui, e não podemos perder. É algo que nos diferencia como futebol brasileiro, e, mais ainda, localmente. Isso com responsabilidade, profissionalismo, mas sendo agressivo, ousado, de querer fazer algo diferente. Outro é o orgulho de jogar no Bahia, representar um clube desse tamanho, dessa magnitude. Não só a instituição, mas uma torcida muito apaixonada. Tem também a vibração, que é do nosso hino, que nos diferencia. Essa competitividade. E tem a coragem. Queremos jogadores corajosos, que queiram jogar, ter a bola. Vamos focar no atleta que gosta do jogo, de ter a bola. São quatro pontos macro que vão direcionar toda a cadeia de formação de jogadores”, disse em entrevista para o Yahoo Esportes.

O trabalho mais longevo do profissional foi na Ferroviária, onde reestruturou o setor de base do clube. A principal conquista da sua gestão foi obter o Certificado de Clube Formador – Selo A, devido as boas práticas de formação, documento importante que resguarda o clube, dentre outras coisas, principalmente em relação aos atletas menores de idade que ainda não podem assinar contrato profissional.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo