Camboja, a aproximação com as principais referências asiáticas é o laço do crescimento | OneFootball

Icon: Mercado do Futebol

Mercado do Futebol

·11 de março de 2022

Camboja, a aproximação com as principais referências asiáticas é o laço do crescimento

Imagem do artigo:Camboja, a aproximação com as principais referências asiáticas é o laço do crescimento

Apesar da tradição no Sudeste Asiático, o futebol cambojano fica muito atrás da Tailândia e Vietnã, mas com apoio de Japão e China, o país aos poucos vai aumentando o seu nível no continente.

Em termos de história transitou entre Reino, Império, Colônia (França), Independência e por último Monarquia, porém no esporte a primeira lembrança dos brasileiros foi chegada de Leonardo Vitorino à seleção em 2017 após bom trabalho no vizinho Laos.

No ano seguinte, Keisuke Honda na época jogando no Pachuca e vindo de uma Copa do Mundo com atuações positivas assumiu o comando técnico repassando conceitos aos jogadores que aos poucos vão evoluindo.

O argentino Félix Dalmas assinava a prancheta nos jogos entre 2018 e 2019 e hoje Ryu Hirose (65 anos) tem sido o treinador adjunto do atual jogador do Suduva (Lituânia) e ex-Botafogo. Vale lembrar que o trabalho visa os Jogos do Sudeste Asiático em 2023.

Em termos de resultados, o empate contra Hong Kong em casa pelas Eliminatórias Asiáticas é algo para ser comemorado, depois disso na AFF Suzuki, o selecionado bateu Laos e ficou em 4º lugar no Grupo B.

Atualmente existe uma leve briga por vaga na Classificatória da Copa da Ásia com indianos e afegãos, mesmo assim a preocupação é com o futuro e nesse pensamento, a China investiu 150 milhões de dólares para construir o Estádio Nacional Morodok Techno de 60 mil espectadores.

Os principais jogadores cambojanos atuam no país tendo poucas oportunidades fora, mas existem muitos brasileiros na localidade, começando pelo Visakha FC, casos de Paulo Victor (esteve recentemente no sub-23 do Vitória) e Marcos Vinícius (ex-Cruzeiro e Botafogo).

No Boueng Ket, o defensor Alexandre Cardoso (revelado no Palmeiras e com passagem pelo Beira-Mar de Portugal) chegou mês passado, no NagaWorld, o centroavante Eliel marca presença. No Kirivong Sok, o meia Thiago Fernandes é naturalizado timorense e ocupa a vaga extra de asiático.

Inclusive o último atleta citado na lista acredita na estabilidade recente apresentada no local e assim almeja fazer um bom desempenho para retornar ao Brasil ficando mais próximo da família, já que teve muitas experiências fora como no Barein, Indonésia, Kuwait, Índia e Macau.

Marcus Haber, atacante canadense com passagem pelo West Bromwich é a referência do Svay Rieng. O finlandês Sakari Tukiainen é um reforço europeu no Camboja, Fareed Sadat, jogador da seleção do Afeganistão e com passagens pela sub-19 da Finlândia atualmente é o nome tarimbado no Phnom Penh Crown.

O atacante irlandês (seleção de base) Jozsef Keaveny com sua formação atrelada ao Leicester City e passagem pelo AEK Larnaca (Chipre) é mais um que se transferiu para C-League.

Saiba mais sobre o veículo