Campeão e melhor jogador da Concacaf Champions League, goleiro do Seattle Sounders merece chance na seleção dos EUA – Opinião TMLS | OneFootball

Campeão e melhor jogador da Concacaf Champions League, goleiro do Seattle Sounders merece chance na seleção dos EUA – Opinião TMLS

Logo: Território MLS

Território MLS

O goleiro é ídolo do  Seattle Sounders, mas nunca foi chamado pra defender a seleção americana

Frei, do Seattle Sounders, é um dos melhores goleiros da MLS há anos, mas não recebe chances na seleção americana. (Twitter/Seattle Sounders)

Na última quarta-feira (4), o Seattle Sounders foi campeão da Concacaf Champions League ao bater o Pumas/MEX Por 3 a 0. Foi o fim de uma hegemonia mexicana que já durava 16 anos. E uma coisa que chamou atenção, foram as premiações individuais após a final.

Quem roubou a cena foi o goleiro do Seattle Sounders, Stefan Frei. Além de ter sido eleito o melhor goleiro da competição, com cinco gols tomados em oito jogos, onde em metade desses não foi vazado, o arqueiro levou o prêmio de melhor jogador da edição da Concacaf Champions League 2022, de forma um tanto surpreendente, já que nomes como Nico Lodeiro e Juan Dinneno eram cotados como favoritos.

• Quer assistir UM MÊS DE MLS NA FAIXA? Assine AGORA mesmo o DAZN e tenha 30 dias grátis! Clique AQUI!

Diante disso, um questionamento vem à tona: como um goleiro com a trajetória de Stefan Frei nunca jogou pela seleção dos EUA? O goleiro é suíço de nascimento, mas desde 2017 está elegível pra defender a seleção estadunidense, porém nunca teve chances. Ele chegou ser chamado pelo então treinador Bruce Arena para um período de treinamentos em 2017, mas uma lesão no tornozelo o tirou de lá, e desde então ele nunca mais foi lembrado.

No Seattle Sounders desde 2013, Frei acumula títulos e idolatria. Em 293 jogos pela franquia de Washington, ele saiu de 89 sem sofrer gols. Nesse período, ele tem sido peça-chave na sua equipe, onde já venceu duas vezes a MLS Cup, uma vez a Supported Shields e agora a Concacaf Champions League.

Dentro de campo, Frei é um goleiro decisivo embaixo das traves, tendo grandes defesas no seu currículo. Talvez a mais espetacular seja essa na final da MLS de 2016, contra o Toronto FC:

Além disso, Frei é um dos líderes do Seattle. Não a toa é capitão, sendo uma figura muito eficaz em motivar sua equipe, além de, por conta da trajetória no time, ser uma fonte de inspiração.

Olhando esses pontos, soa meio incompreensível como, no alto dos seus 36 anos, Stefan Frei não tenha tido a oportunidade de defender a seleção dos EUA.Claro que nesse tempo, nomes como Zack Steffen e Brad Guzan tomaram de conta da posição, mas Frei poderia ter sido opção em alguns momentos.

Todavia, era preterido por nomes como Bill Hamid, Sean Johnson e Ethan Horvath. Bons goleiros, é verdade, mas dado o que Frei alcançou com a camisa do Sounders, seria totalmente plausível que ele também tivesse o seu espaço. A chance com a seleção ianque poderia ter vindo. Ou talvez ainda possa vir.

Mesmo com a idade avançada, Stefan Frei vive um grande momento. E com a sua experiência, pode ajudar muito uma seleção repleta de jovens jogadores. E pra quem acha que os seus 36 anos são um empecilho, Brad Guzan, do Atlanta United tinha essa mesma idade quando compôs o elenco da Copa Ouro em 2021.

Então não custa nada sonhar com uma convocação. 2022 é ano de Copa do Mundo, e uma participação seria a cereja do bolo pra uma belíssima carreira.

*A coluna “Opinião TMLS” é de responsabilidade de seu autor e não necessariamente traduz a opinião do portal “Território MLS”.

(Capa: Reprodução/Instagram Seattle Sounders)

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo