Clima bélico na eleição causa preocupação no Corinthians e vai ser tema em reunião no clube

Logo: Meu Timão

Meu Timão

Imagem do artigo: Clima bélico na eleição causa preocupação no Corinthians e vai ser tema em reunião no clube

O clima de guerra que precede a eleição do Corinthians causa preocupação no clube e será um dos temas da reunião da comissão eleitoral com membros das chapas que concorrem tanto à presidência quanto ao Conselho Deliberativo. O encontro será realizado na quinta, às 19h, no teatro do Parque São Jorge.

Concorrem na eleição corinthiana Duílio Monteiro Alves, pela situação, Mário Gobbi e Augusto Melo, pela oposição. Cada uma das chapas pode enviar dois representantes, assim como as 19 chapinhas na disputa pelo Conselho. Serão cerca de 40 pessoas no espaço.

Última conversa entre a organização das eleições e as chapas, a reunião da comissão eleitoral normalemnte serve apenas para definir horários e movimentações para o dia da votação, agendada para o próximo sábado, dia 28 de novembro, na sede do clube. Dessa vez, porém, haverá um apelo às candidaturas.

É consenso no clube que o pré-eleição tem sido com provocações e xingamentos muito acima do tom normal. Pessoas ouvidas pela reportagem do Meu Timão acreditam ser necessário que os candidatos passem às respectivas bases mensagens de mais respeito mútuo.

Há temor de que o clima escale para agressões físicas e ameaças quanto mais próximo da eleição chegar. Duas pessoas consultadas para a matéria afirmaram nunca ter visto tanta falta de respeito entre os candidatos como demonstrado até aqui. Reforço policial será convocado para ajudar na contenção de possíveis confusões.

O Corinthians já viveu dias tensos no dia da votação das contas de 2019, que acabaram tenso sua possível aprovação adiada para dezembro devido à alegação de insegurança por alguns conselheiros.

Para coibir problemas, a ideia é que sócios votantes entrem diretamente por um portão especial, com um percurso de grades até o local da votação. Como não haverá boca de urna, será recomendado que os sócios exerçam seu direito e deixem o local.