Çalhanoglu disse que tentou gol olímpico e está satisfeito com sua boa forma na Inter | OneFootball

Çalhanoglu disse que tentou gol olímpico e está satisfeito com sua boa forma na Inter

Logo: Trivela

Trivela

Hakan Çalhanoglu abriu o placar da confortável vitória da Internazionale sobre a Roma no último sábado com um gol olímpico que, segundo o turco, foi proposital. O meia também deu assistência para o segundo tento, marcado por Edin Dzeko, e segue em boa forma desde que se transferiu do rival Milan no começo da temporada.

Çalhanoglu cobrou um escanteio fechado e baixo pela esquerda na primeira trave, aos 15 minutos do primeiro tempo, e contou com Rui Patrício deixando a bola passar entre as suas pernas para fazer 1 a 0. Depois, invadiu a área com um bom domínio antes de rolar para Dzeko bater de primeira. Denzel Dumfries deu números finais ao placar.

“Eu sempre tento bater o escanteio perto da trave, e entrou bem. Com certeza dei um pouco de sorte”, afirmou o jogador de 27 anos. “Estou feliz pela minha assistência para Dzeko também. A Inter dominou o jogo, não concedemos nada à Roma. Foi uma grande atuação. Tivemos outras ótimas também, contra Juventus e Milan, apesar de os resultados terem sido empates. Nunca paramos de acreditar”.

Çalhanoglu tem cinco gols e quatro assistências em 14 rodadas do Campeonato Italiano. “Eu me sinto mais confiante agora e estou em uma forma muito boa. Quero dar meu melhor para o time e para o clube. O resto é consequência”, disse o meia da Inter, nova vice-líder do Campeonato Italiano, um ponto atrás do Milan.

Por outro lado, José Mourinho estava resignado com a derrota do seu time, a quarta nas últimas seis rodadas da Serie A. “A Inter é mais forte que nós em condições normais. Em condições não-normais, eles são muito mais fortes que nós. Na temporada passada, tiveram 29 pontos a mais que a Roma. Com as lesões e jogadores suspensos, foi muito, muito difícil”, afirmou o português, que não teve Tammy Abraham, Rick Karsdorp, Lorenzo Pellegrini, Stephen El Shaarawy e Leonardo Spinazzola.

“Nosso potencial ofensivo foi praticamente nulo. Era muito importante fazer um gol porque teríamos apenas duas ou três chances. Nós tivemos três e não marcamos. Quando você joga com uma defesa que tem Ibañez e muitos outros em posições que não são suas habituais, não pode conceder o primeiro (o gol olímpico) e o terceiro (Dumfries de cabeça na segunda trave) gols. Simplesmente não pode”, completou.

Talvez pela primeira vez na história da humanidade, Mourinho elogiou o trabalho do árbitro e também desejou boa sorte à Internazionale, que enfrentará o Real Madrid na próxima terça-feira precisando da vitória para liderar o seu grupo da Champions League.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo