Colunista afirma que final paulista no Maracanã é lição para o Flamengo

Logo: Mundo Rubro Negro

Mundo Rubro Negro

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fmundorubronegro.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F01%2FCeni-da-tristeza.jpg&q=25&w=1080

André Rocha criticou o amadorismo dos dirigentes rubro-negros e declarou que o Mais Querido deve refletir sobre decisão da Libertadores

No próximo dia 30 de janeiro, o Maracanã será o palco da final da Taça Libertadores da América. Sem o Flamengo, Palmeiras e Santos se enfrentarão na decisão da maior competição do continente sul-americano. De acordo com o colunista André Rocha, do UOL Esporte, esse duelo paulista é uma dura lição para o Mais Querido.

“Um duro golpe para quem se imaginava construindo hegemonia no país e no continente depois de emendar as conquistas de Brasileiro, Libertadores, Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e o bi carioca. É óbvio que a pandemia virou tudo do avesso, esvaziou os estádios e mudou as perspectivas. Mas não é só isso”, afirmou o comentarista.

Segundo o cronista, 2019 foi uma exceção construída pelo trabalho de Jorge de Jesus. Para André, o técnico português criou uma filosofia independente do departamento de futebol do clube, impondo rigidez aos atletas, afastando antigos funcionários, como o auxiliar permanente Marcelo Salles, e protegendo o elenco do alvoroço político tão comum no Flamengo.

Com a saída do Mister para o Benfica, veio à tona a dura realidade carioca. De acordo com o jornalista, o Flamengo tá inserido num contexto de política acima da competência, de privilégios dentro do elenco, acomodação por parte de gestores, jogadores e de amadorismo dos dirigentes do clube, que insistem em manter um estreito relacionamento com políticos populistas.

Mesmo nesse atual cenário turbulento, o Flamengo consegue estar bem à frente dos seus rivais estaduais, que acumulam fracassos dentro e fora de campo. Porém, André destaca que, a falta de concorrência local contribui para o momento complicado do Rubro-Negro, que observa seus adversários paulistas crescendo dentro de competições importantes.

” O Corinthians ainda é o grande vencedor dos últimos dez anos, com três Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial. Mas Santos ganhou Copa do Brasil (2010) e Libertadores (2011) e o Palmeiras faturou dois Brasileiros (2016 e 2018) e também a competição de mata-mata nacional, em 2012 e 2015. Agora o São Paulo é líder do Brasileiro e pode encerrar jejum de oito anos”, escreve o autor.

André Rocha salienta a importância para o Flamengo de trabalhar profissionalmente, destacando a necessidade de reflexão que a final protagonizada pelos paulistas coloca. As lições devem gerar boas ações para que os momentos gloriosos vividos em 2019 não fiquem somente no passado.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Seja nosso apoiador!